Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos Diários: 19 fevereiro, 2013

IMBECEO, A PRAGA DO NEOLIBERALISMO QUE FAZ A ALEGRIA DA GRANDE MÍDIA E DOS MERCADOS DE CAPITAIS

Imagem: latuffAs grandes empresas não têm mais hoje o presidente ou o dono da empresa. Com o mercado de ações e a pulverização das participações das grandes empresas, os controladores profissionalizam a gestão e contratam um executivo que será o presidente ou uma espécie de principal executivo. Ele é denominado atualmente de CEO (acrônimo de Chief Executive Officer). A função dele é aumentar a lucratividade dos acionistas, verdadeiros donos, que fazem parte do conselho de administração.

Nessa situação não é difícil o CEO se tornar um Imbeceo, que é a nova praga do capitalismo de mercado de capitais. O imbeceo é uma espécie de executivo ignorante, é o imbecil do neoliberalismo.  O Imbeceo faz a empresa crescer extraordinarimente em pouco tempo, mas provoca danos nos parceiros, trabalhadores e consumidores. Mais que isso, pode quebrar a economia dos países como ocorreu nos Estados Unidos e Europa em 2008. Protegido pela grande mídia, o imbeceo se prolifera nas grandes empresas.

Ele atua como uma erva daninha tentando prejudicar tudo e todos para tirar o maior lucro possível e impossível, independente das consequências. E isso pode ser feito massacrando funcionários e colaboradores, falsificando produtos, baixando a qualidade ao máximo, fazendo publicidade enganosa, alterando quantidade de produtos, comprando governos e funcionários públicos.

Tudo vale para se tornar o executivo que aumentou a lucratividade , ganhou enormes bônus e ficou conhecido no meio empresarial.  O problema são as consequências para a população e para as economias dos países. Produtos de baixa qualidade, recall, contaminações e todo tipo de degradação tendem a se intensificar com os imbeceos.

Veja mais em Educação Política:

SANTO GUTENBERG! ESTADÃO QUER A VOLTA DA MONARQUIA E FAZ MANCHETES TÉTRICAS SOBRE A MORTE IMPERIAL

A importância dada pelo jornal Estadão a uma pesquisa sobre a família imperial brasileira mostra mais do que um simples interesse jornalístico. O jornal expressa capa e caderno especial sobre exumação da família imperial e tenta assim reconstruir o mito monarca. Ainda que uma pesquisa tenha importância científica, a cobertura expressa claramente o pano de fundo de uma ideologia.

Nossa imprensa ainda não chegou na República. Mas vamos ter fé no Santo Gutemberg; ela vai chegar lá.  Veja abaixo reprodução de parte da capa e manchetes on-line de hoje.

Dona Amélia mumificada: pele e órgãos internos estão preservados

Veja mais em Educação Político:

%d blogueiros gostam disto: