Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 11 maio, 2010

INTERNET BANDA LARGA É O GRANDE NÓ DA INFRAESTRUTURA E DA DEMOCRACIA DO BRASIL

Teles querem manter o apagão da internet no Brasil

As grandes empresas de telecomunicações, que oferecem uma internet banda estreita e cara, ameaçam entrar na Justiça para tentar impedir que o governo crie uma estrutura que permita acesso à internet para um grande número de brasileiros e que haja capitalismo e competição no setor.

Todos os países do mundo estão realizando grandes investimentos em internet para que a população tenha acesso com qualidade e barato. Esse vai ser o diferencial competitivo das próximas décadas. Mas não só isso, a internet banda larga é uma grande oportunidade para se diminuir o oligopólio dos meios de comunicação e permitir uma pluralidade de vozes. Isso porque cada vez mais a internet ganha audiência em detrimento da televisão, que foi o grande concentrador de poder comunicacional das últimas décadas.

O objetivo das Teles, criadas durante o governo FHC com monopólio em regiões do país, é entrar na Justiça alegando inconstitucionalidade e levar a discussão para o Congresso, onde o lobby pode ser praticado e o processo emperrado. É uma forma de deixar o Brasil às escuras.

Leia matéria do Vermelho:

Com saudades de FHC, empresas privadas querem barrar banda larga

Beneficiadas pelo escandaloso processo de privatização conduzido pelo governo FHC e com saudades do neoliberalismo tucano, as grandes empresas privadas de telecomunicações estão em campanha contra a Telebrás e o plano do governo Lula para universalizar o acesso à banda larga.

Após a divulgação pelo Planalto do Plano Nacional de Banda Larga, as empresas de telefonia cogitam recorrer à Justiça para tentar impedir a Telebrás de oferecer internet rápida a usuários finais.

Oligopólio

Segundo executivos ouvidos ontem pelo jornal “Folha de São Paulo”, a reativação da Telebrás uniu tradicionais concorrentes, como Embratel, Oi, Telefônica e GVT, que se sentem igualmente ameaçadas pela perspectiva de terem concorrência estatal no segmento de banda larga. A união sugere a existência de um oligopólio que dita os preços (altíssimos) cobrados pelos serviços de banda larga no mercado. Saiba mais

%d blogueiros gostam disto: