Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 6 setembro, 2011

MAIS DE 400 MIL ISRAELENSES SAEM ÀS RUAS PEDINDO JUSTIÇA SOCIAL E MUDANÇAS NA POLÍTICA ECONÔMICA DO PAÍS

Nos cartazes empunhados pela multidão nas ruas frases como "O poder do povo" e "Queremos justiça social"

Onda de protestos por democracia, mais oportunidades e justiça social chega à Israel e faz seus indignados! No Oriente Médio, as manifestações se voltam para a política neoliberal do ministro Benjamín Netanyahu.

Da Carta Maior

Mais de 400 mil saem às ruas pedindo justiça social em Israel
Tradução por Marco Aurélio Weissheimer

Milhares de israelenses se mobilizaram neste sábado e saíram às ruas centrais de várias cidades exigindo mudanças na política econômica do governo Netanyahu. A maior manifestação ocorreu em Tel Aviv, onde cerca de 300 mil pessoas se reuniram na praça Kikar Hamedida, no centro da cidade. Os manifestantes levavam cartazes e faixas com o slogan “O poder do povo” ou com mensagens para o primeiro ministro “Bibi Netanyahu, vá para casa”, e gritavam consignas como “Queremos justiça social”.

Apesar do recrudescimento da situação em Gaza, milhares de israelenses se mobilizaram neste sábado e saíram às ruas centrais de várias cidades em defesa de reformas no sistema econômico e educacional, de uma mudança na legislação trabalhista e da baixa de custos para adquirir ou alugar uma moradia, produto da política neoliberal do ministro Benjamín Netanyahu.

Segundo os organizadores, mais de 450 mil pessoas participaram dos protestos – número superior as 300 mil que saíram às ruas no mês passado – naquela que foi considerada a maior manifestação da história de Israel por motivos não vinculados ao conflito no Oriente Médio.

Ainda que o cartaz de convocação da manifestação afirmasse, em um jogo de palavras, “Eles só entendem números”, os organizadores insistem que o êxito do protesto não deve ser medido unicamente pelo número de participantes. O ministro da Defesa, Ehud Barak, disse que só 100 mil pessoas participaram dos protestos.

A maior manifestação ocorreu em Tel Aviv, onde cerca de 300 mil pessoas se reuniram na praça Kikar Hamedida, no centro da cidade. Os manifestantes levavam cartazes e faixas com o slogan “O poder do povo” ou com mensagens para o primeiro ministro “Bibi Netanyahu, vá para casa”, e gritavam consignas como “Queremos justiça social”. (Texto completo)

Leia mais em Educação Política:

NA LÍBIA, REBELDES ASSUMEM CONTROLE DA CAPITAL DO PAÍS COM APOIO DA OTAN E AUMENTAM PRESSÃO SOBRE KHADAFI
A ONDA DE PROTESTOS QUE AVANÇA PELA INGLATERRA É CONSIDERADA A MAIS GRAVE DESDE A DÉCADA DE 1980
ESTUDANTES CHILENOS PEDEM MAIS INVESTIMENTO E MAIOR COMPROMETIMENTO DO ESTADO COM A EDUCAÇÃO
INDIGNADOS ACAMPAM EM MADRID E PROTESTAM CONTRA A ATUAL POLÍTICA SOCIOECONÔMICA ADOTADA PELOS PAÍSES EUROPEUS
%d blogueiros gostam disto: