Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 16 dezembro, 2011

GOVERNO DILMA PRETENDE IMPLANTAR POLÍTICA AMPLA DE COMBATE AO CRACK

Dilma no lançamento do Plano de Enfrentamento ao uso do Crack e outras Drogas

A presidente Dilma Rousseff anunciou na última segunda-feira (12/12), ao comentar o lançamento de um conjunto de ações para o enfrentamento ao crack, que a meta do governo é implantar uma política ampla de combate às drogas no país.

No espectro dos problemas sociais que atualmente se espalham pelo Brasil a questão das drogas, mais particularmente a do crack, produz cenas e realidades preocupantes e totalmente paradoxais para um país que hoje é a sétima economia do mundo e se diz cada vez mais democrático e no caminho do desenvolvimento.

O crack não faz vítimas apenas nas camadas inferiores da população, no entanto, ele serve como espelho do abismo da desigualdade social brasileira porque é nas classes mais baixas que ele faz os maiores estragos, produzindo imagens difíceis de acreditar.

O enfrentamento às drogas, no entanto, exige pensamento e postura de um país realmente desenvolvido que aprendeu a encarar as questões sociais como realmente sociais e não como mais um “caso de política”. A droga nunca deixou de ser um problema de saúde pública e deve ser encarada como tal.

Pensando nisso, a proposta da presidente Dilma é que seja criada “uma rede integrada que atue em três frentes: garantir o cuidado e o tratamento para dependentes químicos; reprimir o tráfico e o crime organizado; e educar jovens para prevenir o contato com as drogas”, como mostra notícia publicada pela Agência Brasil.

A ampliação das unidades públicas de acolhimento para usuários no Sistema Único de Saúde (SUS) também está em vista. A expectativa é chegar a 574 unidades até 2014, por meio de parcerias com instituições privadas e comunidades terapêuticas. O atendimento nos centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) também deve ser ampliado para 24 horas, de modo que a assitência ao usuário em processo de recuperação possa ser dada em tempo integral.

Veja trecho de notícia sobre o assunto:

Meta é implantar política ampla, moderna e corajosa, diz presidenta sobre plano de combate ao crack
Por Paula Laboissière

Brasília – Ao comentar o lançamento de um conjunto de ações para o enfrentamento ao crack na semana passada, a presidenta Dilma Rousseff disse hoje (12) que a meta do governo é implantar uma política ampla, moderna e corajosa de combate às drogas.

No programa semanal de rádio Café com a Presidenta, ela lembrou que R$ 4 bilhões serão investidos até 2014 em uma rede integrada que atue em três frentes: garantir o cuidado e o tratamento para dependentes químicos; reprimir o tráfico e o crime organizado; e educar jovens para prevenir o contato com as drogas.

Segundo Dilma, o país conta atualmente com 26 unidades públicas de acolhimento para usuários no Sistema Único de Saúde (SUS). A expectativa é chegar a 574 unidades até 2014, por meio de parcerias com instituições privadas e comunidades terapêuticas.

“Para receber recursos do governo, essas instituições terão que seguir as novas normas da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] relativas à higiene do ambiente, ao atendimento e, principalmente, ao respeito aos direitos humanos e à manutenção do contato dos pacientes com a família”, explicou. (Texto completo)

Leia mais em Educação Política:

SEGUNDO LEVANTAMENTO DA ALESP, CRACK JÁ É A SEGUNDA DROGA MAIS CONSUMIDA DO ESTADO, FICANDO ATRÁS APENAS DO ÁLCOOL
SAÚDE DA MULHER: HISTÓRICAS CONDIÇÕES DE DESIGUALDADE INTERFEREM NO ATENDIMENTO DA MULHER PELO SUS
DADOS REVELAM DISPARIDADE REGIONAL NA TRANSMISSÃO DE MÃE PARA FILHO DO VÍRUS HIV
BRASIL OCUPA A 72º POSIÇÃO NO RANKING DA OMS DE GASTO PER CAPITA EM SAÚDE. LÍDERES DO RANKING GASTAM 20 VEZES MAIS
%d blogueiros gostam disto: