Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 28 maio, 2011

AUMENTA O NÚMERO DE DESASTRES NATURAIS E A POPULAÇÃO POBRE CONTINUA NO EPICENTRO DA QUESTÃO

Cenas que se tornam cada vez mais frequentes ao redor do mundo

Um estudo da organização humanitária britânica Oxfam revelou que o número de desastres naturais registrado anualmente nos países mais pobres do mundo mais que triplicou desde 1980, como mostra notícia publicada pela Agência Brasil. Fenômenos como terremotos, furacões e erupções vulcânicas praticamente permanceram constantes, o aumento se deu mais em relação ao número de enchentes e tempestades.

Sem dúvida, uma das razões apontadas para o aumento das tempestades foi as mudanças climáticas, por isso, a previsão é de que a situação se agrave no futuro. Em todo esse processo, a população mais atingida é a de baixa renda, isso porque os países mais pobres se tornam mais vulneráveis devido à falta de investimentos na prevenção de desastres, à má administração, dentre outras peculiaridades que fazem com que as tempestades causem ostensivos desastres nestes locais do mundo.

No entanto, cada vez mais pessoas estão na mira dos desastres naturais e, se as coisas continuarem como estão, a tendência é que poucos escapem das tempestades que ainda vêm por aí. Por isso, o mais importante é rever as posições diante das mudanças climáticas e, principalmente, trabalhar no sentido de reduzir a pobreza, caso contrário, as consequências serão de fato trágicas.

Veja trecho de notícia sobre o assunto publicada pela Agência Brasil:

Número de desastres naturais triplicou desde 1980, diz ONG britânica
Da BBC Brasil

Brasília – O número de desastres naturais registrado anualmente nos países mais pobres do mundo mais que triplicou desde 1980, de acordo com um estudo da organização humanitária britânica Oxfam. Segundo a organização, a média de desastres anuais passou de 133 para 350, nas últimos três décadas, com base em dados de 140 países.

A análise concluiu que enquanto a ocorrência de desastres relacionados a eventos geofísicos – como terremotos, furacões e erupções vulcânicas – permaneceu praticamente constante, as catástrofes provocadas por enchentes e tempestades cresceram significativamente.

O resultado se deve principalmente ao aumento dramático do número de enchentes em todas as regiões do planeta e, em menor grau, à ocorrência de mais tempestades na África e nas Américas do Sul e Central. Steve Jennings, autor do estudo, afirmou que uma das razões do crescimento foi o impacto das mudanças climáticas.

“Desastres ligados ao clima estão se tornando cada vez mais comuns e a situação deve se agravar no futuro à medida que as mudanças climáticas intensificam ainda mais as catástrofes naturais”, afirmou Jennings. “Mas é preciso deixar claro que não há nada de natural no fato de as pessoas pobres estarem na linha de frente das mudanças climáticas. Pobreza, má administração, investimentos precários em prevenção de desastres – tudo isso as deixa mais vulneráveis.” (Texto completo)

Leia mais em Educação Política:

NA SOCIEDADE DO CULTO AO DESCARTÁVEL, QUANTIDADE DE LIXO AUMENTA MAIS QUE CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO
ELETRICIDADE DE GARAPA: CALDO DE CANA JÁ PODE SER UTILIZADO PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA
ATENÇÃO: MUDANÇAS PREVISTAS NO CÓDIGO FLORESTAL PODEM TRAZER PREJUÍZOS PARA O MEIO AMBIENTE E AMEAÇAR O BEM-ESTAR SOCIAL
BANDEIRAS CONTEMPORÂNEAS: DESMATAMENTO ILEGAL ATINJE COMUNIDADES INDÍGENAS ISOLADAS NO INTERIOR DA FLORESTA AMAZÔNICA


%d blogueiros gostam disto: