Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: Daniel Dantas

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA ‘ESQUECE’ DE RECORRER CONTRA DANIEL DANTAS, OPERADOR DO PORTO DE SANTOS

Ministério Público perde prazo da Satiagraha e Dantas se livra da cadeia

Do Acerto de Contas
Daniel Dantas, o “Dono do Brasil”

O título que você lê acima não é uma piada. A Procuradoria Geral da República perdeu o prazo para recorrer no STJ da decisão que anulou as provas obtidas pela Polícia Federal na Operação Satiagraha.

Isso mesmo, o nosso zeloso Ministério Público Federal vai deixar Daniel Dantas ficar livre simplesmente porque perdeu o prazo para recorrer de uma decisão que muitos ministros do STJ consideravam absurdas, e que cairia no Pleno do Tribunal.

Não estamos falando de um processo trabalhista de 500 merréis. Estamos falando do processo penal mais importante em andamento no país, contra a quadrilha mais poderosa que se tem notícia.

O maior absurdo disso tudo é que a PGR disse que não foi notificada, depois que passou para um subprocurador que teria se aposentado.

Daqui a pouco vai colocar a culpa no contínuo.

 


Gurgel, tome vergonha na cara  e peça pra sair

Se este fosse um país sério, neste momento o Procurador Geral, Roberto Gurgel, estaria demitido, e o responsável pelo processo estaria se preparando para dormir na prisão.

Mas não, semana que vem nosso “Procurador” estará todo serelepe na televisão dando alguma entrevista em nome da moralidade, ou ainda articulando o aumento no seu salário, próximo de R$ 30 mil.

E ninguém vai cobrar do magistral Ministério Público uma investigação para saber o responsável pela impunidade dantesca?

Daniel Dantas já tinha dado a senha a seu advogado: “resolva meus problemas na primeira instância, que lá em Brasília eu resolvo”.

Daniel Dantas pode bater no peito e dizer: “Este país tem dono…Eu sou o Dono do Brasil”.

Veja mais:

 

Anúncios

2012 FOI O ANO EM QUE A RELAÇÃO ENTRE A REVISTA VEJA, DA EDITORA ABRIL, E CARLINHOS CACHOEIRA FOI DESMASCARADA

O problema de Veja é criminal, não apenas ético

AS MAIS LIDAS EM 2012

Por Luis Nassif

Dantas e histórias que a Justiça não consegue esclarecer

Dantas e histórias que a Justiça não consegue esclarecer

Alguns analistas teimam em analisar o comportamento da Veja –  nas relações com Cachoeira – como eticamente condenável.

Há um engano nisso.

Existem problemas éticos quando se engana a fonte, se adulteram suas declarações, desrespeita-se o off etc.

O comportamento da Veja é passível de enquadramento no Código Penal. Está-se falando de suspeita de atividade criminosa, não apenas de mau jornalismo. Sua atuação se deu na associação com organizações criminosas visando objetivos ilegais, de obstrução da Justiça até conspiração.

O acordo da revista com o crime organizado trazia ganhos para ambos os lados:

1. O principal produto de uma revista é a denúncia. O conjunto de denúncias e factóides plantados por Cachoeira alçou a revista à liderança no mercado brasileiro de opinião – influenciando todos os demais veículos -, garantiu vendagem, permitiu intimidar setores recalcitrantes. O poder foi utilizado para tentar esmagar concorrentes da Abril no setor de educação. Principalmente, fê-la conduzir uma conspiração visando constranger Executivo, Legislativo, Supremo e Ministério Público.

2. A parceria com Veja tornou Cachoeira o mais poderoso contraventor do Brasil moderno, com influência em todos os setores da vida pública.

Há inúmeras suspeitas contra a revista em pelo menos duas associações: com Carlinhos Cachoeira e com Daniel Dantas que necessitam de um inquérito policial para serem apuradas.

Em relação a Dantas:

  1. A matéria sobre as contas falsas de autoridades no exterior, escrita por Márcio Aith.
  2. O dossiê contra o Ministro Edson Vidigal, do STJ. Nele, mencionava-se uma denúncia de uma ONG junto ao CNJ. Constatou-se depois que a denúncia tomava por base matéria da própria revista (que sequer havia sido publicada ainda), demonstrando total cumplicidade da revista com o esquema Dantas.
  3. A atuação de Diogo Mainardi, levando o tal Relatório italiano ao próprio juiz do caso. Na época, procuradores do MPF em São Paulo explicaram qual seria a estratégia de Dantas (contaminar o inquérito da PF com o princípio do “fruto contaminado”, as provas ilegais do relatório italiano) e  sustentaram que Mainardi atuava a serviço de Dantas. Atacados virulentamente por Mainardi, procuradores federais de São Paulo recuaram.
  4. A matéria falsa sobre o grampo no Supremo Tribunal Federal.
  5. O “grampo sem áudio”, entre Gilmar Mendes e Demóstenes Torres.

Em relação a Cachoeira:

  1. O episódio do suborno de R$ 3 mil nos Correios, que visou alijar o esquema do deputado Roberto Jefferson e abrir espaço para o esquema do próprio Cachoeira. No capítulo que escrevi sobre o tema (na série O Caso de Veja) mostro que, depois de feito o grampo, Policarpo Jr segurou a notícia por 30 dias. Um inquérito policial poderá revelar o que ocorreu nesse intervalo.
  2. A invasão do Hotel Nahoum com as fotos de Dirceu, clara atividade criminosa.
  3. A construção da imagem do senador Demóstenes Torres, sendo impossível – dadas as relações entre Veja e Cachoeira – que fossem ignoradas as ligações do senador com o bicheiro.
  4. Levantamento de todas as atividades de Demóstenes junto ao setor público, visando beneficiar Cachoeira, tendo como base o ativo de imagem construído por Veja para ele.

Veja mais em Educação Política:

 

BANDA PODRE DO PT IMPEDE INSTALAÇÃO DE CPIs E VAZA INFORMAÇÃO PARA IMPRENSA MARROM

Psol e PCdoB foram fundamentais para possível criação a CPI do Cachoeira

A possível instalação da CPI para investigar as ligações criminosas entre políticos e o bicheiro Carlinhos Cachoeira é uma ótima notícia política. A instalação da CPI conseguirá ultrapassar a barreira de uma pequena parte do PT que tem ojeriza a qualquer tipo de investigação, mesmo de adversários.

Pode-se dizer que existe uma banda podre que se instalou e se solidificou com poder econômico gerado pelas arrecadações de campanha, caixa dois etc, assim como em todos os outros partidos. Mas  no PT ela faz uma mal danado ao Brasil porque é essa banda que impede qualquer investigação contra os próprios adversários.

Essa banda podre, na verdade, é herdeira legítima do PSDB. Ao assumir governos, ela herdou o pior da política presente em outras agremiações. Por exemplo, herdou os esquemas de Marcos Valério e Daniel Dantas, criações fantásticas dos infelizes anos do PSDB no governo federal e no processo de privatização. Com isso, fica difícil investigação, visto que parte das investigações podem resvalar no próprio partido.

É também essa mesma banda podre que se associa ao pior jornalismo, aquele que também se associa a criminosos, para dar furo de reportagem. Essa banda podre, em busca de poder durante a campanha de Dilma Rousseff, quase destruiu a candidatura da própria petista.

É por essas e outras que a CPI da Privataria Tucana, que poderia passar o Brasil a limpo sobre esse período nefasto do PSDB, não sai. O livro de Amaury Ribeiro Jr. expõe claramente a corrupção de José Serra e familiares. É um verdadeiro roubo, com todas as letras. No entanto, está parada.  Salve a CPI do Cachoeira! Se molhar alguns petistas fará um bem ao país.

Leia mais em Educação Política:

“REVISTA VEJA SE ASSOCIOU AO CRIME ORGANIZADO”, DIZ DEPUTADO FERNANDO FERRO. O LEITOR É CÚMPLICE OU LARANJA?
FESTINHA NA CASA DO DEMÓSTENES: SÓ GENTE FINA E MUITA GARGALHADA: “ESTOU FORA DO CRIME HÁ MUITOS ANOS”, DISSE CACHOEIRA AO GOVERNADOR
ESPIONAGEM GENERALIZADA E BARATA: EIS MAIS UMA HERANÇA INDIGESTA DA DITADURA, PROMOVIDA PELO GOLPE DE 1964
COM JOSÉ SERRA NA DISPUTA DA CAPITAL PAULISTA, HEGEMONIA TUCANA EM SÃO PAULO ESTÁ NAS MÃOS DE MARCO MAIA

IMPUNIDADE SE MULTIPLICA NO PAÍS ONDE A JUSTIÇA ABSOLVE CRIMINOSOS COMO DANIEL DANTAS E MANTÉM AMIZADE COM ELES

A Operação Chacal, que investigava a contratação da empresa americana Kroll pelo já tão famoso Daniel Dantas para grampear ilegalmente, terminou com a absolvição do banqueiro das acusações de formação de quadrilha pela Justiça Federal de São Paulo.

O mais impressionante em todo caso é que, como lembra o jornalista Paulo Henrique Amorim, a justiça condenou os membros de uma quadrilha, mas inocentou os mandantes. Sendo assim, a impunidade chega a casos tão singulares a ponto de se conceber que há um grupo de espionagem sem mandantes. Ora, como diz Amorim: “Espionar para quem ? Para ninguém. Espionavam por deleite”. Uma quadrilha sem chefe!

Chega-se de fato ao cúmulo da aplicação da justiça no Brasil. Como lembra o jornalista, provas não faltam no processo contra Dantas no caso Kroll e muitas outras suspeitas existem contra ele, inclusive de sua ligação com os maiores escândalos de corrupção recentes no país.

Mas de que valem as provas em um país onde os ministros da Justiça são amigos de bandidos a ponto de serem tratados carinhosamente por “Zé”? De que valem as provas no império dos advogados que vestem a lei segundo as atrações do luxo e do dinheiro? De que valem as provas em um país onde a ilegalidade está legalizada quando se trata de Dantas e outros nomes por aí?

Paulo Henrique Amorim se diz uma das vítimas da espionagem do banqueiro, que move uma ação judicial contra ele toda quarta-feira, e é taxativo ao dizer que “o Ministério Público pode não ter conseguido demonstrar que ele fazia parte da quadrilha – no papel inequívoco de mandante. E a Justiça errou”.

Veja trecho do texto:

Kroll: Eu acuso Daniel Dantas
Por Paulo Henrique Amorim

A Justiça Federal de São Paulo absolveu Daniel Dantas da acusação de formação de quadrilha, no âmbito da Operação Chacal, que investigou como Daniel Dantas contratou a empresa americana Kroll para grampear ilegalmente (leia mais AQUI).

A Dra Cecíclia Melo, da Justiça de São Paulo, foi quem desbastou as acusações contra Dantas e deixou essa última – formação de quadrilha – para ser agora, provisoriamente, encerrada.

A Dra Melo chegou a desconsiderar a confissão de uma testemunha-chave, que confessou ter mentido – pago – para tirar Dantas ou um enviado especial da casa de um espião/grampeador.

É uma decisão singular: são condenados os membros de uma quadrilha que espionava e não há mandantes.

Espionar para quem ?

Para ninguém.

Espionavam por deleite.

Por voyeurismo, como os espectadores do BBB.

Navalha

Eu, Paulo Henrique Amorim, cidadão de uma República, jornalista e pai de família, acuso Daniel Dantas de me grampear.

Entre outros crimes.

Conheço essa história na palma da mão.

Fui testemunha de acusação contra Dantas no processo da Kroll.

Estive na mesma sala em que se encontravam dezenas de advogados dele, notadamente Varões da Advocacia Brasileira, como Wilson Mirza e Nélio Machado.

Conheço o coronel da PM de São Paulo contratado para me espionar.

Conheço o espião/trapalhão israelense que fazia lista por escrito dos clientes e serviços prestados – e que a Justiça parece não ter lido.

Conheço o parente de Dantas que foi à casa do espião/trapalhão acertar o negócio em nome de Dantas.

E ele sabe que o conheço muito bem.

Conheço tudo desse mar de lama.

Dantas me grampeou.

Grampeou uma ligação minha com o empresário Antoninho Marmo Trevisan.

Conhece a minha dieta.

Meus horários.

Meus amigos mais diletos, como Mino Carta.

Espionou membros de minha família.

Grampeou minha filha, enquanto estava noiva.

A Polícia Federal pode não ter conseguido filmar com foco o encontro do parente de Dantas com o espião/trapalhão. (Texto completo)

Leia mais em Educação Política:

PARA ESPECIALISTA EM SEGURANÇA PÚBLICA, GREVE DE POLICIAIS E BOMBEIROS É ILEGÍTIMA POR PROVOCAR EFEITOS PREJUDICIAIS À POPULAÇÃO
PAULO BERNARDO CEDE ÀS PRESSÕES DOS BARÕES DA MÍDIA, NA OPINIÃO DO JORNALISTA LEANDRO FORTES
SERRA NO BANDEJÃO: QUANDO UMA IMAGEM VALE MAIS QUE MIL PALAVRAS…
SUPREMO RECONHECE A CONSTITUCIONALIDADE DA LEI MARIA DA PENHA E DETERMINA QUE AUTOR DA AGRESSÃO PODE SER PROCESSADO MESMO QUE A VÍTIMA NÃO FAÇA A QUEIXA

ALGEMAS NO BRASIL SÃO SÓ PARA NEGROS, POBRES… E VOCÊ SABE…. ESTÃO RINDO DA JUSTIÇA BRASILEIRA

Uma singela homenagem à justiça brasileira e ao Supremo Tribunal Federal, o poder vitalício, como no tempo do Império.

Um dia a república chega e os ministros não se ofenderão mais com a autocrítica feita, por exemplo, pela corregedora do CNJ, Eliana Calmon.

Do Conversa Afiada

Conversa Afiada reproduz e-mail e galeria enviadas pelo jornalista Luiz Claudio Cunha:
A propósito de algemas, olha que fantástica galeria de ilustres algemados mundo afora.
E termina com as frases dos nossos indulgentes ministros do STF e do teu ídolo Daniel Dantas, rindo disso tudo.
Sem algemas.
Divirta-se.
Abs, LCC
Raj Rajaratnam, fundador do Galleon Group, ganhou ilicitamente 36 milhões de dólares na venda e compra de ações usando informação privilegiada. (EUA). ALGEMADO !
O juiz Denny Chin, do Tribunal de Manhattan, decretou a prisão imediata do investidor Bernard Madoff (foto) até a divulgação da sentença, em 16 de junho. Se confirmada a sentença, Madoff pode pegar até 150 anos de prisão (a penalidade máxima para o caso) por uma colossal fraude de US$ 50 bilhões. ALGEMADO!
Robert Rizzo, uma espécie de gerente administrativo da cidade que, com ganhos duas vezes maiores que o do presidente Barack Obama, foi o pivô de um caso de corrupção na cidade de Bell, Califórnia. ALGEMADO!
Scott Sullivan, ex-chefe-financeiro da WorldCom, 47 anos, foi condenado a cinco anos de prisão após ser considerado mentor da fraude contábil de US$ 11 bilhões na empresa (EUA). ALGEMADO!
Kenneth Lay  envolvido numa das maiores fraudes financeiras da história dos Estados Unidos, na qual se criou sociedades financeiras que serviram para a Enron dissimular a magnitude de suas perdas e fazer o mercado financeiro acreditar que o grupo estava financeiramente saudável. ALGEMADO!
Andrew Fastow, comparsa de Kenneth Lay, considerado o cérebro de uma das maiores fraudes financeiras da história dos Estados Unidos, foi sentenciado nesta terça-feira a seis anos de prisão, quatro a menos que o máximo permitido, depois de se declarar culpado em um acordo feito com a promotoria. ALGEMADO!
Jeffrey Skilling  é comparsa de Andrew Fastow e Kenneth Lay nas fraudes financeiras. (EUA). ALGEMADO !
O congressista Keith Ellison é preso depois de cruzar uma linha de policiais em protestos diante da embaixada do Sudão (EUA). ALGEMADO!
Karl Rove, um dos principais assessores políticos do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, envolvido com a revelação do nome de uma agente secreta americana. ALGEMADO! Os assessores daqui não…
Michael Jackson. ALGEMADO!
Paris Hilton. ALGEMADA!
Russel Crowe. ALGEMADO!
O. J. Simpson. ALGEMADO! (e depois absolvido…)
O ator Quaid e sua esposa foram acusado por Rancho San Ysidro, dono de um hotel em Santa Bárbara (EUA), de não terem pago 10.000 dólares em contas de hotel. ALGEMADOS!
Até os velhinhos… ALGEMADOS!
Adolescentes? ALGEMADOS! Os daqui o estatuto da ECA não permite…pode causar trauma nos pequeninos…
Mickey Mouse, ALGEMADO!
Homem Aranha, ALGEMADO!
Ah, não… Peter Pam? ALGEMADO!
Um dos três porquinhos, coitado! ALGEMADO! O porquinho daqui não…
A justiça de Taiwan condenou o ex-presidente Chen Shui-bian à prisão perpétua. O ex-líder foi declarado culpado por corrupção e – porca miséria! – foi  ALGEMADO! O daqui , mesmo roubando o crucifixo não… E no Brasil, hein?

“A Corte jamais validou esta prática, que viola a presunção da inocência e o princípio da dignidade humana”. Gilmar Mendes
“[O uso de algemas] é uma prática aviltante que pode chegar a equivaler à tortura, por violar a integridade física e psíquica do réu”. Eros Grau
“O que se provoca [com as algemas] é um estado de exacerbação, um agravo no estado de privação da liberdade de locomoção. As algemas, quando usadas desnecessariamente, se tornam expressão de descomedimento por parte das autoridades e caracterizam abuso de poder”. Carlos Ayres Brito

“É hora de este Supremo Tribunal Federal (…) inibir uma série de abusos notados, tornando clara até mesmo a concretude da lei reguladora do abuso de autoridade”.Marco Aurélio

“A prisão há de ser pública, mas não há de se constituir em espetáculo. Menos ainda, espetáculo difamante e degradante para o preso, seja ele quem for. Menos ainda, se haverá de admitir que a mostra das algemas, como símbolo público e emocional de humilhação de alguém, possa ser transformado em circo de horrores numa sociedade que quer sangue, porque cansada de ver sangrar. Não é com mais violência que se cura violência. Não é com mais degradação que se chegará a honorabilidade social.” Carmem Lúcia
CONCLUSÃO: o Estado Democrático e de Direito vale apenas para a PLUTOCRACIA.
VAMOS RIR….
VAMOS GARGALHAR …
PARA REFLEXÕES!
No mundo inteiro as ALGEMAS são usadas de forma INDISCRIMINADA. Ou seja, não há discriminação de cor, classe social, credo, sexo, faixa etária, nacionalidade, profissão, etc. Mas aqui….
MAIS UMA NA LISTA DOS ALGEMADOS LÁ DE FORA, FOI A ATRIZ DERYL HANNAH, CONFORME ESTE LINK:
Veja mais em Educação Política:

JUSTIÇA BRASILEIRA, A CÍNICA, EXIBE-SE PLENAMENTE NA DECISÃO SOBRE SATIAGRAHA

Veja artigo de Wálter Fanganiello Maierovitch, em que mostra a Justiça Brasileira, A Cínica, em todo seu esplendor.

Justiça mostra a cara

Dantas conseguiu milagre judiciário maior que Battisti, diz Wálter Maierovitch
O grande vencedor da semana foi Daniel Dantas e não Battisti.
Na Justiça brasileira, o verdaeiro milagre da causa impossível foi protagonizado pelo banqueiro  Daniel Dantas e não por Cesare Battisti.
Dantas tinha uma causa impossível e demostrou que milagres acontencem na Justiça brasileira.

Dantas conseguiu, perante o Superior Tribunal de Justiça, uma decisão em que o acessório foi mais importante do que o principal. Onde a verdade real, ou seja,  a comprovada corrupção ativa, restou desprezada. O STJ passou uma borracha, como se a corrupção ativa acontecida não tivesse relevância.

Vamos aos fatos e  a mostrar o quanto nossa Justiça é cega. A balança da Thêmis (deusa da Justiça) está desequilibrada, a precisar de urgente revisão.

Francisco Campos, apelidado de Chico Ciência, apresentou, em 1941 e quando era ministro da Justiça, o novo código de processo penal brasileiro. Na exposição de motivos que preparou, e ao tratar do capítulo das nulidades, Francisco Campos frisou não deixar a nova legislação oportunidades para se “espiolhar nugas”, ou seja, catar quinquilharias.

Pela nova lei, alertava o ministro Francisco Campos,  nenhuma nulidade processual poderia ser reconhecida se não tivesse causado prejuízo real, efetivo e concreto para a defesa ou a acusação.

Como se sabe, o banqueiro Daniel Dantas, conforme uma enxurrada de provas, interceptações telefônicas com autorização judicial e gravações feitas com o acompanhamento da equipe da rede Globo, procurou, por interpostos agentes, corromper policiais em apurações na denominada  Operação Sathiagraha. Na casa de um dos enviados de Dantas, o professor Hugo Chicarini, a polícia federal apreendeu R$1,1 milhão.

O imputado mandante do crime, banqueiro Daniel Dantas acabou condenado, em 2008, por consumado crime de corrupção ativa. Então, o banqueiro impetrou habeas corpus a fim de anular as provas colhidas na Operação Satiagraha e, por conseguinte, desconstituir a condenação por corrupção ativa prolatada pelo juízo da 6ª.Vara Criminal Federal e lavra do juiz Fausto De Sanctis.

Por 3 votos contra 2, a 5ª.Turma do Superior Tribunal de Justiça concedeu a ordem de habeas corpus para anular a mencionada Satiagraha e o processo condenatório da 6ª.Vara Criminal Federal.

Para os ministros julgadores, exceção a Gilson Dipp e Laurita Vaz, a participação de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), órgão subordinado ao gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, foi ilegal e contaminou toda a apuração.

Decisão de pasmar. Nenhuma dúvida pairava sobre a consumação de um grave crime a mando de um poderoso banqueiro. Para os ministros Adilson Macabu, Napoleão Maia e José Mussi, o importante era “espiolhar nugas”. A verdade real era secundária.

Os agentes da Abin, que são servidores públicos do mesmo poder Executivo ao qual se subordina a polícia federal, em nada interferiram na consumação do crime de corrupção. E a nulidade mal decretada gerou impunidade. A decisão condenatória tinha sido, bem antes do habeas corpus que a anulou, confirmada no Tribunal Regional Federal da 3ª.Região que não considerou ilegal a participação de agentes da Abin na Satiagraha.(Vi no Conversa Afiada)

Leia mais em Educação Política:

PEDIDO DE IMPEACHMENT DE GILMAR MENDES, MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, JÁ ESTÁ NO SENADO
CASTELO DE AREIA: A JUSTIÇA NÃO É CEGA, É CÍNICA
A REAL AMEAÇA À DEMOCRACIA: ACUSADOS DE CORRUPÇÃO DA ELITE SE DÃO BEM NA JUSTIÇA COM FRESCURAS PROCESSUAIS
UM VERDADEIRO HORROR NA JUSTIÇA BRASILEIRA: APENAS 10% DOS HOMICIDAS VÃO A JULGAMENTO

JOSÉ SERRA DEVERIA EXPLICAR EMPRESA DA FILHA VERÔNICA QUE ASSESSORAVA COMPRAS GOVERNAMENTAIS QUANDO ELE ERA MINISTRO

Arapongagem das Verônicas

Matéria da Carta Capital desta semana traz algumas questões para Serra.

O que José Serra precisa explicar:

1. É correto a filha (Verônica Serra) de um alto integrante do governo, no caso Ministro da Saúde, (José Serra) ter uma empresa para assessorar compras governamentais, inclusive no ministério comandado pelo pai?

2. Qual a opinião de José Serra sobre o fato de a sua filha, Verônica, ter sociedade com a irmã e braço direito de um banqueiro condenado a 10 anos de prisão?

3. O que Serra tem a dizer sobre o vazamento de informações provocados pela empresa da sua filha Verônica Serra, quando ele era ministro?

Veja trecho da matéria da Carta Capital:

Carta Capital: filha de Serra expôs sigilo de milhões de pessoas

A revista CartaCapital que está nas bancas nesta semana traz reportagem de Leandro Fortes que vai colocar em apuros o tucano José Serra. Segundo a reportagem, baseada em documentos oficiais, por 15 dias no ano de 2001, no governo FHC/Serra a empresa Decidir.com abriu o sigilo bancário de 60 milhões de brasileiros. A Decidir.com é o resultado da sociedade, em Miami, da filha de Serra, Verônica Serra, com a irmã de Daniel Dantas. Veja abaixo a reportagem de CartaCapital.

Extinta empresa de Verônica Serra expôs os dados bancários de 60 milhões de brasileiros obtidos em acordo questionável com o governo FHC

30 de janeiro de 2001, o peemedebista Michel Temer, então presidente da Câmara dos Deputados, enviou um ofício ao Banco Central, comandado à época pelo economista Armínio Fraga. Queria explicações sobre um caso escabroso. Naquele mesmo mês, por cerca de 20 dias, os dados de quase 60 milhões de correntistas brasileiros haviam ficado expostos à visitação pública na internet, no que é, provavelmente uma das maiores quebras de sigilo bancário da história do País. O site responsável pelo crime, filial brasileira de uma empresa argentina, se chamava Decidir.com e, curiosamente, tinha registro em Miami, nos Estados Unidos, em nome de seis sócios. Dois deles eram empresárias brasileiras: Verônica Allende Serra e Verônica Dantas Rodenburg.

Ironia do destino, a advogada Verônica Serra, 41 anos, é hoje a principal estrela da campanha política do pai, José Serra, justamente por ser vítima de uma ainda mal explicada quebra de sigilo fiscal cometida por funcionários da Receita Federal. A violação dos dados de Verônica tem sido extensamente explorada na campanha eleitoral. Serra acusou diretamente Dilma Rousseff de responsabilidade pelo crime, embora tenha abrandado o discurso nos últimos dias.

Naquele começo de 2001, ainda durante o segundo mandato do presidente FHC, Temer não haveria de receber uma reposta de Fraga. Esta, se enviada algum dia, nunca foi registrada no protocolo da presidência da Casa. O deputado deixou o cargo menos de um mês depois de enviar o ofício ao Banco Central e foi sucedido pelo tucano Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais, hoje candidato ao Senado. Passados nove anos, o hoje candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff garante que nunca mais teve qualquer informação sobre o assunto, nem do Banco Central nem de autoridade federal alguma. Nem ele nem ninguém.

Graças à leniência do governo FHC e à então boa vontade da mídia, que não enxergou, como agora, nenhum indício de um grave atentado contra os direitos dos cidadãos, a história ficou reduzida a um escândalo de emissão de cheques sem fundos por parte de deputados federais. (Texto Integral no Nassif)

Leia mais em Educação Política:

LAVANDERIA SEM CHAVE: JOSÉ SERRA TENTA GANHAR VOTO COM TEMA QUE INTERESSA PRINCIPALMENTE AOS CORRUPTOS

COINCIDÊNCIA OU SINTONIA: ENCONTRO DOS BLOGUEIROS ACONTECEU NO MOMENTO EM QUE SERRA DESPENCOU NAS PESQUISAS
PSDB ESTÁ ENTRINCHEIRADO EM QUATRO ESTADOS E PARTIDO DEVE ACABAR SE PERDER EM SÃO PAULO, PARANÁ, MINAS E GOIÁS

SERRA MOSTRA LULA NO HORÁRIO POLÍTICO E PROVA QUE PSDB NÃO TEM PROJETO POLÍTICO

ENTIDADES DEVERIAM LEVAR PERSEGUIÇÃO AO JUIZ FAUSTO DE SANCTIS ÀS CORTES INTERNACIONAIS

"De Sanctis tem sido injustamente perseguido e difamado exatamente por ser um juiz correto e rigoroso", afirma procuradora.

É realmente muito boa a tática dos advogados de quem tem muito dinheiro e se beneficia de boas relações nos tribunais superiores.  A tática é a seguinte:  se meu cliente é condenado, essa Justiça não vale, é parcial. É a partir dessa tese que os advogados agem. Eles não recorrem de uma decisão, eles recorrem contra o juiz que tomou a decisão. Ou seja, o argumento para os tribunais superiores é a de que a instância jurídica não presta, não vale e é incapaz de julgar o “honesto e brilhante” cliente.

É isso que acontece com o juiz, Fausto De Sanctis. Um absurdo porque desrespeita as regras  mais elementares dos processos jurídicos. Tudo vira exceção jurídica.

Os tribunais superiores servem de recurso exatamente para reparar algum dano ocorrido na primeira instância. Advogados com bom trâmite jurídico não gostam dessas regras. Eles simplesmente dizem que a instância toda é  incompetente. Advogados insistentemente negam o Estado de Direito porque desconhecem instâncias da própria Justiça.

O pior é o consentimento de tribunais superiores que deveriam zelar pelo Poder Judiciário.  Entidades democráticas brasileiras deveriam recorrer a cortes internacionais contra essas afrontas ao cidadão do Estado brasileiro, Fausto De Sanctis.

Ainda bem que existem no sistema judiciário brasileiro pessoas como a procuradora regional da República, Janice Ascari, que com uma clareza de raciocínio, inteligência e sensibilidade, mostra como os altos poderes da Justiça estão intimidando os juízes de primeira instância. Veja abaixo trecho da reportagem de Carta Capital com a entrevista com Janice Ascari.

Colegas do juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, não têm dúvidas: o magistrado virou, no Judiciário, o alvo do momento dos tribunais superiores e de setores da mídia. De Sanctis tem sido bombardeado por tomar decisões judiciais que contrariam grandes interesses, como os do banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, e do conglomerado industrial Camargo Corrêa.

Em apenas um mês, o juiz perdeu o controle das investigações de três casos importantes: MSI-Corinthians, Satiagraha e Castelo de Areia. Essa última operação resultou em uma ação encaminhada por De Sanctis contra três diretores da construtora Camargo Corrêa – Fernando Dias Gomes, Pietro Bianchi e Darcio Bruma –, por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Na quinta-feira 14, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Cesar Asfor Rocha, decidiu suspendê-la, a pedido da defesa, ao alegar que teria sido iniciada a partir de uma denúncia anônima.

A procuradora regional da República Janice Ascari critica duramente os tribunais superiores. “Parece que pegaram o De Sanctis para Cristo. E com isso querem dizer: ‘Vamos aplicar uma lição nesse juiz para que os outros não coloquem as manguinhas de fora’. O que estão fazendo com ele é uma coisa vergonhosa”, lamenta. “Os advogados aproveitam-se de todas as brechas e contam meias-verdades aos tribunais. O De Sanctis tem sido injustamente perseguido e difamado exatamente por ser um juiz correto e rigoroso. Ele é penalizado por cumprir sua função com extremo rigor, como se esperaria que todos os juízes fizessem. Felizmente, existem muitos outros como ele”, afirma Ascari. (Texto integral na Carta Capital)

Leia mais em Educação Política:
PESQUISA VOX POPULI/BAND MOSTRA QUE GASTOS PUBLICITÁRIOS DE JOSÉ SERRA FORAM POR ÁGUA ABAIXO, LITERALMENTE
EDUCAÇÃO NO BRASIL É PIOR DO QUE NO PARAGUAI, BOLIVIA E EQUADOR, DIZ UNESCO; MAS EDUCAÇÃO É A GRANDE INFRAESTRUTURA DE UM PAÍS
EFICIÊNCIA TUCANA DE JOSÉ SERRA: INAUGURA HOMENAGEM PÓSTUMA ANTES DA MISSA DE SÉTIMO DIA DA MÉDICA SANITARISTA ZILDA ARNS
ARGENTINA, DA PRESIDENTE CRISTINA KIRCHNER, MOSTRA QUE INDEPENDÊNCIA DO BANCO CENTRAL É UM ATENTADO À DEMOCRACIA

APÓS CONDENAÇÃO E NOVO INDICIAMENTO, SÓ MESMO O MASTERCARD PARA SALVAR DANIEL DANTAS

COINCIDÊNCIA OU INDÍCIO: BANCO OPPORTUNITY ESTÁ REGISTRADO NO BANCO CENTRAL COM NÚMERO 45, EXATAMENTE O NÚMERO DO PSDB

Banco Opportunity de Daniel Dantas tem o número 045 no Banco Central, o mesmo número do PSDB.

O site do banco Opportunity diz que a empresa foi crada em 1994, ano em que o PSDB ganha as eleições  e assume  a presidência da República.

O banco Opportunity está envolvido em inúmeros escândalos, inclusive e principalmente durante a privatização das telecomunicações.

O banco Opportunity cresceu de forma assustadora durante os anos do governo de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB.

Fernando Henrique Cardoso, em recente entrevista, disse que o banqueiro condenado à prisão em primeira instância é tido como uma pessoa “brilhante”.

Opportunity na verdade é a grande oportunidade! A oportunidade 45!

Consulte o Banco Central – Veja que todos os bancos nacionais têm uma numeração. Banco do Brasil é 001, Bradesco BBI é 036.  Essa numeração é muitas vezes requisitada ao cliente em transferência bancária.

Veja no site do Banco Central o número 45 do Opportunity (pdf).

Veja no Blog do Miro sobre o Opportunity.

Veja mais sobre Dantas/Opportunity  no Conversa Afiada

Veja mais sobre Opportunity/Dantas no Luis Nassif

Leia mais em Educação Política:

EMISSÁRIO DE DANTAS FAZIA LIGAÇÕES DIRETAS PARA O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

APESAR DO SUPREMO, JUSTIÇA BRASILEIRA CONDENA DANIEL DANTAS

MATÉRIA DO ESTADÃO MOSTRA QUE OPERAÇÃO SATIAGRAHA ESTAVA CERTA; DANTAS PODE SER UMA AMEAÇA À INVESTIGAÇÃO

O SEGREDO DE DANIEL DANTAS É ALGO GENIAL: NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE JUSTIÇA E LEGISLAÇÃO

HUMOR: CHARGE DE NANI DO SUPERGILMAR QUE TENTA SALVAR DANIEL DANTAS

EMISSÁRIO DE DANTAS FAZIA LIGAÇÕES DIRETAS PARA O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Gilmar Mendes pede apuração sobre ligação de ex-funcionário do STF com grupo de Dantas

Marco Antônio Saolheiro
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, enviou hoje (3) uma representação à Procuradoria-Geral da República em que solicita a apuração de uma eventual ligação entre um ex-funcionário do STF e o grupo do banqueiro Daniel Dantas, condenado ontem (2) a dez anos de prisão pelo juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

Em sua sentença, De Sanctis citou uma série de telefonemas de Hugo Chicaroni, intermediário de uma oferta de propina de Dantas para um delegado da Polícia Federal, para Sérgio de Souza Cirillo, coronel da reserva do Exército, que ocupou cargo comissionado na Secretaria de Segurança do STF, entre os dias 30 de julho e 6 de outubro deste ano, quando foi exonerado.

Os contatos telefônicos ocorreram entre os dias 4 de junho e 7 de julho deste ano, véspera da deflagração da Operação Satiagraha, da Polícia Federal. “Tal fato revela, pois, que os acusados, para alcançar seus objetivos espúrios, dias antes de oferecer e pagar vantagem às autoridades policiais atuavam, sem medir esforços, em suas tentativas de obstrução de procedimento criminal, tentando espraiar suas ações em outras instituições”, diz, em sua sentença, o juiz De Sanctis.

Segundo a assessoria do STF, Cirillo foi desligado dos quadros do tribunal por questões administrativas, sem ligação com qualquer desdobramento da operação da PF.

Leia também no Educação Política:

CARTA CAPITAL TRAZ UMA ASSUSTADORA HISTÓRIA DA FAMÍLIA DE GILMAR MENDES; TERRA DO MINISTRO NÃO TEM JUSTIÇA
ATO FALHO DE NOBLAT REVELOU O QUE TODO MUNDO JÁ SABIA: O SUPREMO TEM UM ORGANISMO GENETICAMENTE MODIFICADO
TRAGÉDIA BRASILEIRA: GILMAR MENDES CONSEGUIU E BRASILEIROS PODERÃO INDENIZAR CELSO PITTA
BRASIL VIVE DEMOCRACIA JUDICIAL-POLICIAL QUE INVERTE O ÔNUS DA PROVA E DO CRIME
NASSIF: TUDO LEVA A CRER QUE GILMAR VAZOU DOCUMENTO RESERVADO PARA REVISTA VEJA

APESAR DO SUPREMO, JUSTIÇA BRASILEIRA CONDENA DANIEL DANTAS

Daniel Dantas é condenado a dez anos de prisão e pagamento de R$ 12 milhões

condenado a 10 anos e 12 milhões em multa

Dantas: condenado a 10 anos e R$ 12 milhões em multa

Do Uol

O juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, condenou nesta terça o banqueiro Daniel Dantas, sócio-fundador do Grupo Opportunity, a dez anos de prisão por corrupção ativa, por tentativa de suborno a um delegado durante a Operação Satiagraha, da Polícia Federal

Dantas responde a processo por supostamente ter oferecido propina de US$ 1 milhão a um delegado da PF para que o nome dele fosse retirado do caso. O UOL entrou em contato com o advogado do banqueiro, mas ainda não obteve retorno.

Segundo a sentença, também foram condenados a sete anos e um mês cada um o assessor de Dantas, ex-presidente da Brasil Telecom Humberto Braz, e o professor universitário Hugo Chicaroni. Eles teriam negociado a propina. Não foi determinada a prisão dos réus. Cabe recurso.

O juiz também aplicou multa por danos causados à sociedade, segundo ele, “para reparar o que lhe foi confiscado: a dignidade”. Dantas terá de pagar R$ 12 milhões, Chicaroni, R$ 494 mil, e Humberto Braz, R$ 1,5 milhão. A quantia será revertida a entidades beneficentes a serem designadas pelo juízo de execução, ou seja, somente quando não houver mais recurso. (texto completo no Uol)

Leia também em Educação Política:

ATO FALHO DE NOBLAT REVELOU O QUE TODO MUNDO JÁ SABIA: O SUPREMO TEM UM ORGANISMO GENETICAMENTE MODIFICADO

O SEGREDO DE DANIEL DANTAS É ALGO GENIAL: NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE JUSTIÇA E LEGISLAÇÃO

CARTA CAPITAL TRAZ UMA ASSUSTADORA HISTÓRIA DA FAMÍLIA DE GILMAR MENDES; TERRA DO MINISTRO NÃO TEM JUSTIÇA

TRAGÉDIA BRASILEIRA: GILMAR MENDES CONSEGUIU E BRASILEIROS PODERÃO INDENIZAR CELSO PITTA

NASSIF: TUDO LEVA A CRER QUE GILMAR VAZOU DOCUMENTO RESERVADO PARA REVISTA VEJA

MATÉRIA DO ESTADÃO MOSTRA QUE OPERAÇÃO SATIAGRAHA ESTAVA CERTA; DANTAS PODE SER UMA AMEAÇA À INVESTIGAÇÃO

Juíza que julgava Dantas diz que ele ofereceu emprego a seu marido

Fausto Macedo/Estadão

“Juíza, você e seu filho já era”, ouviu Marcia Cunha Silva Araújo de Carvalho, juíza de Direito no Rio. A ameaça, ela conta, partiu de um desconhecido que a seguiu de motocicleta pelas ruas de Santa Teresa e lhe mostrou uma arma.

O episódio ilustra dias difíceis e a forte “pressão psicológica” que a magistrada alega ter sofrido desde que tomou decisão desfavorável ao Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas.

Marcia depôs dia 6 para o delegado Ricardo Saadi, da Polícia Federal de São Paulo. Ele deslocou-se até o Rio. Saadi preside o inquérito Satiagraha e avalia o relato de Marcia como peça importante da investigação que promove desde que assumiu o lugar de Protógenes Queiroz, mentor da operação.

No fim de 2004 ela assumiu a 2ª Vara Empresarial do Rio. Em fevereiro ou março de 2005, afirma, seu marido, Sérgio Antonio de Carvalho, foi procurado por um homem que lhe teria convidado para trabalhar no grupo de Dantas. “A proposta financeira era extremamente vantajosa”, narra a juíza. Seu marido lhe disse que “era dinheiro para ficar rico”. Sérgio não aceitou a proposta.

Ela constatou que havia dois processos sobre o Opportunity em curso na 2ª Vara. Uma demanda “era de extrema importância para o Opportunity, uma vez que como resultado poderia ser tirado do controle das empresas que haviam sido adquiridas pelo consórcio formado pelo Opportunity por um fundo nacional e um fundo estrangeiro”.

Segundo Marcia, o fundo nacional era formado por fundos de pensão que pretendiam excluir o Opportunity. Para evitar sua expulsão, assinala a juíza, o Opportunity firmou o acordo Umbrella Agreement. Os fundos de pensão ajuizaram antecipação de tutela para declarar a nulidade do pacto.

Marcia disse que uma filha sua “à época era estagiária do escritório Andrade Fichtner, o qual advogava para os fundos de pensão”. Quando decidiu a demanda, “sua filha não mais trabalhava no Fichtner”.

Ao retornar de viagem a Nova York “começou o inferno”. Uma das empresas de Dantas ajuizou exceção de suspeição contra ela, ofensiva rejeitada pela 8ª Câmara Cível. A juíza assinala que o grupo de Dantas a fustigou com representações e reclamações sucessivas. Apresentaram quatro laudos periciais “que indicavam que a antecipação de tutela não era de sua autoria intelectual”. Ela contratou um perito. Ele atestou que a decisão foi elaborada “a partir do lap top da depoente”.

Um dossiê apócrifo começou a ser espalhado no Rio, atribuindo-lhe a compra de um apartamento de luxo em Ipanema. Estranhos rondavam o edifício onde reside. Um homem fez imagens do prédio. O Tribunal de Justiça providenciou segurança pessoal para Marcia. A escolta foi retirada durante um “período de calmaria”. Quando o misterioso motociclista a abordou em Santa Teresa, ela caminhava só pelo bairro. Fez ocorrência na 14ª Delegacia. Afirmou que “as ameaças começaram após ter prolatado a decisão contra o Opportunity, do qual Daniel Dantas é o controlador”.

O banqueiro negou. O inquérito policial foi relatado e remetido ao Ministério Público, que pediu o arquivamento do caso.(Texto integral no Estadão)

Leia mais no Educação Política:

ATO FALHO DE NOBLAT REVELOU O QUE TODO MUNDO JÁ SABIA: O SUPREMO TEM UM ORGANISMO GENETICAMENTE MODIFICADO

JOSIAS DE SOUZA, DA FOLHA DE S.PAULO, NÃO ENTENDEU A NOTÍCIA OU CAIU NA BABA DA VEJA

O SEGREDO DE DANIEL DANTAS É ALGO GENIAL: NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE JUSTIÇA E LEGISLAÇÃO

TRAGÉDIA BRASILEIRA: GILMAR MENDES CONSEGUIU E BRASILEIROS PODERÃO INDENIZAR CELSO PITTA

ATO FALHO DE NOBLAT REVELOU O QUE TODO MUNDO JÁ SABIA: O SUPREMO TEM UM ORGANISMO GENETICAMENTE MODIFICADO

Noblat revelou o que todo mundo já sabia

Noblat revelou o que todo mundo já sabia: Gilmar é um mutante

“Gilmar Dantas” não poderia ser melhor. Veja no texto acima. Foi assim, um provável ato falho do jornalista Ricardo Noblat, que acabou revelando o que todo mundo já sabia. Gilmar Mendes e Daniel Dantas são uma mutação genética. Gilmar é um OGM (Organismo Genéticamente Modificado). É por isso que Dantas (O Daniel) conseguiu dois habeas corpos em 48 horas do outro Dantas (O Gilmar) e fez com que se iniciasse uma perseguição aos funcionários públicos que tentam melhorar o país. O Greenpeace está certo: OGM realmente faz estrago.

O SEGREDO DE DANIEL DANTAS É ALGO GENIAL: NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE JUSTIÇA E LEGISLAÇÃO

eu sou a lei

O segredo de Daniel Dantas e Gilmar Mendes: "eu sou a lei"

O talento de Daniel Dantas talvez não esteja tanto nas ações econômicas nem nas suas relações com o poder político e jurídico do país. É claro que isso forma uma barreira de proteção intransponível, visto que conta com parlamentares, jornalistas, advogados e, claro, magistrados.

Mas há algo que está por trás de tudo isso e que é o motor ideológico das ações do grupo Opportunity. O banqueiro descobriu algo genial, algo que está na cara de todo mundo, algo que a população sente diariamente, mas ninguém ousou utilizá-lo de uma forma tão arrojada e profissional.

Dantas desvendou concretamente que não existe qualquer relação entre justiça e legislação no Brasil. Não estou dizendo que há injustiça, que a justiça é falha, tarda, etc. Não é nada disso. Ele descobriu que os magistrados simplesmente podem passar por cima de qualquer lei e podem fazer o que quiserem.

Ele descobriu e estruturou suas ações dentro da perspectiva de que o juiz pode interpretar a lei como quiser. É uma maravilha. Esse é o estado de direito Jurídico-policial do Supremo. O próprio Supremo agiu dessa forma com relação ao habeas corpus de Daniel Dantas. Estava evidente que havia fatos novos, estão nos processos, mas isso são apenas fatos. E fatos ou leis, descobriu Dantas, não fazem a menor diferença. Lembro-me da história de um amigo em que o policial para extorquir dinheiro na linha vermelha do Rio de Janeiro dizia, de forma arrogante, que ele também era a “lei”. No Brasil de Dantas e de Gilmar Mendes, o juiz é a lei, assim como o policial que tentou extorquir meu amigo. Ou seja, não há lei.

Leia com seus próprios olhos a matéria mais abaixo do jornal Valor Econômico reproduzida no blog do Nassif. É uma prova inconteste de que as relações pessoais definem as decisões judiciais de forma acintosa. Impressionante o caso da desembargadora Suzana Camargo que, vejam, tenta controlar o Tribunal Regional Federal.

Leia também em educação política:

SUPREMO TRANSFORMA O BRASIL NO PAÍS DOS SANTINHOS E INOCENTES
GILMAR MENDES PRECISA FAZER UM CURSO NA JUSTIÇA NORTE-AMERICANA; LÁ ACUSADOS SÃO ALGEMADOS E ACORRENTADOS
JUSTIÇA BRITÂNICA FAZ SERVIÇO QUE JUSTIÇA BRASILEIRA TENTA FAZER E NÃO CONSEGUE
GILMAR MENDES CONSEGUIU: ADVOGADO AGORA TRIPUDIA A JUSTIÇA E PROCURADORES REAGEM

Isolado, De Sanctis vive contagem regressiva

Caio Junqueira, de São Paulo

14/11/2008

Depois da queda do delegado federal Protógenes Queiroz, colocado no ostracismo por sua atuação na Operação Satiagraha, instaurou-se a contagem regressiva para que a próxima vítima saia de cena: o juiz Fausto Martin De Sanctis. (…)  E a forma como isso ocorrerá já está posta na mesa e envolve uma combinação de instrumentos jurídicos e políticos.

A principal delas é o julgamento do pedido de suspeição feito pela defesa do banqueiro Daniel Dantas e que tem previsão de ser julgado na segunda-feira pelo Tribunal Regional Federal (TRF). Embora a tendência nesses casos seja de improcedência do pedido, a situação de De Sanctis se complica pois o tribunal está em processo eleitoral em que dois grupos lutam pelo seu controle: o da desembargadora federal Suzana Camargo, atual vice-presidente, e o da atual presidente, desembargadora Marli Ferreira.

Suzana, favorita para as eleições que ocorrem em abril, é ligada ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Foi ela que o advertiu de que seu gabinete poderia estar sendo monitorado por ordem de De Sanctis. O afastamento do juiz do caso poderia consolidar o apoio do STF a sua eleição.

De Sanctis se fragiliza ainda mais pelo fato de ter um posicionamento interno independente em relação a esses grupos. Isso explica o fato de até hoje não ter se tornado desembargador, apesar de ser o segundo no critério de antiguidade entre os juízes federais da Terceira Região (SP e MS): tem 17 anos de magistratura.

A relatora do pedido de suspeição é a desembargadora Ramza Tartuce, que já se manifestou favoravelmente ao juiz. Ainda faltam os votos dos desembargadores Peixoto Júnior e André Nekatschalow. No julgamento do habeas corpus de Dantas, Peixoto foi o único entre os três que optou pela soltura do banqueiro.

Sendo recusada a suspeição, viria o grande trunfo da defesa de Dantas: um recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou até mesmo ao STF, onde a expectativa é de que seja plenamente acolhido. O efeito imediato disso seria a anulação de todos os atos decisórios do juiz no processo, que voltaria, portanto, à estaca zero, e sem o juiz Fausto De Sanctis na sua condução.

Outra possibilidade seria afastar o juiz do cargo, via Conselho Nacional de Justiça (CNJ), também presidido por Gilmar Mendes. (…)

Dentro do CNJ, há dúvidas sobre o resultado de um eventual julgamento do juiz a partir de uma determinação do STF. Em primeiro lugar porque quem avaliaria uma possível representação seria o corregedor Gilson Dipp, ministro do STJ e um dos principais responsáveis pela criação das varas especializadas de combate à lavagem de dinheiro no Brasil, em uma das quais De Sanctis atua há anos. Eles têm um bom relacionamento.

Todavia, se Dipp determinar que a representação seja encaminhada ao plenário do CNJ, o resultado é duvidoso, na medida em que os 14 conselheiros provêem de diferentes instituições. (…)

(…) Como a condenação de Dantas e dos outros réus no processo por corrupção é dada como certa, a defesa deles se apressa em afastá-lo do julgamento e a enxurrada de recursos e desqualificação pessoal e profissional é considerada uma estratégia que, aliás, já obteve sucesso em outra ocasião.

Foi o que ocorreu com a juíza Márcia Cunha, da 2ª Vara Empresarial da Justiça do Rio, autora da decisão que afastou o Opportunity do controle da Brasil Telecom, em maio de 2005. Dantas tentou anular a decisão da juíza em favor dos fundos também por meio da argüição de sua parcialidade. E conseguiu. Na decisão de suspeição (o primeiro a se manifestar em um pedido de suspeição é o próprio juiz acusado), Márcia Cunha alegou “não ter força para enfrentar o poder econômico” do Opportunity e que desde que proferira a sentença havia “sofrido toda a sorte de infortúnios”, como rumores de que seria corrupta e que teria recebido recursos dos fundos para redigir a sentença, além de intimidações e ameaças.

PHA: OS BASTIDORES DA IMPRENSA E A POLÍCIA FEDERAL DO CHEFE DANIEL DANTAS

O DELEGADO AMARO QUERIA SABER QUE ANTENAS AJUDARIAM A PRENDER PROTÓGENES E PREJUDICAR REPÓRTER DA GLOBO

Paulo Henrique Amorim

. O delegado da Polícia Federal Amaro Vieira Ferreira disse que pediu à Nextel que informasse quais antenas servem a determinados lugares.

. Clique aqui para ler Pag A4 da Folha

. Amigo leitor, o delegado Amaro pensa que você é bobo.

. Então, ele queria fazer um estudo sobre a localização de antenas, não é isso ?

. Por que ele estaria interessado em localização de antenas ?

. O que ele tem a ver com isso ?

. Ele trabalha para a Nextel ?

. Ele é do serviço de licenciamento de obras da Prefeitura ?

. Ele está na campanha da “Cidade Limpa” ?

.Ele é engenheiro eletrônico e quer saber se antena serve para transmitir dados e voz ou para pardal fazer cocô ?

. Ou o delegado Amaro acredita em marciano e queria saber se o ET de Varginha pode pousar numa antena da Nextel ?

. Delegado Amaro, quosque tandem abutere patientia nostra ?

. Delegado Amaro, o senhor faz parte de uma parte da Polícia Federal que tem o objetivo de salvar o Daniel Dantas.

. Essa Polícia Federal que não consegue decifrar os 12 HDs encontrados atrás da parede falsa do Daniel Dantas,

. Que não consegue decifrar o HD encontrado no servidor do banco Opportunity.

. Essa Polícia Federal que tem mais inquéritos contra o ínclito delegado Protógenes Queiroz do que contra Dantas.

. O senhor é da parte da Polícia Federal que responde ao empresário Gilmar Mendes, provisoriamente na presidência do Supremo Tribunal Federal.

. O senhor quer é prender o ínclito delegado Protógenes Queiroz, que prendeu Dantas duas vezes e só conseguiu fazer isso, porque escondeu dessa sua Polícia Federal que ia prendê-lo.

. Porque, senão, Delegado Amaro, o Dr Luiz Fernando Correa dava um jeito de avisar ao Dantas, como avisou ao Eike Batista.

. Porque, se o ínclito Delegado Protógenes Queiroz avisasse a essa Polícia federal, o Daniel e a Veronica estariam presos sabe onde ? – num num resort da República Dominicana …

. E seu objetivo, delegado Amaro, é constranger o César Tralli, o repórter da Globo que testemunhou a prisão da quadrilha de Dantas.

. O seu objetivo é fortalecer dentro da Globo quem tentou impedir Tralli de fazer a matéria.

. O seu objetivo é fortalecer o Ali Kamel, que tentou constranger Tralli.

. Ali Kamel, interlocutor privilegiado de Wilson Mirza, um dos 1001 advogados de Dantas.

. O seu objetivo, Delegado Amaro, é constranger o Ministro da Justiça, Abelardo Jurema, que insiste em não ir embora para o Rio Grande do Sul.

. Um Ministro da Justiça que faz qualquer coisa para sair como inimigo dos torturadores – e deixa a Polícia Federal instalar um regime totalitário, esse de que Gilmar Mendes é autor, parte e beneficiário.

. Delegado Amaro, o senhor e suas antenas da Nextel desmoralizam o presidente que não manda na Polícia Federal.

. Um presidente que tem medo de Dantas, de Mendes e de Nelson Jobim.

. Que antenas são essas, delegado Amaro ?

. A quem o senhor pensa que engana ?

Em tempo: um leitor amigo do Conversa Afiada informa que a localização das antenas da Nextel é uma informação pública, disponível na Anatel. Delegado Amaro, além de tudo, o senhor é incompetente.(Paulo Henrique Amorim)

AMORIM: PT DO DANTAS VENCEU O PT QUE QUERIA DEGOLAR DANTAS

Gushiken perdeu a batalha para José Dirceu e para o financiamento de campanha

Gushiken perdeu a batalha para José Dirceu e para o financiamento de campanha

Amorim revela que Lula tentou eliminar Daniel Dantas, mas foi barrado pelo PT. Vale ressaltar que com a ajuda da grande mídia.

É por isso que agora o PT está com a cara do PSDB.

3/10/2008 11:18

LULA MANDOU DEGOLAR DANTAS TRÊS VEZES. DEPOIS DESISTIU


Paulo Henrique Amorim

Máximas e Mínimas 1965

. O PiG se debate há alguns dias sobre se o Presidente que tem medo, o Presidente que tem 80% de popularidade, deu ordem ou não ao ínclito Delegado Paulo Lacerda – e, por extensão, ao ínclito Delegado Protógenes Queiroz – para investigar Daniel Dantas (clique aqui para ler no Estadão).

. Como sempre, o noticiário do PiG é incompetente, com um viés ideológico: proteger Dantas e os brancos e ricos, a qualquer custo.

. Um passarinho pousou aqui na janela, desses passarinhos a quem o Supremo Presidente quer oferecer cicuta – clique aqui para ler que o Presidente Supremo do Supremo quer aplicar sanções penais contra este modesto jornalista …

. O passarinho descreveu as três vezes em que o Presidente Lula mandou degolar Dantas.

1) Em 2003, logo depois de eleito, ele deu ordens a Sérgio Rosa para estudar a forma de degolar Dantas. Rosa é da Previ e travou a batalha para tirar Dantas da Brasil Telecom, com o respaldo político de Luis Gushiken, naquele momento, um ministro forte.

2) Com a ajuda de dois especialistas, Rosa preparou um volumoso “livro preto” e, com ele, expôs ao Presidente Lula as falcatruas de Dantas na BrT e como degolá-lo. Lula deu o sinal verde. A bancada do PT no Congresso montou sobre Rosa e Lula uma pressão fortíssima: era preci$o “deixar o Dantas pra lá”. Foi preciso Luis Gushiken promover uma reunião de Lula com líderes da bancada e Lula dizer na frente de todos: temos que degolar Dantas !

3) A pre$$ão do PT sobre Lula aumentou. O veículo dessa pre$$ão sempre foi José Dirceu, o verdadeiro Caixa do PT (até ontem…). Rosa e seus companheiros dos fundos de pensão não tinham competência – ou vontade – para degolar Dantas de vez. Com isso, a pressão de Dirceu aumentava. Lula resolve tirar o ínclito Delegado Paulo Lacerda da Polícia Federal. Lacerda estava muito perto do pescoço de Dantas. Mas, antes de sair, Lacerda e Lula falaram a respeito da investigação sobre Dantas. Lacerda, já na Abin, conversou com o ínclito Delegado Protógenes Queiroz. E disse ao delegado Protógenes que o Presidente da República estava interessado na investigação sobre Dantas. Porém, a nova PF, do Ministro da Justiça Abelardo Jurema, e de Luiz Fernando Corrêa, investiu-se, agora, da função de aliviar Dantas (e o PT…).

. O resto da história se conhece.

. O Governo Lula montou a maior patranha empresarial do Brasil: a “BrOi”.

. Sai todo mundo com grana, especialmente os candidatos da base do Governo, a qualquer eleição – especialmente a presidencial.

. E Dantas recebe um cala-a-boca de US$ 1 bilhão.
Em tempo: este passarinho manteve duas conversas – devidamente registradas – sobre esses episódios. Uma com Luis Gushiken. Outra, com Ricardo Berzoini.

Leia também no Educação Política:

JUSTIÇA BRITÂNICA FAZ SERVIÇO QUE JUSTIÇA BRASILEIRA TENTA FAZER E NÃO CONSEGUE

NELSON JOBIM FUMOU CHARUTO COM JOSÉ DIRCEU E SELOU A UNIÃO ENTRE PT E PSDB

DANIEL DANTAS ZOMBA DA MAGISTRATURA

DANIEL DANTAS: O MAIOR GOLPE À POLÍTICA BRASILEIRA DESDE 64

HOMEM DE DIRCEU PROTEGE DANTAS NA POLÍCIA FEDERAL

JUSTIÇA BRITÂNICA FAZ SERVIÇO QUE JUSTIÇA BRASILEIRA TENTA FAZER E NÃO CONSEGUE

Comentário:

Será que apesar do Supremo Tribunal Federal, a justiça brasileira vai conseguir finalizar os processos contra Daniel Dantas? Só mesmo com a ajuda da Justiça de outros países. Veja matéria abaixo. Até quando a grande mídia brasileira vai ficar navegando no circo da CPI do Grampo? Uma CPI que tem o objetivo explícito de constranger bons funcionários públicos, sejam delegados ou juízes, e conseguir brechas para os advogados de defesa livrarem o banqueiro Daniel Dantas, não por ser inocente, mas por possível falhas nos processos.

Até agora, o trabalho de Protógenes Queiroz e do Juiz Fausto de Sanctis está incólume.

Leia também:

JURISTA DALMO DALLARI PREVIU A TRAGÉDIA GILMAR MENDES EM 2002

CADÊ O PT? CADÊ O PSDB? TÁ TODO MUNDO QUIETINHO!!!

O BRASIL FOI ABANDONADO PELOS SEUS JUÍZES E DESEMBARGADORES

DANIEL DANTAS ZOMBA DA MAGISTRATURA

Autoridades britânicas bloqueiam U$$ 46 milhões de Dantas

Banqueiro foi preso na Operação Satiagraha, da PF, junto com ex-prefeito Pitta e megainvestidor Naji Nahas

Rui Nogueira e Sônia Filgueiras – de O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – A Justiça britânica comunicou nesta quinta-feira, 25,  ao governo brasileiro que bloqueou US$ 46 milhões do banqueiro Daniel Dantas – o dinheiro, depositado em duas contas de bancos ingleses, foi descoberto pela Polícia Federal durante as investigações da Operação Satiagraha. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), unidade brasileira de combate à lavagem de dinheiro, e as autoridades britânicas vinham monitorando as duas contas há pelo menos um mês.

Segundo fontes do Ministério da Justiça, o pedido de bloqueio foi feito “há uma semana”, quando o Coaf detectou movimentação nas contas, inclusive saques, e alertou o Ministério Público. A pedido do MP, o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) fez o pedido, comprovou a movimentação e foi atendido. “Fomos prontamento atendidos dentro das regras de cooperação jurídica entre os dois países”, disse ao Estado, o Secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior.

Com esse bloqueio na Inglaterra e o rastreio de mais fundos espalhados por outros países e paraísos fiscais, a Polícia Federal espera retomar o foco original da Operação Satiagraha, que era investigar os negócios financeiros de Dantas por meio do Opportunity Fund Cayman e dos clientes brasileiros que, supostamente, usariam o esquema bancário dele para lavar dinheiro e fazer investimentos ilegais dentro e fora do País – os clientes do fundo de Dantas seriam empresários e também políticos.

A retomada do foco da Satiagraha está agora sob comando do delegado Ricardo Saad, que substitui Protógenes Queiróz. Saad é o chefe da Delegacia de Combate aos Crimes Financeiros da Superintendência de São Paulo (Delecin). (Estadão)

NELSON JOBIM FUMOU CHARUTO COM JOSÉ DIRCEU E SELOU A UNIÃO ENTRE PT E PSDB

Comentário:

Nelson Jobim mentiu sobre maleta da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) ao afirmar que poderia fazer gravações e agora desmentiu que mentiu (veja em PHA), pediu o afastamento de Paulo Lacerda ao Presidente Lula sem qualquer prova (aliás não existe qualquer prova de que realmente houve a gravação da conversa entre o Ministro Gilmar Mendes e Demóstenes Torres -DEM-GO). Para completar, ligou para Heráclito Fortes para alertar Dantas (Veja em PHA) e fumou charuto com José Dirceu. Para variar, usa uniforme militar. Não sei porque, isso me lembra os anos 70.

O charuto de Dirceu e Jobim foi o evento simbólico da união PT/PSDB em torno de Dantas. Esse foi o maior golpe à política brasileira desde 64. Veja:

DANIEL DANTAS: O MAIOR GOLPE À POLÍTICA BRASILEIRA DESDE 64

GRANDE FURO DA VEJA: PELA PRIMEIRA VEZ GRAMPO REVELA INTERESSE DO GRAMPEADO

DANIEL DANTAS ZOMBA DA MAGISTRATURA

SUBPROCURADOR MOSTRA QUE GILMAR MENDES DESRESPEITOU A JUSTIÇA

Jobim pediu afastamento de cúpula da Abin

Claudio Leal/Terra Magazine

No depoimento da tarde desta quarta-feira, 17, na CPI dos Grampos, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, admitiu que apresentou ao presidente da República a solução de afastar a diretoria da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Para Jobim, “o que estava em jogo era a responsabilidade política e não criminal” do grampo contra o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. “A solução era afastar a diretoria da Abin”, disse o ministro, alegando pressões do STF por providências imediatas.

Segundo relato à CPI, na Câmara dos Deputados, Jobim pediu a cabeça de Paulo Lacerda – diretor-geral afastado da Abin – antes mesmo de ter certeza de que os três equipamentos comprados via a Comissão de Compras do Exército realizavam escutas telefônicas.

Momentos antes, o ministrou confessara, nas linhas e entrelinhas, uma trombada hierárquica: “Minha posição de que deveríamos afastar a cúpula da Abin não decorreu desse fato, mas de que agentes teriam participado” da Operação Satiagraha. A Abin está submetida ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Na interpretação de Jobim, “não compete” à agência fazer investigação de crime comum.

Além de análises jurídicas, houve atmosfera para charutos.

O ministro da Defesa confirmou um encontro recente com o ex-deputado cassado José Dirceu. Jobim garante que a Operação Satiagraha não esteve em pauta. “(Dirceu) foi levar uma caixa de charuto”.(Terra Magazine)

AMORIM: NELSON JOBIM, MINISTRO DA DEFESA, ATUA A FAVOR DE DANTAS

JOBIM TENTA AJUDAR DANTAS: ISSO É UM PERIGO !
Paulo Henrique Amorim
Máximas e Mínimas 1441

A interceptação telefônica realizada de forma legal na Operação Satiagraha, que fez a interceptação dentro da Lei, captou uma conversa entre o Ministro serrista Nelson Jobim – aquele que janta no Antiquarius, no Rio, com o sócio de Daniel Dantas, o Carlinhos Rodenburg – e o senador Heráclito Fortes, o líder da Bancada Dantas no Congresso.
. Jobim – Heráclito, uma dupla a serviço de Dantas.
. Que tal acrescentar outro que trabalha no Palácio do Planalto, o Ministro do Futuro, Mangabeira Unger, que tem um passado com Dantas que o condena ?
. Mas, nesse caso de que aqui tratamos, reproduz-se uma conversa muita franca.
. Jobim pede a Heráclito para avisar a Carlinhos Rodenburg que os investimentos de Dantas na Amazônia podem ser “perigosos”.
. Ou seja, isso pode dar rolo.
. Atente, caro leitor, para a gravidade dessa informação.
. O Ministro da Defesa pede a um senador da República para alertar um quadrilheiro sobre os perigos de seus investimentos na Amazônia.
. Onde nós estamos, caro leitor ?
. “Perigosos” , como ?
. O que está em risco ? São os interesses da Defesa Nacional, ou interesses da defesa do bolso de Dantas? (Para Ler texto completo)

DEPOIS DA POLÍCIA FEDERAL, DANTAS AGORA ESTÁ NA ABIN

Do blog do Josias de Souza

Novo diretor da Abin trabalhou para Daniel Dantas

O governo escolheu a dedo o substituto de Paulo Lacerda na Abin. Chama-se Wilson Trezza.

Deve-se à repórter Fernanda Odilla (só para assinantes da Folha) a revelação de que Trezza já trabalhou para Daniel Dantas.

Sim, exatamente, ele mesmo: o suspeito-geral da República, preso e solto duas vezes na Operação Satiagraha.

Entre fevereiro de 2002 e março de 2003, o novo mandachuva da Abin bateu ponto na Fundação Brtprev. Era diretor de Seguridade.

Geria os planos de benefícios dos colaboradores da Brasil Telecom, empresa submetida à época ao controle de Daniel Dantas. (Leia mais em Josias de Souza)

SUBPROCURADOR MOSTRA QUE GILMAR MENDES DESRESPEITOU A JUSTIÇA

Subprocurador-geral da República quer prisão de Daniel Dantas

Ana Luiza Zenker
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O subprocurador-geral da República, Wagner Gonçalves, quer a prisão do banqueiro Daniel Dantas, preso na Operação Satiagraha e solto por decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

O pedido faz parte do parecer, para o habeas corpus 95009, enviado por Gonçalves à 2ª Turma do STF, que deve referendar ou não a decisão de Gilmar Mendes. O subprocurador-geral defende que a revogação da prisão preventiva de Dantas não seja  confirmada.

Para Wagner Gonçalves, houve supressão de instâncias, já que a prisão preventiva, pedida em seguida, ainda não tinha sido analisada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), e desrespeito à jurisprudência do próprio Supremo.

Na opinião dele, a prisão tem que ser apreciada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo. Gonçalves sugere que, caso a 2ª Turma do STF aceite o seu parecer, seja expedido um novo mandado contra Daniel Dantas.

O subprocurador ainda destacou que o pedido para a a prisão preventiva foi fundamentado exaustivamente, além de ter fatos e elementos concretos que justificavam a medida. O parecer de Gonçalves vai ser analisado pelo ministro Eros Grau, relator do habeas corpus na 2ª Turma do STF.

DANIEL DANTAS ZOMBA DA MAGISTRATURA

Veja só as rugas de preocupação de Dantas com os juizes brasileiros

Veja só as rugas de preocupação de Dantas com os juízes brasileiros

O banqueiro Daniel Dantas não diz uma palavra diante de juízes e delegados, mas solta o verbo na CPI do Granpo, armada por uma bancada amiga; uma CPI que coloca juízes e acusados no mesmo nível, no mesmo plano.

Com essa atitude, Dantas zomba e desdenha de Juízes, desembargadores, magistrados, procuradores, delegados e todo o aparato da justiça brasileira.

Ele faz isso porque sabe que tem “facilidades” no Supremo Tribunal Federal, instância que lhe concedeu dois habeas corpus em 48 horas pelas mãos de Gilmar Mendes. Instância que agilmente altera a lei para melhorar as condições dos criminosos.

A atitude de Dantas é um direito constitucional; um direito de impedir a investigação. A atitude de Dantas fala diretamente aos juízes honrados do Brasil. Imagino o que esses juízes estão pensando agora. Dantas prendeu a magistratura, Dantas subjugou a magistratura.

Leia também:

AMORIM: PROCURADORES PROCESSAM GILMAR MENDES

DANIEL DANTAS: O MAIOR GOLPE À POLÍTICA BRASILEIRA DESDE 64

EM NOME DA JUSTIÇA, PELUSO DEVERIA SE AFASTAR DO JULGAMENTO DE DANTAS

SUPREMO LEGISLA PARA RICO NÃO SER ALGEMADO

AMORIM: PROCURADORES PROCESSAM GILMAR MENDES

Se tivéssemos em outros tempos, e o PT tivesse um pouco de sua dignidade política histórica (claro que tirando o Gomes, o Cardozo e o Dirceu que acham que Daniel Danta$ pode ser bom para o partido), Gilmar Mendes não sairia impune por ter entrado para o Guinness Book com dois habeas corpus para um criminoso, segundo entendem a Polícia Federal e a Justiça honesta do Brasil.

Antes de ler a notícia do PHA abaixo, clique e veja o vídeo Mastercard de Gilmar Mendes e Daniel Dantas com o humor da Blogosfera

CRIME DE RESPONSABILIDADE: PROCURADORES PROCESSAM MENDES NO MPF

O Conversa Afiada apurou que um grupo de Procuradores da República encaminhou uma representação contra o presidente do Supremo Tribunal Federal Ministro Gilmar Mendes ao Procurador Geral da República Antônio Fernando de Souza. A representação foi protocolada na semana passada.

No documento, os Procuradores indicaram que o Ministro Gilmar Mendes cometeu “crime de responsabilidade” ao ferir o Artigo 39 da Lei 1079, de 1950, que trata de crime de responsabilidade de autoridade.

Para justificar a representação, os Procuradores narraram dois fatos: O habeas corpus original, que deu liberdade de Daniel Dantas, contra um ato de um juiz de primeiro grau foi levado diretamente ao Supremo Tribunal Federal. Segundo os procuradores, o que ocorreu foi o seguinte: antes de Dantas ser preso, seus advogados pediram um habeas corpus preventivo ao STF para saber se havia alguma investigação contra ele e de que se tratava essa investigação. Essa ação não pedia para soltar Dantas, até porque ele não estava preso. Mas, depois que o juiz de primeira instância Fausto De Sanctis decretou a prisão de Dantas, os advogados utilizaram o número desse habeas corpus que estava no STF para pedir, diretamente ao Supremo, que Dantas fosse solto. E isso, segundo os procuradores, fere o artigo 39 da Lei 1079.

O outro “crime de responsabilidade” do Ministro Mendes, segundo os Procuradores, foi o seguinte: Na primeira prisão de Dantas, o Ministro Mendes disse que o juiz De Sanctis cometeu ato ilegal. E, na segunda prisão, o Ministro Mendes teria aplicado uma sanção ao juiz De Sanctis e encaminhado ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Os procuradores dizem que depois da repercussão da sanção, o Ministro Mendes voltou atrás e disse que era apenas uma informação estatística encaminhada ao CNJ. Essa atitude do Ministro Mendes também fere, segundo os Procuradores, a lei que trata da responsabilidade de autoridades.

O Conversa Afiada apurou que o Procurador Geral da República pode entender, que pelos mesmos fatos narrados pelos Procuradores, Mendes tenha cometido um outro tipo de infração, ou mesmo não tenha cometido infração nenhuma. Os Procuradores aguardam um pronunciamento do Procurador Geral, que não tem prazo para se manifestar.

Caso o Procurador Geral da República considere que o Ministro Mendes cometeu um crime, o Procurador dirá que sanção cabe. Pode, inclusive, pedir o impeachment do Ministro Mendes, que terá que ser votado pelo Senado. (PHA)

DANIEL DANTAS: O MAIOR GOLPE À POLÍTICA BRASILEIRA DESDE 64

O banqueiro Daniel Dantas protagoniza (infelizmente no presente o verbo) o maior atentado ao processo democrático do país desde o Golpe de 64.

Em nenhum momento, desde a abertura política no início dos anos 80, se teve um tamanho dano à organização política e social brasileira.

Ele conseguiu fazer o que ninguém esperava nas próximas décadas: unir os dois principais partidos políticos, PT e PSDB, via corrupção, além de corromper e montar uma bancada legislativa em vários partidos políticos.

Dantas tem cães de guarda em todos os partidos políticos, no Judiciário, na Polícia, na Imprensa.

Dantas conseguiu defensores na Câmara e no Senado Federal. Dantas está conseguindo aprovar leis que beneficiam criminosos e minam a democracia. Tudo sob a falácia do Estado de Direito, mas na verdade é um Estado de Direito do Corruptor.

Dantas conseguiu benefícios no Judiciário e “facilidades” na maior instância do Poder Legislativo, o Supremo Tribunal Federal, com direito a ir para o Guinness Book como o indivíduo que conseguiu dois hábeas corpus em 48h.

Dantas conseguiu dividir a Polícia e afastar delegados que cumprem as suas obrigações. Dantas conseguiu corromper a grande imprensa e ficar durante anos sendo beneficiados por reportagens.

Dantas fez um verdadeiro estrado no processo democrático brasileiro.

E pensar que tudo começou nas privatizações de Fernando Henrique Cardoso….

Esse golpe provocado por Daniel Dantas se dá porque ele conseguiu produzir uma ordem de retrocesso em todos os espaços que atuam dentro de um processo democrático.

Normalmente a corrupão traz danos econômicos, mas nesse caso o dano foi generalizadamente institucional.

Quanto tempo levaremos para limpar o lixo legal que beneficia os clientes dos advogados criminalistas que o Congresso está produzindo.

Leia também sobre Dantas

Leia sobre a Justiça no Caso Dantas

Leia o Dossiê Veja, de Luiz Nassif

Leia tudo sobre Dantas com Paulo Henrique Amorim

A PUBLICIDADE ENSINANDO JORNALISMO. QUEM DIRIA…

Em 2005, a revista Carta Capital fez a seguinte publicidade com o título:

NADA CONTRA OS COELHOS, MAS ALGUÉM PRECISA FICAR DE OLHO NAS RAPOSAS

Acho que nunca a publicidade foi tão cruel com a grande mídia.
Quem diria, a publicidade ensinando jornalismo.
Ou melhor: durante anos os grandes conglomerados de mídia “acreditaram” (você acha que eles acreditaram?) em um grande empresário, Daniel Dantas. Na verdade, uma cria do PSDB durante as privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso.
Para a grande mídia ficar babando no texto durante anos, só tem duas explicações: manipulação ou incompetência. Você Decide!

Leia também:

EM NOME DA JUSTIÇA, PELUSO DEVERIA SE AFASTAR DO JULGAMENTO DE DANTAS

CARTA CAPITAL FOI A ÚNICA QUE NOTICIOU AS FALCATRUAS DE DANTAS

JURISTA DALMO DALLARI PREVIU A TRAGÉDIA GILMAR MENDES EM 2002

CADÊ O PT? CADÊ O PSDB? TÁ TODO MUNDO QUIETINHO!!!

EM NOME DA JUSTIÇA, PELUSO DEVERIA SE AFASTAR DO JULGAMENTO DE DANTAS

Em agosto, a segunda turma do Supremo Tribunal Federal, formada por Eros Grau, Celso de Mello, Ellen Gracie (que impediu a abertura do disco rígido do Dantas), Cezar Peluso e Josaquim Barbosa, julgará em definitivo o habeas corpus do banqueiro.

O ministro do Supremo, Cezar Peluso, deveria se julgar impedido de votar, visto que os advogados de Dantas já anunciaram seu voto. É a favor de Daniel Dantas. Aliás, por que teriam facilidades no Supermo? Essa poderia ser mais uma investigação a ser feita pela Polícia Federal.

Não é possível o Supremo Tribunal Federal já se comportar como um jogo de cartas marcadas.

Em nome da Justiça, Peluso deveria se afastar dessa votação.

Leia sobre a ação dos Advogados de Dantas

CARTA CAPITAL FOI A ÚNICA QUE NOTICIOU AS FALCATRUAS DE DANTAS

Carta Capital publicou matéria sobre a cobertura da imprensa

Viva o Jornalismo Investigativo

O jornalismo “investigativo” brasileiro manifesta-se, em todo seu esplendor, nestes dias posteriores à Operação Satiagraha. Os bravos repórteres dedicam-se à estafante tarefa de recortar e colar partes do relatório parcial da Polícia Federal – ou reproduzir informações assopradas de afogdilho por alguma fonte com acesso privilegiado às investigações.

Análise, interpretação dos trechos truncados? Seria demais esperar isso, como seria demais que se dessem ao simples trabalho de checar se determinados “furos” já não são de conhecimento até do mundo mineral.

Algumas das tantas “reportagens” que brotam na extensa cobertura da chamada “grande imprensa” foram relatadas em várias edições de CartaCapital em passado não tão longíquo. Era o auge do escândalo do “mensalão” e o dito jornalismo investigativo andava mais preocupado com o dinheiro na cueca de um assessor parlamentar no Ceará e os supostos dólares de Cuba.

Para facilitar o trabalho deste time de investigadores da imprensa, agora heróis da liberdade e da apuração exaustiva, a revista lista a seguir as edições onde eles podem achar mais informações para enriquecer seu trabalho. Bom proveito.

Edição 348, de 29 de Junho de 2005 – A reportagem O orelhudo tá nessa, a partir da página 28, narra a participação de Daniel Dantas no Valerioduto e conta como petistas, entre eles Sílvio Pereira, Delúbio Soares e José Dirceu, defenderam interesses do Opportunity no governo. O nome do advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, vulgo Kakay, amigo de Dirceu, é apresentado como intermediário entre Dantas e o ex-ministro da Casa Civil. Atenção jornalistas investigativos, um executivo do Citibank contou a CartaCapital um diálogo com Dantas. O banqueiro brasileiro disse à turma do Citi que havia pagado 5 milhões (não disse se dólares ou reais) a Kakay para resolver seus problemas no governo.

Edição 354, de 10 de agosto de 2005 – Em A Conexão Lisboa, CartaCapital conta os objetivos da viagem do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza a Portugal. O resto da imprensa atribuiu a viagem, da qual também participou Emerson Palmieri, tesoureiro do PTB, como lobby pela privatização do IRB, a empresa de resseguros do governo. Marcos Valério teria se apresentado como “representante do governo” na ocasião. A revista revelou que o motivo da viagem foi discutir a venda da Telemig Celular à Portugal Telecom. O plano de Dantas era negociar a empresa de telefonia celular mineira com os portugueses e usar o dinheiro para comprar a Brasil Telecom dos demais sócios (Citi e Telecom Itália), mantendo os fundos de pensão como minoritários. O problema era a oposição destes fundos. O mais firme opositor era Sérgio Rosa, presidente da Previ (fundo dos funcionários do Banco do Brasil). A idéia era demover Rosa da presidência da fundação e agir para que Henrique Pizzolatto assumisse o posto. Pizzolatto recebeu dinheiro do Valerioduto e agiu a favor de DD neste episódio. Uma auditoria da Brasil Telecom apontou mais tarde que o Opportunity provocou prejuízos de 600 milhões de reais à operadora, ao usar a estrutura e dinheiro da companhia em proveito próprio.

Edição 363, de 12 de outubro de 2005 – A reportagem Segredos do Brasil conta a expectativa de autoridades quanto à abertura e o conteúdo do disco rígido dos computadores do Opportunity (os dados do HD são um dos sutentáculos da Operação Satiagraha). Relata-se ainda a pressão que o então ministro José Dirceu teria exercido sobre o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e a Polícia Federal a favor de Dantas. Conta-se, por fim, as tentativas de desqualificação de Edson Vidigal, então ministro do STJ, que deu decisões desfavoráveis ao Opportunity.

Edição 377, de 25 de janeiro de 2006 – Na quarta-feira, 16, a Folha de S. Paulo revela aos seus leitores ter tido acesso a um documento que CartaCapital publicou com detalhes mais de dois anos atrás. Em A agenda e a crise, descreve-se os encontros de Humberto Braz, à época presidente da Brasil Telecom Participações e atualmente preso por tentar corromper um delegado federal que atuou na Satiagraha, com figuras centrais do chamado “mensalão”. Estão lá, além de Marcos Valério, Ivan Guimarães, Duda Mendonça, Kakay, Cristiano Paes, entre outros. Braz também se reuniu 15 vezes com Eduardo Rascovisky, lobista carioca que tentou corromper o marido da juíza Márcia Cunha, segundo relato da própria magistrada. Titular da 2ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Márcia Cunha tinha tomado decisões contrárias aos interesses do Opportunity na disputa pelo controle das empresas de telefonia. Como o suborno não funcionou, a juíza passou a ser alvo de ataques. Um dossiê contra ela foi parar na imprensa. Márcia Cunha respondeu a um processo administrativo no tribunal e a quatro pedidos de suspeição feitos por advogados de Dantas.

Edição 395, de 31 de maio de 2006Dantas e os petistas expõe as relações de próceres do PT com Dantas, a partir da estranha reunião na casa do senador Heráclito Fortes após a divulgação, por Veja, de contas falsas do presidente Lula, ministros e autoridades. A revista do grupo Abril atribuiu o dossiê a Dantas. Na casa de Fortes, e na presença do ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça) e dos deputados petistas Simaringa Seixas e José Eduardo Cardozo, o banqueiro negou ter sido autor do dossiê (acabou indicado, no ano passado, por calúnia). CartaCapital contou como Cardozo havia defendido interesses do Opportunity ao solicitar uma investigação da venda da CRT, operadora do Rio Grande do Sul, à Brasil Telecom. Essa operação serviu para Dantas encobrir os reais motivos da contratação da Kroll para bisbilhotar desafetos e concorrentes.

Edição 396, de 7 de junho de 2006A Fábrica de Dossiês revelou há dois anos o que O Estado de S. Paulo acaba de descobrir: Dantas mandou espionar juízes. É uma longa lista de documentos apreendidos por conta da Operação Chacal, em 2004. Nos dossiês há referências a tucanos, petistas, policiais federais, magistrados e empresários nacionais e estrangeiros.

Carta Capital

GILMAR MENDES SAIRÁ MORALMENTE IMPUNE DOS HABEAS CORPUS DADOS A DANTAS

Será que o Ministro Gilmar Mendes sairá moralmente impune dos dois habeas corpus dados ao banqueiro Daniel Dantas?  Veja abaixo notícia sobre as manifestações.

Manifestantes em São Paulo pedem impeachment de Gilmar Mendes

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Manifestantes fizeram sábado, em São Paulo, um protesto pedindo o impeachment do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Além do protesto, eles assinaram um manifesto que pretendem encaminhar ao Senado Federal pedindo a saída do presidente do STF. O manifesto, que já tem cerca de 10 mil assinaturas segundo a coordenação do movimento, pode ser lido e assinado em um blog internet.

Segundo o comerciante Eduardo Guimarães, coordenador do movimento, em todo o Brasil e principalmente na capital paulista, a idéia da manifestação surgiu assim que o ministro Gilmar Mendes concedeu dois habeas corpus ao banqueiro Daniel Dantas, preso pela Polícia Federal durante a Operação Satiagraha.

“Quando começou a se materializar a inconsistência jurídica que havia no habeas corpus é que as pessoas começaram a se dar conta de que alguma coisa precisava ser feita. A mim, como cidadão, gerou uma sensação de muita insegurança porque eu não teria jamais esse benefício”, disse Guimarães, em entrevista à Agência Brasil.

Para ele, há, no Brasil, três tipos de justiça: “a dos banqueiros, que nunca ficam presos; a da classe média, que pode ir para a prisão dependendo do ‘clamor das ruas’; e a dos pobres, que sempre ficam na cadeia, sem qualquer tipo de julgamento”.

%d blogueiros gostam disto: