Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

GOVERNADOR DE SÃO PAULO, JOSÉ SERRA, MANDA FECHAR BLOG QUE MOSTRA O CAOS NA POLÍCIA DE SÃO PAULO

O tucanato está horrorizado com a liberdade de imprensa da internet.  Luiz Nassif foi afastado da TV Cultura e o blog Flit Paralisante, que faz críticas à segurança pública de São Paulo, foi excluído pelo Google, por causa de pedido judicial  de José Serra. Mas o blog já está no ar. Visite Flit Paralisante.

Veja a ordem judicial a pedido de José Serra.

O governador de São Paulo dirá: bons tempos aqueles em que a imprensa era oligopolística. Acabou!

A eleição de José Serra em 2010 será um duro golpe ao desenvolvimento da internet no Brasil. Serra vai tentar manter na UTI a grande mídia pelo máximo de tempo possível.

Veja notícia no blog do Paulo Henrique Amorim.

Leia também no Educação Política:

LEITOR FAZ APELO AO GOVERNADOR JOSÉ SERRA E A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO, MARIA HELENA DE CASTRO, QUE IGNORAM SITUAÇÃO DE ARARAQUARA, INTERIOR DE SÃO PAULO

CONTAS DAS ASSOCIAÇÕES DE PAIS E MESTRES (APM) PODERIAM ESTAR ON LINE, MAS A ESPECIALIDADE DE JOSÉ SERRA É A MAQUIAGEM

CASO DO SEQUESTRO DE ELOÁ E GREVE DA POLÍCIA CIVIL: É ASSIM QUE SERRA VAI GOVERNAR O BRASIL EM 2010?

AÉCIO E SERRA (PSDB) PAGAM PARA PROFESSOR A METADE DO QUE PAGA BINHO MARQUES (PT)

9 Respostas para “GOVERNADOR DE SÃO PAULO, JOSÉ SERRA, MANDA FECHAR BLOG QUE MOSTRA O CAOS NA POLÍCIA DE SÃO PAULO

  1. maryannbomb 15 janeiro, 2009 às 12:10 am

    Que vergonha heim senhor José Serra?

    Curtir

  2. Flávio Lapa Claro 16 janeiro, 2009 às 3:05 pm

    POLÍCIA JUDICIÁRIA EM SÃO PAULO
    O G1 publicou, no último dia 14, notícia intitulada “Polícia investiga apenas 16% dos delitos cometidos em São Paulo”.

    São dados estarrecedores. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, “De janeiro a setembro de 2008, foram registrados 110.497 crimes violentos (homicídio, roubo, latrocínio, estupro). No mesmo período, a polícia instaurou 70.635 inquéritos – nem todos relativos a esses crimes”.

    A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu artigo 144, que são incumbências das polícias civis estaduais as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais (exceto as militares), e que cabe às policias militares a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública.

    A única ressalva quanto ao tipo de infração penal a ser apurada pela polícia civil é a infração penal militar. Não me consta que exista qualquer norma que diga: crimes violentos devem ser investigados, outros tipos de crimes podem ou não ser investigados. A apuração de TODAS as infrações penais – exceto as militares – é incumbência – leia-se obrigação legal – da Polícia Civil.

    No período citado pela reportagem, foram registrados 110.497 crimes chamados “violentos”.

    Para que possa ser feita uma análise um pouco mais séria do assunto, algumas perguntas devem ser respondidas:
    1. Quantos crimes “não violentos” (existe isso?) foram registrados no mesmo período?
    2. Qual a estimativa de crimes efetivamente ocorridos mas não registrados?
    3. Dos registros efetuados, quantos são de autoria desconhecida?
    4. Do total de inquéritos instaurados no período (70.645), quantos foram instaurados por prisão em flagrante e quantos por portaria?
    5. Dos inquéritos instaurados por portaria, quantos foram esclarecidos e relatados na unidade policial de origem, sem remessa para delegacia especializada?

    As respostas a estas perguntas nos darão a certeza da absoluta incapacidade da Polícia Civil do Estado de São Paulo para cumprir minimamente com as suas obrigações legais.

    Chegamos a essa situação após uma seqüência – que hoje me parece ininterrupta – de governadores que não fazem idéia do que seja Segurança Pública, ou, pior, tratam deste assunto de acordo com seus preconceitos ou interesses pessoais.

    Além da falta de investimento na qualificação do pessoal, salário, condições de trabalho, equipamento, dependências, etc., etc., etc., algumas imbecilidades são dignas de registro:
    • A determinação do Fleury para que todas as viaturas da Polícia Civil fossem caracterizadas;
    • A extinção do DEIC pelo Covas;
    • O esvaziamento total das chefias dos distritos policiais pelos sucessivos governadores;
    • A priorização do que é visível pela população ou formadores de opinião em desfavor do que é producente;
    • A estagnação da quantidade de cargos existentes nas diversas carreiras policiais civis, apesar do aumento da população.

    Poderia passar algumas horas escrevendo aqui, e ainda assim não conseguiria concluir a lista. Por isso, a concluirei com um sonoro e enorme “eticétera”.

    O que temos hoje são distritos policiais cujas únicas atribuições são os registros de boletins de ocorrência (só de alguns tipos de ocorrência) e a lavratura de prisões em flagrante; SIG’s, DIG’s, delegacias, divisões e departamentos especializados que não possuem a menor condição de dar conta de todas as investigações, seja por falta de pessoal, de material, de investimento ou de vontade política dos responsáveis por estas unidades.

    Em compensação, o que dá votos recebe toda a atenção do governo e da administração. Os chamados grupos de elite da polícia civil, tipo GARRA e GOE; as escoltas de VIP’s; escoltas de autoridades (juizes, inclusive); rondas ostensivas sem qualquer objetivo concreto; e muitos outros tipos de ações que não têm nada a ver com a Polícia Judiciária, mas são visíveis para a população ou para formadores de opinião, consomem uma quantidade imensa de pessoal e recursos, seja usurpando funções da Polícia Militar, fazendo patrulhamento ostensivo fardado, seja puxando o saco das autoridades.

    Como se vê, a incapacidade da Polícia Civil de minimamente cumprir com as suas obrigações está diretamente ligada ao trato que o Governo do Estado dá ao assunto.
    Mas o problema não se restringe ao governador de plantão. Aqueles que deveriam assessorá-lo nesta área – o Secretário da Segurança Pública, o Delegado Geral de Polícia e o Comandante Geral da Polícia Militar – parecem não ter qualquer interesse em mudar o “status quo”. Ou, pior, parecem também não fazer a menor idéia do que seja a Polícia Civil, quais os seus objetivos e como conseguir implementá-los. Se fazem essa idéia, deixam que interesses políticos superem o direito da população à Segurança Pública. Porque não é possível ser tão obtuso a ponto de se deixar a situação chegar ao ponto em que chegou, tendo interesse e condições para alterá-la, a não ser que os interesses sejam outros.

    Um outro ponto a ser analisado é a imensa quantidade de crimes cometidos no estado. Falta prevenção. Ou seja, a Polícia Militar também não cumpre com a sua obrigação de forma minimamente satisfatória. Não fosse esse o caso, não aconteceriam tantos crimes.

    Não tenho conhecimento suficiente da instituição Polícia Militar do Estado de São Paulo para me aprofundar em qualquer análise dos motivos que tornam a sua atuação inadequada, mas sei que da mesma forma que recursos da Polícia Civil são desviados para executar funções afetas à Polícia Militar, recursos da Polícia Militar são desviados na tentativa de execução de funções afetas à Polícia Civil. Os famosos P2, por exemplo. Querem fazer investigação. Atrapalham o serviço da Polícia Civil. Mas é só o que sei.

    Se somarmos a tudo isso a legislação que, na prática, dificulta muito o nosso trabalho, e o fator cultural que os sucessivos governos conseguiram nos impingir: tolerância quase total com os crimes “de menor poder ofensivo” – totalmente o oposto da tolerância zero, de Nova Iorque – e que registrar ou investigar certos tipos de crime não vale a pena, é perda de tempo…está instalado o caos.

    Rubem Alves diz que um país melhor se constrói com um sonho e inteligência. Eu digo que um país melhor se constrói com um sonho, inteligência, honestidade, caráter, vontade e sem politicagem barata.

    Flávio Lapa Claro
    Investigador de Polícia
    DAS/DEIC

    Curtir

  3. OiYes 16 janeiro, 2009 às 6:52 pm

    Na verdade quem sai mais prejudicado com isto é ele mesmo… Só gerou curiosidade para visitarem o tal blog e acabou piorando sua imagem.

    Curtir

  4. Milena 5 março, 2009 às 2:47 pm

    Mais uma vez o senhor governador José Serra está deixando a desejar na área da educação. Um exemplo bem claro é o tal do Bônus que em vez de liberar logo para os professores fica dando prazos errôneos. E deixando os coitados na espera. (tudo isso é falta de pensar mesmo, pois creio que estimularia o professor a trabalhar com mais desempenho e não a situação salarial que se encontra.)
    Eu me questiono será que ele tem raiva dos professores.

    Curtir

  5. arthur 6 março, 2009 às 10:26 am

    oi, tudo bém com o senhor ?? eu espero que sim, eu tenho um trabalho sobre vc, será que vc pode mim fala quais são as suas funções ????

    Curtir

  6. Flávio Lapa Claro 18 março, 2009 às 10:44 am

    Finalmente SERRA descobre tática do PT

    Não foi falta de aviso. Já no final do ano passado tentei alertá-lo do problema, com um artigo publicado no blog antigo (http://otira.wordpress.com), denominado Cargos de confiança, mas me parece que o patrão não acreditou em mim.

    Desde sempre ficou muito claro que o ex-secretário Marzagão lançava mãos de todos os meios ao seu alcance para desacreditar o governo tucano em São Paulo.

    Conseguiu transformar a Segurança Pública em um caos total. Claro que não o fez sozinho, o desmonte do aparato policial começou já faz tempo. Fleury (PMDB) deu o pontapé inicial, quando determinou a caracterização de todas as viaturas da Polícia Civil, proibindo, na prática, qualquer possibilidade de sua utilização para os fins a que se destinavam, ou seja, a apuração das infrações penais. Aí começou o reinado dos tucanos, veio o Covas (PSDB), de triste memória, que, entre outros absurdos, extinguiu o DEIC; o Alckmin e, finalmente, o patrão.

    Mas foi só com o advento Marzagão que a coisa tomou tamanho vulto.
    RARAMENTE APARECIA. QUANDO O FAZIA, DEMONSTRAVA SER O MELHOR CABO ELEITORAL DO PT, TAMANHOS OS ABSURDOS QUE DECLARAVA PUBLICAMENTE, SEM QUALQUER PEJO.

    Em quase 22 anos de Polícia, e aos 50 anos de idade, NUNCA IMAGINEI que o aparato policial do Estado mais rico do Brasil pudesse se tornar tão impotente frente à criminalidade. Praticamente inexistente.
    NUNCA IMAGINEI que quase a totalidade dos Policiais Civis pudessem se arrepender da escolha que, com tanto orgulho, um dia fizeram, se tornando profissionais da Segurança Pública, mais especificamente da Polícia Civil.
    NUNCA IMAGINEI que um dia EU passasse a odiar o momento de ir para a delegacia, e durante o cumprimento das minhas obrigações profissionais não pensasse em outra coisa a não ser no término do expediente.
    NUNCA IMAGINEI ver os policiais da Divisão Antisequestro tão desanimados a ponto de tratarem um caso de sequestro simplesmente como “mais um caso para encher o saco”, ao invés do habitual “VAMOS SOLTAR A VÍTIMA E PRENDER ESSES FILHOS DA PUTA” (mãe, desculpe o palavreado).
    NUNCA IMAGINEI TANTA CORRUPÇÃO, INCOMPETÊNCIA E INVERSÃO DE VALORES na instituição da qual um dia me orgulhei em fazer parte.

    Marzagão conseguiu.

    A tática do PT funcionou perfeitamente. Demonstrou com muita clareza a importância que o patrão dá para as obrigações primordiais do ESTADO, ou seja, EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA, deixando o zero dois por tanto tempo comandando a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, com toda a sua ignorância do que seja Polícia, sua incapacidade de prover segurança para o Cidadão paulista e seu total desinteresse em combater sériamente a corrupção que se instalou nas instituições policiais do estado.

    Agora, patrão, o estrago já está feito. NÃO FOI FALTA DE AVISAR. Mas, como sempre, os senhores políticos nunca consultam aqueles que trabalham com o assunto em pauta, que sabem o que acontece em seu trabalho. Preferem sempre aquilo que imaginam que possa dar mais votos. Pois bem…nesse caso, não só não funcionou como provocou o efeito inverso.

    Espero que sirva de lição.

    QUE DEUS NOS PROTEJA EM 2010, impedindo qualquer possibilidade do PSDB conseguir qualquer cargo eletivo em qualquer nível.

    Flávio Lapa Claro
    Investigador de Polícia
    DAS/DEIC

    Curtir

  7. Denise Helena Stonis dos Santos 29 março, 2009 às 7:39 am

    Não sei se seria o lugar correto de pedir isto, mas vou tentar. Sou professora act e trabalho no estado há dez anos. No ano de 2005 comecei a ganhar o bônus também, pois tinha vinculo, estava em outra de. Agora estou em outra. Oano passado não recebi, mas nossa escola não tirou uma nota muito boa. Este ano aparentemente não tem nada na minha conta, a nossa escola superou a espctativa do idesp, foi a primeira nota da DE. Porque então eu não recebi novamente.

    Curtir

  8. aparecida leandro 3 abril, 2009 às 1:36 pm

    querido governador ao meio tantos roubos na politica
    eu admiro o senhor sei que luta por sao paulo e faz o o que pode, mais eu quero pedir tal que talves nao esteja na area ,,mais devia invetar uma lei igual a pensao alimenticia sobre os cheques sem fundo quem
    desse um cheque sem fundo tem que pagar de emediato
    senao vai pra cadeia porque hoje nao da mais pra aceitar cheques sem conhecer as pessoas e isso no mercado atrapalha ninguem tem responsabilidade sobre cheque eles volta e ninguem vem pagar porque nao tem lei que os obriga fico no aguardo abraços

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: