Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

UBUNTU: COMO UMA DE NÓS PODERIA ESTAR FELIZ SE TODAS AS OUTRAS ESTIVESSEM TRISTES?

A jornalista e filósofa Lia Diskin, no Festival Mundial da Paz em Florianópolis (2006), nos presenteou com um caso de uma tribo na África chamada Ubuntu. Ela contou que um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta pra casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria catequizar os membros da tribo,  então, propôs uma brincadeira para as crianças, que achou ser inofensiva.

Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, colocou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e deixou o cesto debaixo de uma árvore. Chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse “já!”, elas deveriam sair correndo até o cesto e, a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.

As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse “Já!”, instantaneamente todas as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.

O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou porque elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.

Elas simplesmente responderam: “Ubuntu, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?”

Ele ficou de cara! Meses e meses trabalhando nisso, estudando a tribo, e ainda não havia compreendido, de verdade, a essência daquele povo. Ou jamais teria proposto uma competição, certo?

Ubuntu significa: “sou o que sou pelo que NÓS SOMOS !”

Atente para o detalhe: pelo que SOMOS, não pelo que temos…

UBUNTU PRA VOCÊ

(vi no FPE)

Leia mais em Educação Política:

VIVEMOS UMA DIÁSPORA DE CONVICÇÕES E SOMOS DIRECIONADOS PELA MÍDIA, DIZ FILÓSOFO OSWALDO GIACÓIA JR
PAULO FREIRE: SOU PROFESSOR A FAVOR DA LUTA CONSTANTE CONTRA QUALQUER FORMA DE DISCRIMINAÇÃO E CONTRA A DOMINAÇÃO ECONÔMICA
TORCEDOR
10% DO PIB NA EDUCAÇÃO NÃO RESOLVE SE DINHEIRO FOR PARA AS EMPREITEIRAS E NÃO PARA OS PROFESSORES E ALUNOS

5 Respostas para “UBUNTU: COMO UMA DE NÓS PODERIA ESTAR FELIZ SE TODAS AS OUTRAS ESTIVESSEM TRISTES?

  1. Pingback: MICHEL PLON: A PSICANÁLISE É SUBVERSIVA E INCOMPATÍVEL COMO OS REGIMES TOTALITÁRIOS, MAS AS DEMOCRACIAS A TOLERAM « Educação Política

  2. Pingback: Justiça restaurativa | Ani Dabar

  3. philgeland 15 dezembro, 2012 às 6:51 pm

    Posso deduzir que você está usando o sistema? Parece que sim.
    O que você acha dele?

    Curtir

    • glaucocortez 15 dezembro, 2012 às 10:12 pm

      Peter, realmente eu uso. Há uns cinco anos tenho tentado usar Ubuntu, mas ele sempre dava problema com a conexão da internet. Fiquei um tempo sem usar. Aí eu mesmo resolvi pesquisar na internet e ver soluções. E deu certo. Há alguns meses baixei a última versão e está ótima, sem problema até agora.
      Normalmente é rápido é muito bom, além de trazer uma biblioteca com centenas de programas gratuitos que podem ser baixados.

      Curtir

      • philgeland 20 dezembro, 2012 às 4:19 pm

        Eu também uso, faz alguns anos. Embora experimentei outras distribuições do Linux, sempre “voltei” para a criação do Mr. Shuttleworth. Quanto a conexão, parece que você está usando PPPoE, certo? Se for assim, entendo muito bem que você precisava pesquisar.

        Seja como for, o sistema é ótimo. Um boa opção. Não sinto falta do Windows.

        Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: