Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 3 junho, 2012

LEON TOLSTÓI EM SENHOR E SERVO: AS GALINHAS E OS GALOS CACAREJARAM ABORRECIDOS

“Vassili Andrêitch entrou na casa com o velho, enquanto Nikita conduzia o trenó pelo portão aberto por Petrúchka e, por indicação do rapaz, fazia o cavalo entrar debaixo do telheiro. A dugá alta roçou no poleiro, no qual as galinhas e o galo, já acomodados, se alvoroçaram e começaram a cacarejar, aborrecidos. As ovelhas perturbadas precipitaram-se para um lado, pisoteando com os cascos o esterco congelado do chão. E o cachorro, assustado e raivoso, gania e latia freneticamente para o intruso.

Nikita conversou com todos: desculpou-se perante as galinhas, tranquilizou-as, garantindo que não as perturbaria mais; censurou as ovelhas por serem tão assustadiças sem saberem por quê, e ficou acalmando o cachorro durante o tempo todo que levou amarrando o cavalo”.

(Leon Tolstói, em Senhor e Servo, editora LPM)

Leia mais em Educação Politica:

ESQUEÇAM OS PIRATAS: O DIREITO AUTORAL, COMO EXISTE HOJE, VAI ACABAR E NÃO SERÁ A PIRATARIA QUE VAI DESTRUÍ-LO
PINA, DE WIN WENDERS, EXPÕE NA ARTE DA DANÇA UMA ALEMANHA AFETIVA E HETEROGÊNEA EM CORES E RAÇAS
AI SE EU TE PEGO: PIRATARIA É SE APROPRIAR DE BENS CULTURAIS DA HUMANIDADE E COBRAR DIREITO AUTORAL
A LÓGICA DO LUCRO E DO AMOR NO DIREITO AUTORAL

EM ZABRISKIE POINT, DE ANTONIONI, A IMAGINAÇÃO DE UMA EXPLOSÃO SURGE COMO UMA METÁFORA DA VIDA

Em Zabriskie Point, clássico de Michelangelo Antonioni, desenha-se ao longo do filme a oposição entre momentos e sentimentos simples e realmente essenciais, representados de forma belíssima, e a futilidade de certas coisas e pessoas do cotidiano que convivem conosco e são incapazes de ver além delas mesmas.

Uma das personagens do filme, Daria, sofrendo pela morte de um recente, curto e de todas as formas intenso amor, ao ser posta diante de um mundo frívolo e tão distante de tudo que ela sentia, imagina uma explosão, onde tudo simplesmente se desintegra nos ares e deixa de existir. Um sutil sorriso se desenha no rosto de Daria no fim desta cena bela pelos efeitos visuais e pela forte linguagem musical, mostrando quão frágil é tudo aquilo que se considera tão sólido.

A cena não deixa de ser uma grande metáfora da vida, sempre prestes a se desfazer no ar, com todos os seus livros, com todoas as suas roupas…De tudo parece só restar o real sentido do amor.

Veja mais em Educação Política:

EM “O AMOR NATURAL”, DRUMMOND CONSTRÓI POEMAS DE CUNHO ERÓTICO QUE NÃO FALAM DE OUTRA COISA SENÃO DA RARA MÁGICA ENTRE CORPO E ALMA
23 ANOS DEPOIS QUE A REVISTA VEJA ZOMBOU DE CAZUZA, É ELA QUEM PARECE AGONIZAR EM PRAÇA PÚBLICA
BERTOLT BRECHT: OS DIAS DO TEU CATIVEIRO ESTÃO CONTADOS, TALVEZ MESMO OS MINUTOS
DANÇA E MÚSICA: NEW YORK CITY BALLET INTERPRETA AGON, COM MÚSICA DE IGOR STRAVINSKY E COREOGRAFIA DE GEORGE BALANCHINE
%d blogueiros gostam disto: