Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 14 outubro, 2008

O PROBLEMA DO VÍDEO DA CAMPANHA DE MARTA CONTRA KASSAB É TER ACERTADO O ALVO: VOTO SEM REFLEXÃO

Quando li e ouvi as notícias sobre a propaganda da Marta Suplicy ontem e hoje sobre o segundo turno das eleições em São Paulo fiquei um pouco assustado. Nossa! O que o PT fez agora?

Depois de ver o vídeo, fiquei pasmo. Pasmo com a grande mídia. O vídeo foi policiado pela grande mídia e não tem nada demais. Assistam ao vídeo abaixo. Confiram. Ele é correto e legítimo. Em nenhum momento ofende o candidato Kassab. Não há qualquer referência a uma possível homossexualidade de Kassab. Nada.

No entanto, ele acerta na mosca.

Muita gente votou em Kassab sem saber em quem estava votando. É isso que gerou toda essa repercussão.

A peça publicitária foi questionada não porque ofende Kassab, como pode ser visto, mas porque acertou no ponto central da vitória de Kassab. O voto em branco, o voto por inércia.

A peça publicitária é até muito semelhante com a idéia divulgada pela própria propaganda da justiça eleitoral. Antes de votar, reflita e conheça os candidatos, dizem os anúncios da Justiça eleitoral.

Veja também no Educação Política:

PSOL JÁ DEU A SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A VITÓRIA DE KASSAB EM SÃO PAULO E DE SERRA EM 2010

PELA PRIMEIRA VEZ PREFEITOS DE ORIGEM INDÍGENA SÃO ELEITOS NO AMAZONAS

O MAIOR TRUNFO DE MARTA NÃO É O PRESIDENTE LULA, MAS O MAPA ELEITORAL DO PRIMEIRO TURNO

SEGUNDO TURNO E ELEIÇÃO DE MARTA SERÁ TESTE DE TRANSFERÊNCIA DE VOTO DE LULA PARA DILMA ROUSSEF

Vale a pena ver mais abaixo o texto do Azenha comparando a cobertura da mídia sobre essa peça publicitária e outras campanhas. Azenha mostra como a grande mídia atua auxiliando a campanha de um candidato.

A MÍDIA COMO LINHA AUXILIAR NA CAMPANHA ELEITORAL

Atualizado em 14 de outubro de 2008 às 22:06 | Publicado em 14 de outubro de 2008 às 21:27

“Mas a acusação está no ar. Houve distorção? Ou aconteceu tal como narra a personagem apresentada no vídeo? Não cabe submeter o caso a inquérito. A sensibilidade do eleitor poderá ajudá-lo a discernir onde está a verdade – e se ela deve influenciar-lhe o voto, domingo próximo, quando estiver consultando apenas a sua consciência”.

O trecho entre aspas que aparece acima é do editorial do jornal “O Globo” publicado em 14/12/1989, intitulado “O Direito de Saber”, a respeito das acusações do candidato a presidente Fernando Collor de Melo a seu adversário, Luis Inácio Lula da Silva.

Notem que o jornal não quer um inquérito. Às favas com a verdade factual. Importa a “sensibilidade do eleitor”, tocada pelo depoimento pago de Miriam Cordeiro.

Collor, como vocês sabem, era o príncipe ungido pela mídia nativa para ocupar a presidência da República como “salvador da Pátria”.

Nos dias que antecederam ao debate final da campanha, Collor apresentou no horário eleitoral Miriam Cordeiro. O candidato do PT, é importante lembrar, era solteiro quando teve um relacionamento afetivo com Miriam. As acusações da mulher foram descritas assim por “O Globo”:

“Até que anteontem à noite surgiu nas telas, no horário do PRN, a figura da ex-mulher de Lula, Miriam Cordeiro, acusando o candidato de ter tentado induzi-la a abortar uma  criança filha de ambos, para isso oferecendo-lhe dinheiro, e também de alimentar preconceitos contra a raça negra.

Vejam só a sordidez com que o editorial endossa as acusações contra Lula. Leia a íntegra aqui.

Para aqueles que não se lembram, Miriam Cordeiro não apareceu apenas na propaganda do Partido de Renovação Nacional: estrelou também o Jornal Nacional, da Rede Globo, o que garantiu repercussão às acusações feitas.

Não houve uma só manifestação de pesar da grande mídia, na época, condenando a tática eleitoral do PRN.

É nesse quadro que se tornam absolutamente hipócritas as manifestações de “pesar” da mídia a respeito da tática eleitoral de Marta Suplicy, que sugeriu que o prefeito Gilberto Kassab é gay. Ele diz que não é. Pouco me importa.

O fato é que as manifestações de “pesar” da mídia logo foram incorporadas pela própria campanha de Kassab. Estão lá, no site de campanha do candidato, trechos do que escreveram Reinaldo Azevedo, Cristiana Lobo, Josias de Souza, Lauro Jardim, Ricardo Noblat e Kennedy Alencar. São lágrimas de crocodilo vertidas em nome da hipocrisia.

Kassab, gay, deveria assumir, assim como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deveria assumir o filho que teve com a repórter Miriam Dutra, da TV Globo. Leia aqui a reportagem da revista “Caros Amigos” sobre o assunto.

Não se trata de endossar a tática eleitoral de Marta, mas exigir que seja dado tratamento igual para iguais: se é válido perguntar sobre os filhos de Pelé, Maluf e Roberto Carlos fora do casamento, porque poupar FHC? Se é válido questionar a separação de Marta Suplicy, porque não é válido saber sobre a “família” de Kassab? A quem serve essa hipocrisia toda? (Vi o Mundo)

DESIGUALDADE RACIAL DIMINUI GRAÇAS AOS PROGRAMAS SOCIAIS DO GOVERNO

Brasil deve levar 20 anos para zerar desigualdade de renda entre negros e brancos, conclui Ipea

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Estudo divulgado hoje (14) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2007, revela que a diferença de renda entre negros e brancos vem caindo nos últimos anos e, se o ritmo for mantido, deve ser zerada em 2029.

De acordo com o Ipea, a renda per capita dos negros representa menos da metade da renda domiciliar per capita dos brancos. “Trata-se de uma desigualdade particularmente detestável, na medida em que não é atribuível a nenhuma medida de mérito ou esforço, sendo puramente resultado de discriminações passadas ou presentes”, informa o documento.

Essa desigualdade, no entanto, começou a cair a partir de 2001. Até 2007, um quarto da diferença foi retirada. “Isto quer dizer que ainda faltam outros três quartos. Se o ritmo continuar o mesmo, haverá igualdade na renda domiciliar per capita apenas em 2029”. É possível que que a redução da razão de rendas não seja conseqüência de uma redução nas práticas discriminatórias e sim do fato de negros serem maioria entre os beneficiários do Programa Bolsa Família, avalia o Ipea.

“A pobreza é predominantemente negra e a riqueza é predominantemente branca”, ressalta o estudo.

Leia também no Educação Política:

DADOS DO IBGE EXPÕEM QUESTÃO RACIAL E TRABALHO INFANTIL

SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR TERÁ LIMITE DE TEMPO A PARTIR DE DEZEMBRO

Tempo de espera em call centers não pode passar de um minuto, estabelece governo

Morillo Carvalho
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Um minuto. Esse será o prazo máximo de espera nos serviços de atendimento ao consumidor, os chamados call centers. A partir de 1º de dezembro, entra em vigor a norma que estabelece o prazo máximo para que o consumidor seja atendido. A portaria foi assinada hoje (13) pelo ministro da Justiça, Tarso Genro.

A regra vale para serviços regulados pelo governo – caso dos setores de telecomunicações, aviação civil, energia elétrica e água. As exceções são para o setor financeiro (bancos e financeiras), que deverá atender o consumidor em até 45 segundos, e de energia elétrica, contanto que haja uma pane generalizada do sistema de fornecimento. Às segundas-feiras, no quinto dia útil de cada mês e nos dias que antecedem e sucedem feriados, os call centers bancários poderão demorar até 90 segundos para atender o cliente.

Veja no Educação Política:

JOSÉ SERRA FINALMENTE FEZ ALGUMA COISA; LEI PRETENDE BLOQUEAR TELEMARKETING

ALÉM DOS CONTRATOS, CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR DEVERIA PREVER TAMANHO DE LETRA PARA PUBLICIDADE

INTERNET BANDA LARGA NO BRASIL ENTRE AS PIORES E MAIS CARAS DO MUNDO

Veja esse site: Reclame Aqui

%d blogueiros gostam disto: