Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 2 janeiro, 2011

PESQUISADORA É PERSEGUIDA APÓS DIVULGAR RELATÓRIO COM IRREGULARIDADES EM OBRA DO EMPRESÁRIO EIKE BATISTA

Unidade da Embrapa no Pantanal serve a interesses de grandes empresários e esquece as causas ambientais

No Brasil dos interesses políticos e econômicos torna-se muito difícil agir com ética, responsabilidade e compromisso social sem sofrer qualquer espécie de punição ou represália. Esse pensamento traduz muito bem o caso da pesquisadora da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) -Unidade Pantanal (MS) com 20 anos de profissão, Débora Fernandes Calheiros, divulgado pelo Brasil de Fato.

Débora afirma estar sendo perseguida devido a um parecer técnico emitido por ela apontando irregularidades e impactos ambientais provenientes de uma obra patrocinada pelo grupo EBX, do empresário Eike Batista, no polo siderúrgico de Corumbá (MS).

Desde então, Débora, que estava apenas cumprindo seu trabalho, foi afastada de diversas atividades importantes como a participação na comissão do Conselho Nacional de Recursos Hídricos que discutia com o Ministério do Meio Ambiente assuntos relacionados à construção de 116 hidrelétricas previstas para a bacia do Alto Paraguai, projeto que, segundo a pesquisadora, iria afetar o funcionamento hidroecológico do Pantanal Matogrossense, a pesca e o turismo de pesca, que são atividades econômicas e de subsistência das comunidades ribeirinhas.

Neste caso, fica claro a lógica de interesses que rege a realidade brasileira. Funcionários competentes que trabalham em prol da sociedade e da preservação do meio ambiente vão sendo sutilmente silenciados até que sejam completamente apagados e não representem mais uma ameaça aos interesses dos grandes empresários e capitalistas que nunca se preocuparam com a população ou o meio ambiente e tampouco passarão um dia a se preocupar.

Este é o país que prefere silenciar a ética e premiar a falta de compromisso público. Assim vamos caminhando para uma situação de total inversão de valores, onde defender a verdade e uma causa justa tem um custo cada vez mais alto. No entanto, mesmo custando caro, essa atitude é a única que realmente compensa!

Leia mais em Educação Política:

PESQUISADORES DERRUBAM MITOS EM TORNO DA PROIBIÇÃO DO USO DO AMIANTO E MOSTRAM OS BENEFÍCIOS QUE ELA PODE TRAZER
COP-16 COMEÇA MORNA EM CANCUN E APONTA PARA UM CENÁRIO PREOCUPANTE EM RELAÇÃO AOS PROBLEMAS AMBIENTAIS
REALIDADE DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA DESMENTE SERRA
FALTA SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS DAS TVS E TELEFONES



%d blogueiros gostam disto: