Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

ARARAQUARA: VEJAM O QUE O PSDB FEZ COM A EDUCAÇÃO EM 14 ANOS NO GOVERNO DO ESTADO

Texto enviado pela leitora Paula Durante

?
ATÉ QUANDO A IMPUNIDADE PARA ARARAQUARA.
ARARAQUARA VIROU MODELO DE COMO ROUBAR E DESVIAR VERBAS SEM SAIREM IMPUNES?
30 Novembro 2008

O esquema V – Tudo por dinheiro e poder
Você não entende por que seu filho não aprende nada na escola? Não entende por que ele é perseguido? Também não entende por que a escola do seu filho costuma expulsar alunos? Está difícil entender por que a escola exige a compra de uniforme, taxa para carteirinha, para papel, para a APM?

Tudo muito fácil de explicar, mas não pense que a TV Globo ou outra mídia vá esclarecer suas dúvidas. O esquema é poderoso e os tentáculos chegam aonde você nem imagina…

A educação é o negócio mais rentável deste país. Não estamos falando apenas de $$$, mas também de poder e dividendos eleitorais.

Recebemos notícias do Brasil inteiro, mas vamos nos limitar ao nosso estado, o de São Paulo, pois temos dados mais concretos e contatos mais diretos com pais, alunos, diretores de escola e outros profissionais da educação.

Repare bem: o presidente do Conselho de Escola, na rede estadual de São Paulo, é SEMPRE O DIRETOR. Entenda agora por que a eleição dos Conselhos de Escola e das APMs não é feita de forma aberta e transparente. As escolas recebem muitas verbas, estaduais e federais, que chegam às contas da APM. As normas exigem que a prestação de contas seja feita de forma muito rígida, por exemplo, verba para jardinagem não pode ser utilizada para troca de fechaduras etc.

Os pais que participam de Conselho e APM são geralmente escolhidos a dedo pelos diretores de escola e não recebem qualquer instrução ou treinamento sobre como administrar as verbas. Então a impressão que eles têm é que se trata de tarefa muito difícil e vão fazendo tudo o que os diretores pedem, desde assinar cheques em branco, até aceitar manobras do tipo: a jardinagem pode esperar, pois surgiu a emergência de precisar trocar as válvulas de todos os banheiros. Mas para isso não veio verba! As válvulas dos banheiros podem estar em perfeito estado, mas, na boa fé, os pais acatam a idéia do diretor e assim se faz uma reunião da APM para resolver o “problema”. Já que a verba é destinada a outra despesa, a solução não é simples. Mas profissionais sem ética tiram o assunto de letra! Alguém da comunidade certamente conhece um encanador, alguém que possa fazer esse serviço sem exigir nota, não é mesmo? Ele vai receber pelo serviço, mas a prestação de contas vai ser feita de outra forma. “Alguém” vai fornecer uma nota de serviços de “jardinagem”, mas é claro que o valor será maior, pois essa nota tem um “custo”. Trata-se da famosa “nota fria”. Esse valor a maior vai provavelmente ser dividido entre diversas pessoas, pois quem constrói um esquema arruma cúmplices para amarrar seu “rabo”. Está bem claro o português?… Se isso acontece com verbas públicas, pagas com o dinheiro suado dos seus impostos, imagine então o que acontece com as taxas da APM e as demais que as escolas exigem que você pague, sem recibo nem prestação de contas…

Segundo as informações que nos chegaram, o escândalo de Araraquara, relatado nos últimos posts, funcionou mais ou menos dessa forma, durante dez anos. 90% das escolas da cidade teriam aderido ao esquema, ou seja, os diretores faziam manobras desse tipo, as notas frias eram fornecidas por um escritório de contabilidade e uma parte do lucro era repassado à dirigente de ensino, que, óbvio, não era burra a ponto de declarar que embolsava aquele dinheiro. Ela alegava que “uma outra escola” da região estava necessitada de algum conserto ou equipamento, mas que não havia verba. Ou então, a mentira era de que a própria diretoria de ensino estava desprovida disso ou daquilo…

O esquema era poderoso e não podia tolerar diretores dissidentes ou caguetas. A cidade tem mais de 50 escolas estaduais e apenas alguns diretores se negaram a participar. Aconteceu com eles exatamente o que acontece com os pais de alunos que percebem alguma irregularidade na escola de seus filhos e resolvem reclamar ou denunciar: esses diretores começaram a ser perseguidos e prejudicados. Como?

A dirigente de ensino armou diversas situações que você, mãe e pai de aluno, conhece de sobra, mas nunca pensou que estivessem ligadas ao desvio de dinheiro da educação: através de supervisores, professores e outros profissionais que participavam do esquema, ela criou uma rede de calúnias contra esses diretores, para que toda a comunidade se voltasse contra eles. Isso é muito fácil para um dirigente de ensino: basta fazer algumas trocas de professor nas escolas, colocando seus aliados em pontos estratégicos. Esses se encarregam de jogar “lama” em quem não participa do esquema e os pais, alunos e membros da comunidade acreditam piamente. Assim, os poucos diretores honestos na cidade acabaram sendo processados com base em calúnias. O “feitiço”, porém, se voltou contra o feiticeiro. O esquema foi denunciado e a própria dirigente de ensino está sendo processada, junto com mais de 20 diretores de escola. No país da “pizza”, porém, isso não significa nada, a não ser que a corda costuma arrebentar do lado mais fraco. Até hoje, apenas dois diretores foram exonerados, os demais vão provavelmente ser livrados de pena e os restantes 30, que também estavam envolvidos no esquema, não foram sequer chamuscados pelo escândalo!

O mais grave de toda essa história é que NENHUM SUPERVISOR DE ENSINO foi processado, sendo que PRATICAMENTE TODOS estavam envolvidos no esquema. Quanto à dirigente de ensino de Araraquara, temos quase certeza de que a Secretaria da Educação vai deixar prescrever o processo administrativo, como é de praxe.

Para que fosse feita JUSTIÇA, seriam necessárias duas ações:

Que os deputados estaduais investigassem o esquema e exigissem a punição de todos os culpados. Duvidamos que isso aconteça, pois os primeiros processos abertos em Araraquara datam do ano de 2003 e estão próximos da prescrição. Provavelmente, alguns políticos influentes estão acobertando o esquema. Entendeu agora por que falamos de dividendos eleitorais? A educação é a maior “fábrica” de cabos eleitorais do país!

Que a mídia divulgasse esse escândado com isenção e detalhamento. Os jornais locais têm dado alguma cobertura, mas o escândalo é abafado em rede nacional. A própria TV Globo local registrou os fatos, mas eles não foram divulgados nem no Jornal Nacional e muito menos no Fantástico, que virou o porta-voz do “pobre” profissional da educação. Exatamente o que ocorre com as agressões de alunos pela PM. As Secretarias da Educação deste país são as instituições mais poderosas!

Bem, mãe ou pai da APM: agora você entendeu o que ocorre com as verbas da educação quando você assina cheques em branco ou entra na conversa da diretora da escola dos seus filhos, que manda lavar a caixa d´água todos os meses, por exemplo. Também entendeu por que na escola dos seus filhos falta papel higiênico, material de limpeza etc. etc.

Mas você ainda não entende o que isso tem a ver com ensino ruim, com perseguição e expulsão de alunos. Tudo a ver! As escolas são “nota zero” porque não há interesse algum em ensinar aos seus filhos. Diretores e professores corruptos matriculam seus filhos na escola particular e querem mais que os filhos “dos outros” permaneçam na ignorância! Tem mais: você que é do Conselho de Escola e é chamado para expulsar algum aluno, saiba que provavelmente se trata de alguma criança filha de pais que perceberam e se atreveram a denunciar o esquema. Se for algum adolescente, provavelmente é um aluno mais inteligente do que a média. Esses são muito perigosos para o esquema, por isso precisam ser “eliminados”.

Pai e mãe de alunos, cuidado para não se envolverem no esquema! A vítima será seu próprio filho!!

Para finalizar, uma adivinha: se 90% das escolas de Araraquara estavam envolvidas em um esquema que foi revelado por um escândalo, mas que periga acabar em pizza, qual a percentagem de diretores corruptos na sua cidade?…

Leia também em Educação Política:

UMA PERGUNTA: ISSO EXPLICA O DESEMPENHO DO PMDB, PSDB E DEM NAS ELEIÇÕES?

SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO QUEREM AFUNDAR UM DOS MAIORES AVANÇOS NA EDUCAÇÃO DO BRASIL

OLHA A DECLARAÇÃO DA SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO

AÉCIO E SERRA (PSDB) PAGAM PARA PROFESSOR A METADE DO QUE PAGA BINHO MARQUES (PT)

3 Respostas para “ARARAQUARA: VEJAM O QUE O PSDB FEZ COM A EDUCAÇÃO EM 14 ANOS NO GOVERNO DO ESTADO

  1. David [Will] 1 dezembro, 2008 às 9:36 am

    Pô Glaucão, estou gostando de ver, hein! O blog está bombando! PARABÉNS!

    Curtir

  2. Sonia Maria Fernandes da Silva 22 março, 2009 às 6:55 pm

    ESQUEMA DE MUITA DROGA E CORRUPÇAO DENTRO DAS ESCOLAS DE ARARAQUARA E REGIÃO.
    quinta-feira, 19 de março de 2009 Piora avaliação de escolas estaduais 60% das escolas da cidade perderam pontuação em relação a 2007; Estado avalia dados como positivos A segunda edição do Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp) mostra que as escolas de Araraquara regrediram entre 2007 e 2008. As pontuações de 27 unidades da rede estadual foram divulgadas, ontem, pela Secretaria de Estado de Educação e mostram também que mais da metade das instituições está longe da meta de qualidade estipulada pelo Governo.

    Neste ano, a queda foi puxada pelo Ensino Fundamental. Das 13 escolas que atendem da 1a a 4a séries, 61,5% não atingiram a meta mínima estipulada para o ano, que variava de acordo com o desempenho obtido em cada unidade em 2007. O objetivo é que as escolas nesta fase atinjam média 7, mas o desempenho municipal ficou em 4,28, levemente menor que o obtido em 2007 que foi de 4,35.

    Na faixa da 5a a 8a séries, a nota dos estudantes também caiu passando de 3,20 para 3,08, quase metade da meta almejada que deve ser 6. Nesta etapa, 85,7% das 14 unidades que oferecerem ensino nesta etapa não atingiram a nota mínima pedida para este ano. Ao invés disso, recuaram da nota conseguida no período anterior.

    O Ensino Médio foi o único a reagir, mas continua sendo a fase mais crítica: pulou de decepcionantes 1,52 para 1,61, o correspondente a um quinto da nota pretendida que é 5. No entanto, foi a etapa de ensino que mais atingiu a média estipulada para 2008 – 54,5% das 11 unidades avaliadas.

    Estado

    Os dados apresentados pela cidade, seguem a média estadual. Segundo o levantamento, 40,5% das escolas com o ciclo de 1a a 4a conseguiram as metas do Governo de São Paulo. Entre 5a e 8a séries o percentual ficou em 44,8%. No ano passado, apenas sete das 5.183 escolas avaliadas tiveram qualidade de ensino equivalente a países desenvolvidos, como a Finlândia.

    Apesar de as escolas estarem longe do objetivo almejado, a Secretaria de Estado da Educação comemora os resultados deste ano. O órgão considera que, mesmo não tendo chegado ao desempenho estipulado, ao menos 80,8% das escolas estaduais evoluíram. a Secretaria, o índice não deve ser usado como parâmetro de competição e sim como base para melhorar a qualidade do ensino público estadual. “O número de escolas que atingiram metas é animador. Há muito trabalho a ser feito, ainda temos um longo caminho para chegarmos a níveis de educação dos países mais evoluídos do mundo. Mas São Paulo mostra que está no caminho certo, que os projetos para melhorar a aprendizagem vêm dando resultado”, afirma Maria Helena Guimarães de Castro, secretária de Estado da Educação. Ela destaca ainda a importância da participação dos educadores, para o desenvolvimento da educação.
    Apenas quatro escolas se destacam; notas do Narciso caem pela metade

    A EE Antônio de Oliveira Bueno teve 5,95 quando a meta era de 4,59; a Antônio Joaquim de Carvalho ficou com 5,65 próximo dos 6,18 esperados para este ano; a Antônio Lourenço Correa atingiu 5,65 acima dos 5,46; e, a Geraldo Honorato Sachs com 5,44 ante aos 4,48 estipulados, foram as escolas que mais se destacaram na cidade.

    Elas fazem parte de um seleto grupo 11 de unidades que ultrapassaram em até 20% a meta indicada pela Secretaria de Educação, em ao menos um dos ciclos de ensino da rede. Em contrapartida, escolas como a Narciso da Silva César foi a que mais reduziu a pontuação no Idesp, entre 2007 e 2008. Um dos destaques no ano passado, a média da 1a a 4a séries foi de 2,75 ante a 4,21 obtidos no período anterior, queda de 35%. Com o resultado a escola ficou longe da meta para este ano que era de 4,34. No Ensino Médio, a escola João Batista de Oliveira (JBO) foi a que teve maior evolução passou de 1,01 para 1,89.

    E como fica e os supervisores de ensino corruptos que destruiram a educasção de Araraquara porque só pensaram nos ultimos 10 anos roubar e desviar o dinheiro das escolas e ficarem milionarios??? que estratégia foi essa tão maligna que destruiu a rede publica de ensino de Araraquara.
    chega de corrupção.
    Os supervisores de ensino eram aliados e ainda são.
    Pensem nisso e façam alguma coisa reaja Serra, isso é a uma vergonha.
    .

    Curtir

  3. jose marcos 24 março, 2010 às 10:37 am

    Achei muito oportuna esta colocaçao

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: