Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 29 novembro, 2012

QUER COISA MAIS ODIOSA DO QUE ESSA POSTURA DEMOCRÁTICA DE UM TORNEIRO MECÂNICO QUE VEM NOS DAR LIÇÃO DE CIVILIDADE E DEMOCRACIA?

Lula recebe prêmio Indira Gandhi

Recentemente em redes sociais e em blogs há várias postagens e artigos tentando explicar o ódio ao PT e ao ex-presidente Lula. Os brasileiros tentam entender porque tanto ódio ao partido e ao ex-presidente, considerado o melhor presidente desde o início da República, isso baseado em dados sociais e econômicos que seu governo produziu.

Nesse momento Lula recebe inúmeros prêmios no exterior. É reconhecido internacionalmente e isso ainda será matéria de análise: a importância do governo Lula para o mundo.

Antes já se falava no preconceito nordestino, no preconceito da linguagem, mas acredito que o preconceito tem menos influência do que o próprio conceito. Na verdade o preconceito é contra o conceito que o PT e Lula trouxeram para o Brasil. Falo do PT não como um partido político, mas como um movimento social, que agregou diversos setores da sociedade, por uma causa transformadora, na época em que o Brasil era considerado o mais desigual do mundo e sufocado por um golpe da elite civil-militar que destruiu as estruturas institucionais de civilidade, vide o que acontece com relação à segurança pública em São Paulo e nas principais cidades do país. A ditadura persiste na violência da desigualdade e nos discursos e práticas políticas de setores do poder público.

O PT chama-se Partido dos Trabalhadores não porque era um grupo exclusivo de indivíduos desse setor da sociedade. É certo que havia a forte presença já de Lula e do sindicalismo do setor automobilístico naquele momento. Mas ele recebeu esse nome porque é fruto do rompimento histórico dos partidos únicos comunistas. O nascimento do PT já fez parte e resultado de uma revisão histórica dos erros e equívocos do comunismo, que se transformou em ditaduras comuno-capitalistas, na maioria das vezes, com uma avassaladora burocracia.

A revisão das experiências reais acontecia no mundo todo desde a metade do século passado. O PT nasce no início da década de 80 e toma para si a consolidação do conceito de democracia. Quer coisa mais odiosa que uma esquerda, esclarecida, educada e democrática competindo com setores que buscam a todo custo manter o sistema atual de violência e desigualdade?

O presidente Lula, mais do que ninguém, durante todo o tempo em que esteve no poder, foi um grande democrata. Mesmo com toda a popularidade, mesmo com setores do partido propondo sua terceira reeleição, ele se recusou. Assumiu o risco, um risco pensado pela sua genialidade política, em eleger outra pessoa. Nenhuma mudança na Constituição foi realizada para aumentar os poderes ou prorrogar o poder do ex-presidente, diferentemente do que aconteceu com Fernando Henrique Cardoso, que em pelo mandato, aprovou a reeleição.

Quer coisa mais odiosa do que essa postura democrática de um torneiro mecânico que vem nos dar lição de civilidade e democracia? O preconceito esconde muitas vezes o próprio conceito.

Leia mais em Educação Política:
%d blogueiros gostam disto: