Categorias
PORTAIS DE NOTÍCIAS

BOA NOTÍCIA: MAIS TRANSPARÊNCIA COM AS ONGS

Governo será obrigado a registrar na internet convênios com entidades sociais

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A partir de 1º de julho, os convênios entre o governo federal e entidades públicas e privadas sem fins lucrativos seguirão novas regras de transparência e fiscalização. O Diário Oficial da União publicou ontem (30) portaria, que cria procedimentos para os repasses voluntários a organizações municipais, estaduais e não-governamentais (ONGs).

A principal inovação é a obrigatoriedade de que todos os órgãos federais registrem a assinatura dos contratos, o acompanhamento das ações e a prestação de contas no Portal de Convênios do Governo Federal (www.convenios.gov.br). Atualmente, somente alguns ministérios divulgam essas transações no portal, que está em funcionamento desde o início do ano.

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

ÁLVARO LINS: HERANÇA DA DITADURA

A Constituição de 1988 está repleta de vícios e influências da Ditadura Militar. Uma delas e o parágrafo 2º do artigo 53 da Constituição, que permite a Assembléias Legislativas libertar um parlamentar. É um bom instrumento em um regime ditatorial, mas uma excrescência em um regime democrático. A soltura do deputado Álvaro Lins (PMDB-RJ) pela Assembléia Legislativa do Rio é um típico caso de corporativismo e abuso de prerrogativas anacrônicas. Confira os deputados que querem legislaram em causa própria, interferindo na Justiça.

Confira como foi a votação na Alerj

Votaram contra a revogação da prisão de Lins

1 – Alcides Rolim (PT)

2- Alessandro Molon (PT)

3 – Cidinha Campos (PDT)

4 – Comte Bittencourt (PPS)

5 – Fernando Gusmão (PCdoB)

6 – Flavio Bolsonaro (PP)

7 – Gilberto Palmares (PT)

8 – Inês Pandeló (PT)

9 – Marcelo Freixo (PSOL)

10 – Nilton Salomão (PMDB)

11 – Olney Botelho (PDT)

12 – Paulo Ramos (PDT)

13 – Rodrigo Neves (PT)

14 – Sabino (PSC)

15 – Wagner Montes (PDT)


Votaram a favor da libertação de Lins

1 – Alessandro Calazans PMN

2 – Anabal PHS

3 – Aparecida Gama PMDB

4 – Atila Nunes DEM

5- Audir Santana PSC

6 – Beatriz Santos PRB

7 – Chiquinho da Mangueira PMDB

8 – Coronel Jairo PSC

9 – Délio Cesar Leal PMDB

10 – Dica PMDB

11 – Dionisio Lins PP

12 – Domingos Brazão PMDB

13 – Dr. Wilson Cabral PSB

14 – Edino Fonseca PR

15 – Edson Albertassi PMDB

16 – Fábio Silva PMDB

17 – Geraldo Moreira da Silva PMN

18 – Gerson Bergher PSDB

19 – Glauco Lopes PSDB

20 – Graça Matos PMDB

21- Iranildo Campos PTB

22 – João Pedro Figueira DEM

23 – João Peixoto PSDC

24 – Jorge Babu PT

25 – Jorge Picciani PMDB

26 – Luiz Paulo PSDB

27 – Marcelo Simão PHS

28 – Marco Figueiredo PSC

29 – Marcus Vinicius PTB

30 – Mario Marques PSDB

31 – Natalino DEM

32 – Paulo Melo PMDB

33 – Pedro Paulo PSDB

34 – Rafael Aloisio Freitas DEM

35 – Rogerio Cabral PSB

36 – Ronaldo Carlos de Medeiros PSB

37 – Sheila Gama PDT

38 – Sula Do Carmo PMDB

39 – Tucalo PSC

40 – Waldeth Brasiel PR


Faltaram à sessão:

1 – Alair Correa (PMDB)

2 – Altineu Cortes (PT)

3 – Alvaro Lins (PMDB)

4 – André Corrêa (PPS)

5 – André do PV

6 – Armando José (PSB)

7 – Graça Pereira (DEM)

8 – Jodenir Soares (PTdoB)

9 – José Távora (DEM)

10 – José Nader (PTB)

11 – Marcos Abrahão (PSL)

12 – Nelson Gonlçalves (PMDB)

13 – Pedro Augusto (PMDB)

14 – Roberto Dinamite (PMDB)

15 – Zito (PSDB)

(lista do site Dia On Line)

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

É POSSÍVEL MELHORAR A SAÚDE PÚBLICA

É difícil ser a favor de algum imposto. Mas o imposto do cheque (antiga CPMF) deveria ser aprovado e dentro de um grande plano de investimento para a saúde, que é a tentativa da Emenda 29. O erro do governo Lula (PT) é tentar colocar o imposto do cheque sem qualquer contrapartida. Por exemplo, uma redução na alícota do Imposto de Renda da pessoa física e desoneração para alguns setores. O imposto do cheque é bom porque cobra mais de quem tem mais e não tem custo de arrecadação. Além disso, é um ótimo instrumento contra a corrupção e sonegação das grandes empresas. Mas se o governo Lula conseguir melhorar o atendimento no SUS, fica inviável qualquer candidato da oposição. É possível melhorar a saúde e isso parece assustar a oposição.

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

AUTOMÓVEL: UM SONHO DESTRUIDOR

Adoramos automóveis. São símbolos de status e de beleza, além de mobilidade e agilidade (que estão em segundo plano, claro). Paul Virilio, filósofo francês, já alertou que velocidade é poder. Mas a cada dia percebemos que o maior erro que um país pode cometer atualmente é incentivar a indústria automobilística.

Esse é um erro do governo do presidente Lula, que a oposição se cala. No último pacote de desonerações fiscais, promovido por Miguel Jorge, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e ex-funcionário da indústria automotiva e pelo presidente Lula, também ex-funcionário da Indústria automotiva, só podia dar no que deu. Dos R$ 6,1 bilhões em desonerações fiscais previstas para estimular os investimentos dos diversos setores da indústria até 2011, as montadoras e os fabricantes de autopeças vão ficar com R$ 3,2 bilhões, o que representa mais da metade (52,8%) dos subsídios, segundo informou o Estadão (leia).

A oposição se cala porque o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) estabeleceu uma série de incentivos para essa indústria. Foi um descalabro deixar de arrecadar impostos da Ford, da General Motors, da Fiat, Renoault, Wolksvagen etc, enquanto a população não teve reajuste na tabela do Imposto de Renda. Mais que isso, o governo de FHC conseguiu ao mesmo tempo quebrar a indústria ferroviária e a indústria naval. Veja abaixo o quadro da indústria naval. No governo do PSDB , ela vai para o fundo do poço, mas se recupera no governo do PT.

Para ler diferença entre Lula e FHC. Leia O ignorante sábio e o sábio ignorante.

Estamos colhendo os frutos dessa política: engarrafamento e poluição.

Categorias
O JORNALISMO

AMORIM: O PAC FAZ MAL A SAÚDE

28/05 – 12h20

A edição on-line do Globo trata do relatório anual da Anistia Internacional e alerta: o PAC é uma ameaça aos direitos humanos

O Globo ressalta que o relatório está preocupado com a construção de estradas e de represas próximas a terras indígenas, obras promovidas pelo maléfico Programa de Aceleração do Crescimento.

O Globo não dá destaque ao fato de o relatório da Anistia lembrar que o Brasil continua sendo “um dos únicos países da região que não contestou as leis que deram imunidade às autoridades do regime militar”.

Ou seja, o PAC fazer mal à saúde é muito mais importante do que o coronel Ulstra estar solto.

Para O Globo e o PiG, o Ministério da Saúde deveria imprimir nos maços de cigarro o alerta: O PAC faz mal à saúde.

A Rede Globo de Televisão deveria prontificar-se a divulgar uma campanha com o tema “se beber o PAC, não dirija”.

O Globo esqueceu de lembrar que a Ministra Dilma Rousseff é a mãe do PAC. Logo, o PAC mentiu sobre os cartões corporativos.


Paulo Henrique Amorim

Máximas e Mínimas 1144

O PAC FAZ MAL À SAÚDE

Categorias
O JORNALISMO

JORNALISMO MARIA VAI COM AS OUTRAS

O caso do suposto “dossiê” dos gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é o máximo exemplo do jornalismo sem senso crítico. Na maioria da grande mídia (e das médias também) acusa-se a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef (foto), sem qualquer discernimento. O PSDB está na função dele; bater no governo. O problema é o jornalista babão (ou seria inocente?) que entra na onda e reproduz qualquer factóide como se fosse uma notícia importante. Há, na verdade, uma espécie de coerção da profissão; se todo mundo diz que é dossiê, o jornalista mais crítico se sente constrangido para contrariar o senso comum, principalmente dentro das grandes redações. Se fizer isso, ele é chamado de chapa branca, governista, etc. É uma espécie de consciência sitiada. Mas o velho direitista Nelson Rodrigues já dizia que toda unanimidade é burra.

Um jornalismo um pouco mais sério e ético diria que investigar a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) seria o mínimo que o governo deve fazer. É incrível. A grande mídia, que sempre foi investigativa, trabalha para esconder os gastos banais de Fernando Henrique. Se todos os governos investigassem os anteriores, a corrupção diminuiria bastante no Brasil. A mídia está trabalhando para a corrupção, tentando intimidar governos que levantam informações de gestões anteriores. É obrigação da Casa Civil investigar e divulgar gastos excessivos de ex-governantes. Assim, o próximo governo deve agir. Elaborar e divulgar para a sociedade os gastos que foram escondidos no governo Lula (PT). O pior de tudo isso: o gabinete do senador Álvaro Dias (PSDB) criou e vazou a história e a Veja engoliu (ou ajudou a construir?), o resto você conhece. Maria vai com as outras.

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

INDÚSTRIA NAVAL ACORDA NO GOVERNO LULA

Alguns dados importantes mostram as diferenças entre o governo do presidente Lula (PT) e de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Na seara política, o importante é a análise de dados para se saber a eficiência de cada governo. Políticos gostam de discursar, mas são os avanços no país e as análises de especialistas que podem nos informar qual é o melhor governo.

O Programa de Modernização e Expansão da Frota e de Embarcações de Apoio da Petrobrás, lançado esta semana pelo presidente Lula, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, é considerado o maior plano de contratação de embarcações do gênero já realizado no país, e deverá ter 70% de nacionalização, ou seja, 70% das embarcações deverão ser produzidos no Brasil e com mão-de-obra brasileira. Vale lembrar que desde o primeiro ano do governo Lula, em 2003, houve a decisão de investir na indústria naval, via Petrobrás, com o claro objetivo de gerar empregos. Um fato importante no governo anterior, de Fernando Henrique, foi a tentativa de vender da Petrobrás e a quebra na indústria como se vê nos dados.

Ao lado: A indústria naval tem grande quebra em 2000, resultado da falta de política para o setor, ameaça de venda da Petrobrás e a farra do dólar provocado pela reeleição de Fernando Henrique. O gráfico mostra a quantidade de empregos no setor. No final do governo consegue se recuperar e deslancha no governo Lula.

Abaixo: A falta de investimento do BNDES, através do Fundo de Marinha Mercante, no governo FHC até 2002. Em 2003, já no governo Lula, uma soma elevada de recursos busca recuperar a indústria.

As fontes são Sinaval e BNDES
Categorias
ESTADO DA ARTE

UMA PEÇA PARA ESIO

A peça Encruzilhados entre a barbárie e o sonho  é um espetáculo que mostra todo o talento de Esio Magalhães, do Barracão Teatro. Um texto feito sob medida para que ele interprete em mínimos detalhes vários personagens. Divertida ao mesmo tempo em que trabalha os dramas humanos, Encruzilhados brinca com o público e, em passagens rápidas, cria climas tensos e de suspense. Andrea Macena, a atriz que contracena com Esio, tem uma presença de palco intensa com a personagem “Professora da Luz”, que é ao mesmo tempo inigmática, engraçada e opressora. A direção é de Tche Vianna e a parte técnica (iluminação e som) fica com o ator Eduardo Brasil, que o faz de dentro do palco. Para quem está em Campinas e região, é possível assistir no próximo final de semana.

Encruzilhados entre a barbárie e o sonho – Dias 30 e 31 de maio e 01 de junho – Sextas e sábados às 21:00 horas e nos domingos às 20:00 horas.  Rua Eduardo Modesto, 128 – Vila Santa Isabel. Reserva: 19-3289 4275. Ingressos R$ 12,00 (Inteira).

 

Categorias
O MELHOR REMÉDIO

HUMOR ARGUTO DA BLOGOSFERA

Do site Desabafo país
Categorias
TEMAS CAPITAIS

EDUCAÇÃO: NOSSA UTOPIA

A educação é um grande nó do Brasil. O país conseguiu praticamente universalizar o ensino da educação básica, mas falta qualidade. Esse é o grande desafio. Uma medida muito simples e barata é a valorização e aperfeiçoamento do professor e do gestor.

Para ser bem prático, os governos, tanto municipal, quanto estadual ou federal poderiam incluir um programa constante de 4 horas/aulas de pesquisa ou aperfeiçoamento profissional, com duração de seis meses.

O professor ou gestor poderia optar se quer ou não fazer a pesquisa ou aperfeiçoamento no semestre. Em caso afirmativo, ele receberia acréscimo de 4 horas/aulas semanais para desenvolver diversas modalidades de pesquisa, através de um simples plano de estudo. Por exemplo: estudar durante seis meses questões didático-pedagógicas, questões didático-psicológicas, temas ligados à disciplina etc. Outra alternativa seria participar de cursos de aperfeiçoamento oferecidos regionalmente pelo estado. Cursos poderiam, por exemplo, ser ministrados por professores ou gestores que se destacam dentro dos próprios quadros do ensino. Ele seria reconhecido pelo seu trabalho, seria remunerado e compartilharia sua experiência.

Com certeza isso não resolve o problema da escola pública, mas ajudaria bastante professores interessados em aperfeiçoar o seu trabalho. Outras medidas também parecem fundamentais como facilitar o acesso à tecnologia da informação e orientação psico-pedagógica para alunos problemáticos, principalmente nesse período de violência escolar que vivemos.

Mas isso parece muito simples e fácil de realizar. Quem poderia nos ajudar a criar obstáculos para nossas simples utopias?

Categorias
O JORNALISMO

BLOGOSFERA X MÍDIA

A vitória de Luis Nassif no Prêmio Ibest é apenas a ponta do iceberg da revolução que acontece na internt e que afeta diretamente a grande mídia. O blog de Nassif é praticamente um grande site de economia, política e cultura e, mais importante, mantém o Dossiê Veja (nesse caso é realmente um dossiê visto que há todo um processo de análise de fatos e de dados). É, portanto, um site que mantém uma visão crítica, seja elogiando ou criticando a grande imprensa.

Mas o prémio Ibest mostra outro detalhe. Dos 10 sites que aparecem em primeira colocação, nove (isso mesmo, 9) são críticos e bastante críticos com relação à mídia. Esta ainda mantém certa soberba em relação à blogosfera, mas isso deve mudar nos próximos anos. A primeira reação veio da Veja ao colocar blogs que atacam os blogs críticos, mas acho que não terá grande resultado e vale perguntar: seria o fim dos jornais ou o fim dos oligopólios da comunicação?

Veja abaixo a classficação publicada pelo (blog do Mello):

1. Nassif – 15%
2. Dirceu – 10%
3. Mino – 9%
4. Azenha – 8%
5. Amigos do Presidente Lula – 8%
6. Cidadania – 8%
7. Reinaldo – 8%
8. Mello – 7%
9. Desabafo País – 6%
10. Rovai – 4%

Categorias
O JORNALISMO

BLOGOSFERA VAI TRITURAR A GRANDE MÍDIA?

A briga entre blogosfera e grande mídia parece que está só começando. Acredito que vai durar muito tempo. Veja mais uma bela imagem com bom humor dos blogs, no naperiferiadoimperio.blogspot.com

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

A MÍDIA AFUNDA O PSDB

Existem inúmeros fatores que podem explicar porque o governo do presidente Lula (PT) é melhor que o governo do PSDB, tanto no período FHC quanto em relação à administração paulista de José Serra.

Uma delas está relacionada ao comportamento da mídia. Apesar de já ter feito uma certa cobertura crítica em relação ao PSDB, a mídia nunca teve um viés tão radicalmente crítico e manipulador, com a presença de análises de extrema direita como ocorre atualmente com o governo Lula. A expoente desse tipo de cobertura é a revista Veja, como todos sabem. Atrás dela, seguem outros meios. É o jornalismo por inércia. Inércia mental.

Todos sabemos que a mídia é um importante fator de pressão, assim como a sociedade como um todo, para que os governos realmente funcionem, ou seja, apliquem dinheiro ou mais dinheiro em projetos que beneficiem a população. Sem a cobrança da imprensa, como acontece hoje em São Paulo, o PSDB navega lentamente no atoleiro que é o funcionamento de um paquiderme chamado administração pública.

Diferentemente, o governo Lula é cobrado insistentemente em todos os setores. E isso tornou-se um bom negócio para o PT, apesar de dar trabalho e provocar desgaste. O governo Lula parece colher reconhecimento de um dos melhores resultados de um governo federal nas últimas décadas. Ou seja, a mídia pega pesado e o governo funciona.

Do jeito que está, a mídia afunda o PSDB, principalmente se a população consegue diferenciar exposição midiática de resultado concreto de políticas no cotidiano. E isso pesquisas recentes, como a avaliação do presidente da CNT/Census, mostram.

Categorias
MICROCONTOS

ALMOFADINHA DO AUTOMÓVEL

O almofadinha está sentado em um sofá de uma oficina mecânica. Lê uma revista de veículos importados, grandes carrões, belas mulheres. Parece ser amigo do dono da oficina. Tem uma camisa social sob a calça e cinto com fivela brilhando; o calor daquela tarde o impede de estar de terno; esse talvez seja um dos motivos para não gostar do Brasil. “Esse calor…”, costuma repetir.

Um novo cliente chega e inicia uma conversa com o dono da oficina. A conversa segue o o cliente encosta seu corpo no automóvel que está dentro da loja. Imediatamente almofadinha se levanta e aperta o controle remoto, como se fosse abrir o carro. O cliente se desencosta e continua a conversa com o dono, mas percebe que o almofadinha fez apenas um dos seus mais belos prazeres da vida, proteger seu carro, não deixar que ninguém sequer encoste. O almofadinha é a síntese da construção social da publicidade do automóvel; a utopia da indústria automobilistica para a construção da mente.

O cliente, que mal havia notado o carro, olha para o veículo do almofadinha tentando encontrar uma Ferrari, mas tem uma grande surpresa:e é apenas um corsinha classic. Sim, um corsinha classic!!!

Categorias
EDUCAÇÃO POLÍTICA

O IGNORANTE SÁBIO E O SÁBIO IGNORANTE

Lula gosta muito de metáforas, mas não há metáfora melhor do que a relação entre Lula e o PSDB, na figura do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Até hoje e nos últimos vinte anos escutamos que Lula é um ignorante, que não sabe falar, que não sabe escrever , que não estudou, que é nordestino, que é torneiro mecânico, que nunca trabalhou, etc.

Ao que se configura hoje, pela competência que tem administrado o Brasil, com crescimento, emprego, renda, distribuição de riqueza e estabalilidade, tudo dentro das possibilidades na negociação com as forças políticas mais retrógradas. Essas características mostram que Lula é o próprio ignorante sábio. Para desmoralizar sua inteligência, o chamam de ignorante, mas em realidade não conseguem vencer sua sabujice.

Do outro lado temos o FHC do PSDB com todos os seus títulos honoris causa, seus livros, sua fala em português aceitável para as elites e sua formação USPiana e internacional, mas que quebrou o país várias vezes, concentrou a riqueza e conseguiu construir um dos piores períodos econômicos do país nos anos 90, principalmente no segundo mandato. Isso é que é metáfora: como ser um sábio ignorante.

Categorias
O JORNALISMO

ESQUECERAM DO PARTIDO

O Repórter CBN dessa manhã falou de dois casos de corrupção graves. Um no Detran do Rio Grande do Sul e outro no Metrô de São Paulo. Mas o texto não fala o mais importante (ou será que omitiu) que nos dois casos os escândalos estão diretamente ligados ao PSDB, respectivamente, Yeda Crusius (RS) e José Serra (SP), ainda que no caso do Serra a falcatrua tenha se iniciado nas gestões anteriores. Portanto, alunos de jornalismo, quando forem jornalistas, não omitam informações, principalmente quando o veículo sempre revela a fonte do principal partido oponente, o PT. Esses dois partidos, por serem os principais atualmente do país, devem ter tratamentos iguais. Se não, a CBN (Central Brasileira de Notícias) pode também ser chamada de Controle Brasileiro da Notícia. Jornalismo sem qualidade não é legal!!

Categorias
TEMAS CAPITAIS

LICENÇA MATERNIDADE DE SEIS MESES

A importância do vínculo afeitivo entre mãe e bebê está mais do que evidenciada dentro do meio médico. Uma das recomendações mínimas sobre o aleitamento é justamente fazê-lo até os seis mees. O Brasil, com a possível aprovação dessa legislação, ganha outro lugar de destaque dentro do cenário mundial ao se igualar a países como Reino Unido (6,5 meses) e República Tcheca (7 meses). A Suécia se destaca com esse benefício. Lá a mãe pode ficar 1ano e 4 meses cuidando do filho.

Categorias
TEMAS CAPITAIS

MUITO BARULHO POR NADA

A história do dossiê que a ministra Dilma Roussef teve ontem praticamente um fim melancólico para a oposição e para a mídia.

O PSDB e o DEM (PFL) sempre estiveram certos em criticar o governo e usar todas as estratégicas possíveis, visto que são oposião. Uma das estratégias foi vazar documentos oficiais para a imprensa, como reconheceu o senador Alvaro Dias e chamar uma lista de gastos de dossiê.

O problema de toda essa história é a mídia como um todo, salvo raras exceções, assumir o discurso da oposição como um discurso jornalístico. Aqui não nos referimos à Veja, porque esta já é um caso a parte, ou seja, ela já abandonou o jornalismo há muito tempo.

Categorias
MICROCONTOS

O ASNO MOTORISTA 1

Asno por gloria MundiEle dirige a toda velocidade com sua picape; dá farol alto. Tem em sua tez a melancolia da arrogância. Na sua infelicidade, o poder das ruas, o poder sem limites do seu farol. O provocador de acidentes, o desestabilizador do trânsito. Corre, corre, corre, não por amor a velocidade, mas por arrogância à sua miséria. A miséria de não saber que não é nada. Ele grita, em sua assustadora insignificância moral:

“Abrem as ruas, sou em quem está pasando. Saiam! Saiam! Eu sou esse ilustre insatisfeito. Preciso me sentir melhor, maior, completo. Saiam, deixe-me ser importante por alguns segundos”

Categorias
ESTADO DA ARTE

DOCES PODERES: A CONSCIÊNCIA DOS JORNALISTAS

O filme Doces Poderes (1996) é um bom filme para jornalistas politicamente conscientes. Isso porque o filme, estrelado por Marisa Orth, Antônio Fagundes, Ségio Augusto, Tuca Andrada, Sérgio Mamberti e outros realmente não está fechado em busca de concepções ou orientações ideológicas. O filme parece, apesar de ser uma narrativa ficcional, uma bela reportagem sobre a consciência do jornalista de televisão que embarca em campanhas publicitárias. Uma bela reportagem porque parece querer apresentar uma versão fiel de uma realidade que não se pode ver na mídia.

É um bom filme para jornalistas politicamente conscientes justamente por sua liberdade narrativa e cinematógráfica. A melancolia dos perdedores do filme é algo que pode se tornar um apelo à falta de ética na profissão. No entanto, a diretora Lucia Murat parece buscar a profundidade e não o discurso ou a resignação. A melancolia dos perdedores é um alívio para a alma, um recomeçar.

Categorias
ESTADO DA ARTE

O ACOLHEDOR LUGAR DO RISO

O Não Lugar de Ágada Tchainik, peça com Naomi Silman e dirigido por Sue Morrison, é o lugar do riso e de uma certa auto-ajuda para quem precisar. O público não é somente provocado e arrastado para a participação. Ele é provocado no riso e no aconchego das nossas pequenas neuroses cotidianas. “Estamos bem”, aquela palhaça nos garante. Estamos bem. Na verdade, ficamos bem; ficamos bem ao rir e aprecisar o rigoroso trabalho teatral da atriz, com a bagagem do Lume. Para mim, foi uma iniciação ao clown.

O trabalho escrito por Naomi e pela diretora canadense Sue Morrison, reflete a proposta exposta pela diretora: “Necessitamos construir um palhaço que fale aos nossos dias de hoje, não só uma coleção de gags, mas um arquétipo que revela a essência do performer/ator. Este é um clown que nos dá uma sensação maior do divino em cada um de nós. Que celebra nossa humanidade, nossa animalidade e os momentos em que podemos tocar um ao outro através do riso”.

Novas apresentações, após temporada em Israel. Acompanhe pelo site do grupo Lume.

Álvaro Dias: como ficam as declarações para Isto É?

Em entrevista para a Revista IstoÉ, confira integral, o Senador Álvaro Dias diz que o suposto dossiê circulou pelo Senado e que outras pessoas tiveram acesso antes dele. No entanto, a Polícia Federal divulgou, segundo a Globo, que foi ele mesmo quem recebeu as informações. Ou seja, tudo indica que o Senador mentiu para a revista. Isso é quebra de Decoro parlamentar?

Veja trecho da entrevista

ISTOÉ – Os dados, então, já circulavam pelo Senado?
Dias –
A notícia sobre a existência do dossiê circulou desde o início de fevereiro. Então, veio o esforço do governo propondo a CPI no Senado inicialmente, depois se acabou aceitando a CPI mista, numa negociação que realmente não ficou bem. É claro que os farejadores começaram a perseguir esse dossiê e a buscar informações. Eu tive acesso às informações na semana anterior à divulgação. Tive notícias de que outras pessoas também viram. As pessoas temem se apresentar como fonte porque alegam tratar-se de informações sigilosas. Mas não são.

Nassif monta o quebra-cabeça da veja e do PSDB

Leia abaixo o texto de luis Nassif:

As peças se encaixam

Ontem, FHC veio com a história de que o “dossiê” sobre seus gastos era factóide. Por que isso, se permitiu que essa bobagem alimentasse a imprensa durante semanas e semanas da mais pura catarse, com ameaças de CPI, uma orquestração infernal da mídia, um patrulhamento virulento em cima de quem apontava para a armação?

Porque justo ontem? Ontem poderia ser um dia qualquer, não fosse o fato de que foi na véspera da divulgação da informação de que os dados saíram de um funcionário da Casa Civil direto para um assessor do senador Álvaro Dias. E, segundo a matéria do Jornal Nacional, há dois dias ele, JN, havia recebido a informação.

Não foi chantagem, foi armação.

FHC sabia disso, mas só se preocupou em minimizar o episódio quando percebeu que a armação estava sendo desmascarada.

Na qualidade de publicação que recebeu a “denúncia” das mãos do senador Álvaro Dias, Veja sabia disso desde o começo e sonegou a informação sobre a origem do documento. Não era o caso de entregar a fonte. Mas, fosse um veículo com um mínimo de preocupação com a honestidade jornalística, informaria que um senador da oposição recebeu o arquivo com o material. A partir daí ficaria claro o propósito da divulgação do material. Chantagem consiste em ameaçar divulgar um arquivo e segurar ou inventar informações. Se o arquivo foi entregue a um senador da oposição, a intenção não podia ser chantagear, mas queimar a Ministra Dilma Rousseff.

Era uma denúncia com a marca da falta de credibilidade da “Veja”. Acabou renascendo das cinzas com a decisão da “Folha” de, mais uma vez, ir a reboque da revista.

Faça-se um apanhado das declarações definitivas, das afirmações sobre o futuro político da Dilma, as indignações ensaiadas, a dramatização do evento, tudo em cima de uma armação. E confira-se a repercussão amanhã.

Após as investigações fica claro uma operação com o claro intuito de queimar uma eventual candidatura à presidência da República. Qual a dose de indignação que será utilizada para definir essa armação?

O Condenado foi absolvido

A absolvição de Vitalmiro Bastos Moura é mais coisa inexplicável no Brasil. Um indivíduo acusado e condenado por 27 anos de cadeia poder recorrer a um novo julgamento e é absolvido.  Mas como? Estava tudo errado antes, não haviam provas? O que fazer com nossa Justiça?

“O Lula ja está a quase 8 anos no comando e não mexeu uma palha para mudar essa lei arcaica que vigora desde 1947. Um cidadão é assassinado, e o assassino enquanto aguarda o julgamento fica em casa tranquilamente, e quando é julgado e condenado tem direito de recorrer e continua solto até que seja novamente julgado”. Leia mais no Desabafo

Hello world!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!