Categorias
ESTADO DA ARTE

ESTA IMAGEM OU ARTE DE BANKSY, O ARTISTA DE RUA BRITÂNICO, VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS

Veja mais em Educação Política:

Por glaucocortez

Blog Educação Política

14 respostas em “ESTA IMAGEM OU ARTE DE BANKSY, O ARTISTA DE RUA BRITÂNICO, VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS”

Poderíamos colocar os ícones do capitalismo de um lado e, do outro, os do socialismo.
Seria uma imagem 100% justa, mas não apenas 50%; Pol Pot, Lenin, Stalin, Mao, dentre outros, todos de mãos dadas em favor do genocídio de tantos inocentemente explorados.

Curtir

Embora acho duvidoso comparar Lenin com Stalin e Pol Pot, entendo muito bem o que você quis dizer. Bansky, porém, simplesmente se referiu ao “lado negro” do sistema no qual vivemos atualmente. Só isso.

Curtir

Isso, Philgeland! Foi apenas uma provocação para instigar à reflexão sobre problema ser o sistema econômico ou os homens que estão à frente dele.
Ao final, independentemente da etiqueta “socialista” ou “capitalista” de sua veste, todos são exímios exploradores, em busca do mesmo lucro; não conheço um país capitalista em que haja justo alçance e fruição (mas não distribuição) das riquezas, do mesmo modo em relação aos governos que se diziam socialistas, mas apenas implantaram sistema em que um grupo seleto de generais (verdadeiramente capitalistas) se apropriavam das riquezas do povo, enquanto este era relegado ao menoscabo.
Vivemos em um mundo polarizado, dualista (claro-escuro, masculino-feminino, direita-esquerda, petiasta-tucano, “velha mídia”-“nova velha mídia”), sendo que deveríamos enxergar nossas semelhanças e defeitos comuns, buscando a correção conjunta, em vez de colocarmos a venda e a mordaça petista ou tucana e seguirmos como verdadeiros zumbis.

Curtir

Bom, em essa, à época, criança, sofrendo as agruras da terrível napalm bomb americana, durante a guerra do Vietnã, com queimaduras extremamente dolorosas, ela nem tem tempo de pensar como um zumbi, seja de “direita”, seja de “esquerda”

Curtir

Bom, “hoje” , a vietnamita Kim Phuc conta 49 anos anos de vida (tinha 09 quando vítima da Napalm Bomb americana).

Ainda possui cicatrizes, após 17 cirurgias plásticas reparadoras, as cicatrizes psicológicas, na fala dela, tendo sido amainada após conversão à fé cristã, julgando a fotografia enquanto imagem poderosa para a mudança de consciência no mundo, acerca da guerra.

E, Findada a vergonhosa guerra do Vietnã (http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,foto-da-menina-do-napalm-completa-40-anos-de-historia,883926,0.htm):

“(…) foi convidada pelo Governo comunista do país para diversas campanhas. Após criar uma boa relação com as autoridades, a jovem conseguiu uma permissão para estudar em Cuba, onde aprendeu um pouco de espanhol e conheceu seu marido.

Em 1992, quando voltava de uma viagem de Moscou para Havana, Phuc aproveitou uma escala de seu avião no Canadá para pedir asilo político.

Há 15 anos é embaixadora de Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).”

Curtir

Rodrigo, obrigado pela informação, é bem interessante.
Aliás, eu me referí à situação das crianças de hoje
que também sofrem por causa das guerras atuais
e por causa da desigualdade social que permanece a
mesma – se ela até não piorou.

Curtir

Com toda certeza que a situação não é diversa.
Basta ver a situação de “crianças soldados” em diversos países africanos. Países nos quais são abandonados armamentos americanos, israelenses, chineses, da URSS e ex “repúblicas” soviéticas, sendo então usados em guerras civis.
A situação de crianças amputadas por minas terrestres abandonadas, na África e Bálcãs (há denúncia datada de 2011 no sentido de o Brasil ainda as produzir – http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/politica/brasil-e-o-pais-com-mais-minas-terrestres-do-mundo/).
Nessa luta por “poder” e dinheiro, os mais pobres são sempre a massa de manobra e as maiores vítimas.

Curtir

Eu já tinha visto essa imagem aqui essa semana e, hoje, ao abrir a prova de Semiologia dos meios, eu me deparei com ela em uma questão que pedia uma crítica sobre um livro lançado esse mês que traz este e outros trabalhos de Banksy .

Curtir

Eu acho que ela é bem pesada por trazer aquela criança tão desesperada (e que me parece estar desnutrida) ao lado de dois símbolos que ironicamente nos remetem à infância e também ao Capitalismo, pois enquanto a criança sofre, Ronald Mcdonald e Mickey Mouse aparecem bem felizes e saudáveis.
Entretanto, é importante que exista esse tipo de imagem para que a gente não se esqueça de que enquanto estamos reclamando de nossas vidas, muitas pessoas estão em situações bem piores, como a dessa criança.

Curtir

Comentários encerrados.