Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

SOU CAPITALISTA, MAS NÃO SOU IDIOTA

Microconto – Ficção

Estou farto de farsantes. Eu sou capitalista, mas não sou idiota. Sim, acham que me iludo com essas assombrações do passado, com um medo infinito de um comunismo cego e autoritário como na China, onde os amigos do rei se tornam capitalistas. Sou um capitalista, mas não temo pela democracia.

Não me venham com fantasmas fascistas, nazistas, integralistas, monarquistas e outras tradições obscurantistas. Esse é o capitalismo dos fracos, dos avaros, dos pobres de espírito dos pequenos intelectos, dos medrosos. Capitalismo é liberdade, não terrorismo ideológico, retrógrado, enrustido.

É certo que não sou um grande capitalista, apenas uma média empresa, alguns imóveis, mas não me sinto no mesmo barco de banqueiros, grandes empreiteiros, grandes empresários. Tenho meus interesses e esses interesses não são os mesmos dos que querem definir seus negócios pela política, pelas mamas governamentais. Esses são os falsos capitalistas, os sugadores do Estado.

Meus negócios não são licitações, mas consumo, consumo de um povo e meu negócio precisa de um povo, de pessoas capazes de comprar o que distribuo. Preciso de salário e preciso de uma grande massa de consumidores, de pessoas que tenham casas, comida e algum dinheiro para comprar meus produtos.

Gosto de viver bem e de ter liberdade, liberdade de sonhar um empreendimento, não liberdade de ser submetido a fantasias da ultra-direita, que pensa apenas em diminuir os impostos dos mais ricos e taxar os pequenos empresários, dos que impedem todos os avanços de uma relação tributária mais justa e que permita que pequenos empresários possam ser mais competitivos.

Quero um país que possa taxar as grandes fortunas e diminuir os impostos de materiais importantes para alimentação, educação e saúde.  Por isso, não me venham falar de comunismo, estou farto. Aqui no Brasil nada tem o nome certo, os de nome de social-democrata são de extrema-direita, os de nome de trabalhador são social-democratas. Acertem os ponteiros, acertem os referentes, liguem o nome à coisa e não o nome à fantasia da coisa. Vamos dar o nome aos bois, aos fascistas, aos capitalistas, aos trabalhadores, vamos dar nome de mercado ao mercado, de capital ao capital, de imposto ao imposto.

Estou farto de tantos signos que não morrem, que renascem para ser meu representante sem ter voto algum, apareçam, surjam na sua cara mais feia e suja, mostrem a sua miséria, a sua dor. Não me representem. Estou farto. Já não bastaram as torturas, as mortes, o sangue interminável dos anos da ditadura.  Estou farto dos delinquentes que querem me representar e defender o meu dinheiro. Sei… Querem é manter o apartheid a ferro e fogo. Não preciso de vocês. Estou farto de farsantes.

Leia mais em Educação Política:

HOMENS E MULHERES ME DISPUTAM E ISSO ME IRRITA

LÁGRIMAS NO CANTEIRO
A BICICLETA
O ASNO MOTORISTA 1

14 Respostas para “SOU CAPITALISTA, MAS NÃO SOU IDIOTA

  1. Sheila 1 novembro, 2010 às 4:10 pm

    Glauco, preciso de ajuda para um trabalho e como você é professor e pesquisador, o que você sabe sobre o tema: ” O imposto sobre grandes e pequenas fortunas” Quero saber porque o pequeno poupador vai sair prejudicado? A 3% por ano, em 30 anos o seu patrimônio será do Estado? O que significa que daqui 20 anos toda nossa classe média será pobre novamente?

    Curtir

    • glaucocortez 1 novembro, 2010 às 4:45 pm

      Prezada Sheila,
      Acho bom vc falar com um economista.
      Abraços

      Curtir

    • Chico Cerrito 1 novembro, 2010 às 6:10 pm

      Não existe isso de imposto sobre grandes e pequenas fortunas, existem vagas proposições apenas e somente sobre grandes fortunas, de onde tirou isso de pequenas fortunas?
      Se é fortuna não pode ser pequena, isso é uma contradição de termos.
      Mas mesmo que fosse também sobre “pequenas” fortunas, a temerosa classe média da tia Regina pode ficar sem medo, calminha.
      Não seria afetada, ela não tem fortuna alguma, caso contrário não seria classe média.
      Essa proposição de taxar fortunas, acredito, refere-se principalmente a grandes heranças ou a capital improdutivo.

      Curtir

  2. Sheila 2 novembro, 2010 às 12:45 pm

    Glauco,perguntei para você porque faz parte do programa de governo da Dilma e isto deve assustar o povo brasileiro. Você defendeu tanto a ideologia do PT, sem saber o que era o plano de governo. Acredito por ser uma preferencia pessoal e não por ser um bem para todos os brasileiros. Este blog deveria discutir a “educação política” na íntegra.

    Curtir

    • agenciaeducapolitica 2 novembro, 2010 às 2:07 pm

      Sheila,
      Esse blog não defendeu em nenhum momento a “ideologia do PT”. Defendemos um Brasil melhor e mais justo.
      No comentário anterior, vc disse ter perguntado porque eu sou “professor e pesquisador”…
      Em todo caso, acredito que o imposto sobre grandes fortunas não “assusta o povo brasileiro”, ja que essa condição não faz parte da sua realidade .

      Curtir

  3. Sheila 2 novembro, 2010 às 3:07 pm

    Desculpe, achei que você tinha conhecimento sobre assunto, mas me enganei. Mas sobre fazer parte da minha realidade, gostaria que você procurasse saber pois faz parte da minha e da sua realidade.

    Curtir

  4. Chico Cerrito 2 novembro, 2010 às 3:52 pm

    Desculpem me meter onde não fui chamado, mas como entendo que este blog é também uma espécie de fórum, aberto a discussões (se estiver enganado por favor me informem), gostaria de acrescentar informações quanto ao citado imposto sobre grandes fortunas.

    É que esse imposto é previsto na própria Constituição Brasileira, em seu artigo 153, devendo sua regulamentação ser feita pelo Congresso Nacional:

    Art. 153 – Compete à União instituir impostos sobre:
    I – importação de produtos estrangeiros;
    II – exportação, para o exterior, de produtos nacionais ou nacionalizados;
    III – renda e proventos de qualquer natureza;
    IV – produtos industrializados;
    V – operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos ou valores mobiliários;
    VI – propriedade territorial rural;
    VII – grandes fortunas, nos termos de lei complementar

    (…)

    § 4º – O imposto previsto no inciso VI terá suas alíquotas fixadas de forma a desestimular a
    manutenção de propriedades improdutivas e não incidirá sobre pequenas glebas rurais, definidas
    em lei, quando as explore, só ou com sua família, o proprietário que não possua outro imóvel.

    A esse respeito existe no Câmara dos Deputados o Projeto de Lei Complementar – PLP nº 277 de 2008 de autoria da Deputada Luciana Genro – PSOL/RS, cuja última ação consta: “9/6/2010 – Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) – Aprovado por Unanimidade o Parecer.”

    fonte: http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=388149

    Curtir

  5. Sheila 2 novembro, 2010 às 9:36 pm

    Chico muito obrigada pela sua ajuda, mas na verdade era mais uma opinião para podermos trocar idéias e melhorar este tema na área política e para pensarmos um pouco como afetará a população de baixa e média renda. Enfim, temos outros grupos de discussões para isto. Mas agradeço imensamente sua predisposição.

    Curtir

    • Thalita Gallucci 3 novembro, 2010 às 9:48 am

      Não pude deixar de ler a discussão, e prezada Sheila acho (acho) que a recomendação do Glauco, de procurar um economista é porque “imposto sobre grandes fortunas” é dito com PROPRIEDADE por gente dessa area, já o professor e pesquisador deste blog é da area de COMUNICAÇÃO SOCIAL!! E como tal sabe muito bem que se deve ter responsabilidade para publicar algum tipo de informação!!!!

      Curtir

  6. Aff 2 fevereiro, 2011 às 2:28 pm

    Sheila “ja que essa condição não faz parte da sua realidade”, “SUA” se refere ao povo, que está como sujeito, e não à você.

    Curtir

  7. Emanuel Mello 26 março, 2011 às 10:50 pm

    Tudo depende. Se vc é rico e empresário ou herdeiro de um, realmente vc não é idiota, usa a necessidade da massa miserável brasileira e esquecida pelo Governo a seu prol, a seu individualismo e ganância. Agora, se vc é pobre, porém inteligente, que acredita no Capitalismo e usará sua inteligência para superar, pisar, atropelar seus concorrentes no mercado de trabalho, e ganhar muito dinheiro com isso, por consequência acabará esquecendo suas origens, se porventura se tornar empresário, porque vc acabará contribuindo com esse capitalismo escravista, escravizando assalariamente sua anterior classe social, classe proletariada. Por fim, porventura não está encaixado em nenhuma dessas situações; “burguês ou filho de um”, ou “jovem pobre, no entanto inteligente, que usará essa inteligência para atropelar todos no mercado de trabalho, ganhar muito dinheiro, e consequentemente se transformar em um apropriador de meios de produção, por seguinte, escravizar assalariamente sua anterior classe social, classe proletariada”. Se vc não estiver dentro desses termos… vc é um IDIOTA!

    Curtir

  8. emanuel mello 27 março, 2011 às 4:23 pm

    Você deveria temer mais as grandes indústrias que estão aniquilando os pequenos burgueses, que o Comunismo em si. Os grandes burgueses estão tomando todo para si, vocês pequenos empreendedores estão com os dias contados, porque a globalização junto com grandes empresários que mamam nas tetas governamentais vão ficar com tudo e porseguinte, cavar sua própria cova. Assim aumentando o desemprego, salários cada vez mais miseráveis, globalização importando trabalho!!! O capitalismo cometerá suicídio, o comunismo apenas preparará o funeral. Vocês empreendedores acham que vocês foram encarregados de resolverem problemas sociais, no entanto falo isso para vós; “Não precisamos de vocês, seus falsos pregadores da liberdade, que na prática, beneficia apenas seus interesses mesquinhos e gananciosos!!!”
    A propriedade privada é um roubo, vocês tomaram pra si algo que é da natureza, é de todos, quem lhes deu esse direito de propriedade?! A resposta é óbvia, criaram uma CONSTITUIÇÃO ELITISTA e CAPITALISTA, onde os ignorantes e ingênuos cidadãos trabalhadores acham que os beneficiam, confiam nessa hipocrisia, e no final surge o LIBERIALISMO, que só seus interesses mesquinhos valem.
    Observação; A ditadura militar nada tem a ver com o Comunismo, tanto que a burguesia continuou a explorar os miseráveis trabalhadores e ganhar em conta disso, lógico, só o dinheiro importa para vocês, com certeza não fazem o trabalho empreendedor para o bem comum. O capital tomou tal corpo na existência dos burgueses, que o produto ganhou mais valor do que o ser humano.
    Vejo seu medo diante do Comunismo, lógico, o Comunismo não luta em prol dos injustos e sim dos justos oprimidos. O comunismo ainda vive, junto com a esperança de um mundo melhor!!! Confio na teoria científica de Marx, até aqui a prática não obteve êxito, por obter líderes estultos em sua liderança.
    O capitalismo morrerá, junto com sonhos de egoístas que pretendem lucrar às custas da miséria do povo, sendo que o povo trabalhador que gera as riquezas para vocês desviarem a grande maioria para seus bolsos. Você quer que o povo consuma, no entanto não está nem aí para os que não têem dinheiro para consumir.
    O capitalismo deixou de ser humano há muito tempo!!!
    Viva o Comunismo!!!

    Curtir

  9. Larissa Ribeiro 7 fevereiro, 2012 às 1:25 pm

    se eu sou capitalista qual é a minha preferência política? Obrigada.

    Curtir

  10. Pingback: A PRINCESA TRISTE E O PRÍNCIPE PALHAÇO « Educação Política

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: