Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

LEITORA RELATA SITUAÇÃO DEPLORÁVEL DA EDUCAÇÃO NO INTERIOR DE SÃO PAULO

Ana Claudia Camargo

O texto a seguir é a “cereja do bolo”. Trata-se de uma das inúmeras mensagens que recebemos sobre o esquema de corrupção nas escolas estaduais de Araraquara, SP. História veeeelha e muito, muito suja! A mensagem é assinada e o conteúdo é público, pois a denunciante sofreu processo, no entanto preservamos seu nome, como sempre fazemos quando percebemos que a corda vai arrebentar do lado mais fraco.

Vamos lá:

“O esquema consistia no seguinte: a verba chegava às escolas e a dirigente de ensino, na certeza da impunidade, mandava pegar notas fiscais frias, fazer a prestação de contas e repassar uma quantia em dinheiro para ela. E ninguém denunciava. Eu sou diretora de escola afastada porque me cansei desse esquema, fiquei completamente exausta, comecei a falar “não” e quem falava “não” para ela ia para o cativeiro, ou seja, ficava afastado até à exoneração. Antes de mim dois foram exonerados pelos mesmos motivos, mas os dois fecharam o bico, não denunciaram.Quando me removi para uma outra escola, a dirigente e os supervisores acabaram com a minha reputação, mandaram os alunos fazer quebra-quebra e manifestações contra mim, juntaram-se aos professores que participavam do esquema e tinham regalias na escola, ou seja, não davam aulas, havia no período noturno alunos-fantasmas, classes inexistentes e mesmo assim recebiam por essas aulas. No papel era uma coisa e na real uma outra bem diferente. A escola estava completamente esvaziada e a assistente de planejamento era obrigada a fazer o quadro com informações montadas, fictícias. Houve um escândalo, abafado pela secretaria da educação, e a dirigente se aposentou como supervisora de ensino, respondendo hoje ao processo nº 95/2006 na 3ª unidade processante, mas ela possui forte proteção política e ameaça todos que se atrevem a atravessar seu caminho. Teve o envolvimento de um escritório de contabilidade que fornecia os talões de notas frias, uma funcionária desse escritório foi atropelada em um suposto acidente, ela estava de moto e o motorista fugiu. A funcionária, de apenas 24 anos, sabia demais e pagou com a morte.Outra funcionária está ameaçada de morte e tem muito medo.Lutamos agora para que a dirigente, com toda a sua influencia política, não saia isenta, livre, impune, que ela seja responsabilizada por seus atos pensados,muito bem planejados, pois durou 10 anos.O esquema é enorme, até a FDE é suspeita, pois só apurou 22 escolas e só diretores foram processados, nenhum supervisor, sendo que todos eram coniventes e paus mandados da dirigente. A FDE fez uma média e encerrou a apuração alegando dificuldades de checar todos os diretores de escola.Os supervisores de ensino sabiam do esquema e obedeciam à dirigente quando ela ordenava que desse cabo de um diretor, difamando-o na cidade como ladrão e corrupto, ordenando o fim da carreira e orquestrando sua exoneração.Muito dinheiro da educação foi para o bolso de muita gente, tem que ser devolvido e os culpados punidos. Não é possível que só prejudiquem os pequenos, os mais fracos, como sempre foi”.

Qual o seu palpite para o fim dessa história?…

A propósito: algum paralelo com a EE Amadeu Amaral, outra escola “esvaziada” onde foi promovido um quebra-quebra?…

10 Respostas para “LEITORA RELATA SITUAÇÃO DEPLORÁVEL DA EDUCAÇÃO NO INTERIOR DE SÃO PAULO

  1. ana claudia camargo 27 novembro, 2008 às 9:48 pm

    27 Novembro 2008
    O esquema IV – Araraquara é apenas a ponta do iceberg

    Animados com a repercussão do último post, resolvemos publicar mais uma mensagem da diretora processada em Araraquara. Ela mostra claramente como os pais e alunos costumam ser usados pelo esquema: os pais são convidados a assinarem cheques em branco para “pagarem” notas frias; os alunos são instigados ao quebra-quebra e à baderna nas escolas. Tem mais: escola onde existe bandalheira é onde os professores torturadores têm carta branca.

    Pais das APMs: nunca assinem cheques em branco!!! Isso vai envolver vocês em um esquema corrupto. Se a direção da escola dos seus filhos exigir esse procedimento, denunciem para a supervisão ou diretoria de ensino. Se ninguém der ouvidos para vocês, escrevam para nós: educaforum@hotmail.com

    Aluno da escola publica: não se deixe influenciar por maus “educadores”, que fazem intrigas para que você brigue com seus colegas ou faça baderna dentro da escola! O papel do professor é ensinar, aliás, ENSINAR BEM! Se ele só sabe fazer intriga, então que seja afastado da escola. Fale com seus pais e aponte os maus profissionais da educação! Ou então escreva para nós, mencione o nome do professor e a escola.

    Segue o depoimento da diretora de Araraquara, cujo nome ainda estamos preservando, para que não seja mais uma vez massacrada por “autoridades” corruptas, omissas e covardes. Prestem bem atenção no trecho que fala do professor pedófilo. Será que a imagem que a sociedade faz do professor é de um “santo” intocável, ao ponto que até atos de pedofilia dentro da escola passam impunemente? Será que ninguém consegue conceber que possa existir pedofilia na escola??? E OS QUE SABEM DE FATOS COMO ESSES SE CALAM???

    Eu sofri processo em janeiro de 2005 e como batia de frente com a dirigente, após a remoção para uma nova escola, ela mandava bandos de supervisores irem lá, para orquestrar com alunos o quebra-quebra e o desaparecimento de patrimônio.
    Antes desse processo sofri um outro: os professores alegavam que tinha desaparecido um DVD que eu nunca havia visto, a dirigente mandou um processo e perdeu, porque eu fui absolvida.

    Uma outra diretora de escola foi questionar a dirigente e acabou levando um processo também, mas o marido dela, ao saber que a S ia jogar sujo, correu atrás das notas no escritório de contabilidade, levantou as firmas fantasmas, denunciou o esquema na radio, tv, e até hoje luta.

    Curtir

  2. ana claudia camargo 27 novembro, 2008 às 10:48 pm

    SUPERVISORES DE ENSINO DE ARARAQUARA DURANTE 10 ANOS RECEBERAM PROPINA DOS DIRETORES E DA DIRIGENTE PARA FICAREM DE BICO CALADO.
    GRAVISSIMO, NOSSA ESSA VAI DAR CADEIA SÃO QUANTOS SUPERVISORES DE
    ENSINO NA DIRETORIA ARARAQUARA?
    QUE PESSOAL MALANDRO POR ISSO ANDAM TUDO DE CARRO ZERO, TEM SITIO, COMPRAM JÓIAS.
    O JOSÉ SERRA QUE VOCÊ TÁ FAZENDO QUE NÃO MANDA ESSE POVO LADRÃO EMBORA DA EDUCAÇÃO DE ARARAQUARA PELO AMOR DE DEUS?

    Curtir

  3. ana claudia camargo 27 novembro, 2008 às 10:58 pm

    Pedofilia na escola sem punição
    Professor acusado de pedofilia não está sob vigilância e continua na escola se relacionando com os mesmo alunos e alunas

    Curtir

  4. Antonio 16 dezembro, 2008 às 7:09 pm

    Esperamos que essas denuncia a tona possam reacender em cada cidadão, em cada funcionário público honesto, consciente das mazelas que a corrupção traz a chama do compartilhamento da responsabilidade, conduzir uma luta sem trégua contra os destruidores das escolas, usurpadores do dinheiro dos cofres públicos que são destinados às crianças, jovens e adolescentes pobres que tanto precisam e esperam por uma educação de qualidade.

    Curtir

  5. Antonio 16 dezembro, 2008 às 7:12 pm

    Quero deixar aqui minha indignação contra essa corrupção vergonhosa e um apelo ao governador Serra o que mais falta para lhe convencer que a corrupção em Araraquara já está de um tamanho incontrolável e incontornavel.

    Curtir

  6. Jorge Oliveira 17 dezembro, 2008 às 2:07 pm

    Que a corrupção e o descaso político estejam instaladas na cidade de Araraquara é fato inquestionável. No entanto, é preciso que nos conscientizemos que a questão não é local, mas de ordem nacional e não se limita a um único partido político (no caso o PSDB), mas estende-se a todos eles e configura-se como um problema sociológico do país, de dimensões histórico-sociais.
    O brasileiro, e especificamente o cidadão araraquarense (já que esse é o foco da discussão), se vê hoje em dia num grande buraco negro, uma vez que as disputas eleitoreiras racham e dividem os nossos políticos e eleitores e distinguem partidos como PT e PSDB como se ambos divergissem substancialmente em suas ideologias, mas, passadas as conquistas palanqueiras, esses partidos confundem-se e criam uma massa homogênea neoliberal na qual o azul e o vermelho assumem um único tom acinzentado de corrupção e favoritismos individualistas sob o qual a prioridade é a vantagem pessoal e não o interesse e a representatividade coletiva.
    Um outro exemplo de descaso político com a educação araraquarense é a ausência de vagas nas creches municipais da nossa cidade, que ganhou manchetes em vários jornais de circulação estadual e nacional.
    A Prefeitura Municipal de Araraquara, sob a gestão do PT, em vésperas do final de seu mandato e após a derrota para o PMDB, foi condenada pela Vara da Infância a pagar multa diária de R$ 100 por criança que teve a matrícula recusada na rede municipal de ensino este ano. A multa é resultado de uma ação civil pública proposta em 2004 pela Promotoria da Infância e Adolescência local e teve a sentença formatada este ano.A promotora da Infância e Adolescência, Morgana Demétrio, explica que o município é obrigado a prover quantas vagas forem necessárias e atender à demanda de crianças entre zero e três anos. “A cada matricula que o município recusar, precisará pagar a multa”, diz Morgana. “Agora estamos na fase de cálculos.” Para definir o valor da multa, é verificado o dia da negativa da Prefeitura e, a partir daí, a cada dia que se passa, a ausência da criança custa R$ 100 aos cofres públicos. O dinheiro depositado com a multa será encaminhado ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e será utilizado para políticas publicas sobre o tema.
    De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, há cerca de 650 crianças nesta faixa etária fora da rede. A pasta atende a 4.980 crianças ou 50,46% (apenas METADE) das crianças com idade entre zero e três anos. Em 2006, (gestão PT) havia 4.086 matrículas para um universo de 9.869 crianças na faixa etária.
    Ora, é preciso que deixemos de ser ingênuos, o descaso político com a educação das crianças e jovens é Azul, mas também é Vermelho, e não se pode responsabilizar esta ou aquela figura do cenário político e mitificar ou divinizar aquela outra.
    Em outras palavras, é incoerente culpar a figura de José Serra individualmente pelas falhas de seu Governo e inocentar, por exemplo, o Presidente Lula (o qual muito respeito, admiro e fui seu eleitor) quando se descobrem os excessos e abusos de seu mandato ou as tão conhecidas cenas de corrupção de seu governo, das quais o Presidente “nada sabia” e cujos atores centrais se viram (e nós os vimos) IMPUNES.
    O problema da corrupção e do dEscaso coletivo é nosso, e nós brasileiros, araraquarenses ou não, precisamos estar atentos não a legendas (tal qual torcedores do Corinthians e Palmeiras) mas ao nosso bem-estar, à nossa qualidade de vida, à educação do nosso país.

    Jorge Oliveira
    prof. de literatura
    graduando em Ciências Econômicas pela Unesp de Araraquara.

    Curtir

  7. sonia fernandes 17 abril, 2009 às 12:29 pm

    Parabéns Deputado Roberto Massafera, Assessor Eduardo Boschiero, conseguiram a absolvição de Sandra Rossato

    Curtir

  8. Josélia Gomes Neves 5 dezembro, 2009 às 7:19 pm

    Araraquara-SP, 3 de novembro de 2009.

    Da: Josélia Gomes Neves
    Para: Conselho Tutelar e Ministério Público

    Ao cumprimentá-los, venho por meio deste documento solicitar providências quanto ao cumprimento da Lei 9394/1996 a respeito do direito à educação, particularmente no que se refere à efetivação dos 200 (duzentos) dias letivos.

    Sou mãe da adolescente, G. R. W. N. F., (15 aos), estudante da 8ª série do Ensino Fundamental da Escola Estadual Bento de Abreu de Araraquara. Em função da gripe suína as aulas foram suspensas, o que considerei uma medida prudente.

    Solicitei o novo calendário da escola. De fato foram reprogramados os dias destinados a reposição, no entanto as aulas não estão acontecendo. Entrei em contato com a Coordenação Pedagógica que me informou que não estava havendo aula por causa da ausência dos estudantes. Perguntei que medida a escola estava tomando para assegurar o cumprimento dos dias letivos, tive apenas respostas vagas.

    No dia 30/10/2009 houve reunião com pais e mães na escola. Estranhei porque nenhuma palavra a respeito disso foi colocado na reunião. Neste mesmo dia, procurei o diretor da escola e expliquei que minha filha não estava mais querendo ir à escola aos sábados de reposição de aulas, pois estas não estavam acontecendo. Ele me falou que os docentes comparecem, mas que os alunos e alunas é que não vão. Informei a ele que no próximo sábado letivo, dia 31/10/2009 estaria acompanhando minha filha à escola, que não podia falar por ninguém, mas que estaria lá para garantir o direito da minha filha.

    Neste sábado, dia 31/10/2009 às 13 horas eu estava na Escola Estadual Bento de Abreu. Encontramos apenas uma faxineira na entrada. Nos dirigimos para a sala de aula. Após meia hora, como não aparecia professor fui até a direção saber o que estava acontecendo. Eram 13 horas e 40 minutos. Fui informada que a professora já havia ido embora. A responsável entrou em contato com ela que retornou e ministrou as duas aulas, após as outras duas aulas anteriores. Se for necessário, irei todos os sábados a esta escola para fazer valer o direito da G. Mas penso que medidas precisam ser tomadas a respeito.

    Diante disso, solicito providências no sentido de assegurar o direito da minha filha à educação com o efetivo cumprimento dos dias letivos.

    Atenciosamente

    Josélia Gomes Neves

    End.: Rua Gonçalves Dias, 878, casa 6. Fone (16) 9243-0186

    Curtir

  9. Alexandre Pierre Campos Branco 7 março, 2010 às 1:38 pm

    Glauco,
    Agora é a GREVE!

    A Assembleia Geral da Educação, realizada hoje, 05/03, na Praça da República, com representantes de todas as regiões do estado decretou a

    GREVE POR TEMPO INDETERMINADO!

    Calendário:

    Dia 08, segunda-feira: ida às escolas para esclarecimentos à comunidade

    Dia 09, terça-feira: comandos unificados devem visitar as escolas que eventualmente não aderiram ao movimento

    Dia 10, quarta-feira: intensificação do trabalho de mobilização

    Dia 11, quinta-feira: Assembleias Regionais Unificadas

    Dia 12, sexta-feira: Assembleia Geral da Educação, às 14 horas, no MASP, na Av. Paulista.

    Mobilize a sua região! Nossa união é a nossa força!
    http://www.udemo.org.br/Destaque_286_Agora_GREVE.htm

    Prof. Alexandre.
    Abração Glauco.

    Curtir

  10. Alexandre Pierre Campos Branco 7 março, 2010 às 1:41 pm

    Matéria publicada no Jornal Folha de São Paulo, de 04/03/10

    A hora da educação

    Relatório do governo revela avanços lentos no ensino na última década; faltam objetivos claros para políticas públicas

    É PREOCUPANTE , embora não surpreenda, o balanço apresentado em relatório do governo federal sobre o desempenho da educação brasileira na última década. Encomendado pelo ministro Fernando Haddad, o documento revela que apenas 33% das 294 metas estabelecidas no Plano Nacional de Educação, de 2001, haviam sido cumpridas em 2008, último ano com dados consolidados no estudo.

    É um resultado desalentador para uma sociedade que só agora vai alcançando o consenso necessário acerca da importância da educação para enfrentar seus desafios, do potencial de crescimento econômico à violência urbana -ao mesmo tempo em que se dá conta de oportunidades desperdiçadas.

    Fica claro que o país não foi capaz, nesse período, de diminuir a evasão no ensino médio, conter de maneira satisfatória as taxas de repetência e ampliar tanto quanto seria recomendável o acesso à universidade. Cada uma dessas falhas cobrará o seu preço nos próximos anos, e será mais lento o ritmo em que o país caminhará na direção de melhores condições sociais, com a necessária redução das desigualdades.

    Ao mesmo tempo foram tantos os objetivos definidos em 2001, que a taxa de cumprimento das metas precisa ser analisada com cautela. Faltou ao plano identificar prioridades, estabelecer metas passíveis de serem acompanhadas por indicadores confiáveis e, em alguns casos, uma perspectiva mais realista.

    Chama a atenção, por exemplo, o projeto de matricular, em uma década, metade das crianças de zero a três anos em creches. Em relatório de 2005, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que congrega países industrializados, listava apenas Dinamarca e Islândia, em uma lista de 28 nações, como cumpridoras desse louvável objetivo.

    Esse tipo de irrealismo acaba por obscurecer conquistas do período, quando o país dobrou a parcela de crianças de zero a três anos na escola -de 9% para 18%.

    Os resultados positivos, no entanto, não são capazes de dissipar a impressão geral negativa propiciada pelo estudo. O Brasil avançou pouco, e por vezes retrocedeu, em índices educacionais importantes. O gasto total com educação ficou estagnado em cerca de 5% do PIB até 2007. A parcela de jovens entre 15 e 17 anos no ensino médio passou de pífios 45,4%, em 2001, para 50,4%, em 2008.

    É preciso não só melhorar os indicadores, mas fazê-lo em ritmo muito mais intenso. O país discutirá em 2010 seu novo Plano Nacional de Educação, que fixará objetivos para os próximos dez anos. É uma oportunidade para elaborar diretrizes mais precisas, estabelecer prioridades claras e criar incentivos ao cumprimento de metas que possam ser acompanhadas com mais precisão e regularidade

    http://www.udemo.org.br/Leituras_472.htm

    Prof. Alexandre.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: