Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

“FIQUEI PERTURBADO COM O TRATAMENTO QUE DERAM ÀS CRIANÇAS FERIDAS”, DIZ BRADLEY MANNING EM DEPOIMENTO NOS EUA

Bradley procurou o Washington Post e o New York Times, mas não teve resposta

Bradley diz que procurou o Washington Post e o The New York Times

Em depoimento, Bradley Manning nega ter traído EUA

Opera Mundi
O soldado norte-americano Bradley Manning se declarou culpado nesta quinta-feira (28/02) por ter vazado de centenas de milhares de documentos confidenciais da diplomacia norte-americana ao site Wikileaks, além de outras nova acusações menores. As informações são do jornal britânico Guardian, da agência Efe e do Wikileaks.

No entanto, o militar de 25 anos nega ter “ajudado o inimigo”, acusação mais grave que pesa sobre ele e que, se confirmada, poderá resultar até em prisão perpétua.

No depoimento, Manning afirma que uma das razões que o motivaram a tomar a iniciativa de tornar as informações públicas foi o caso conhecido como “Assassinato Colateral”, durante a guerra no Iraque, que culminou na morte de um jornalista da Reuters, seu motorista e outras pessoas no bairro de Nova Bagdá pelo exército norte-americano. Eles foram mortos por um helicóptero apache que atacou indiscriminadamente civis. A Reuters  tentou, sem sucesso, obter o vídeo através da Freedom Information Act, lei que determina a abertura de arquivos do governo, mas este vídeo só veio a público através do Wikileaks.

“Fiquei perturbado com o tratamento que deram às crianças feridas”, referindo-se a duas crianças que ficaram gravemente feridas no episódio. “Os que estavam no vídeo não pareciam se preocupar com o valor da vida humana, ao se referirem a elas (às vítimas) como bastardos”.

Outra revelação importante feita por Manning é que, antes de procurar o Wikileaks, ele chegou a ligar para o mais tradicional jornal norte-americano, o The New York Times, gravando mensagens e deixando contatos, além de explicar o que tinha em mãos. E também contatou seu principal concorrente, o Washington Post. Simplesmente não obteve respostas. Foi quando procurou o Wikileaks e manteve uma conversa com um internauta identificado como “OX”, provavelmente o jornalista australiano Julian Assange, fundador do site. Ele também tentou contatar o site progressista norte-americano Politico.com. Porém, o mau tempo impediu o contato. (Texto Integral)

Veja mais em Educação Política:

3 Respostas para ““FIQUEI PERTURBADO COM O TRATAMENTO QUE DERAM ÀS CRIANÇAS FERIDAS”, DIZ BRADLEY MANNING EM DEPOIMENTO NOS EUA

  1. Pingback: O TROTE COM ESCRAVIDÃO E NAZISMO DOS ALUNOS DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (UFMG) | Educação Política

  2. Pingback: ENTREVISTA DO BBB (BIG BROTHER BRASIL) MOSTRA COMO É A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA REDE GLOBO | Educação Política

  3. Pingback: REDAÇÃO EM PROVA DO ENEM, QUE TEM 6 MILHÕES DE INSCRITOS, SÓ COMPLICA E DEVERIA SER TROCADA POR QUESTÕES DE LITERATURA | Educação Política

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: