Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: empréstimo

BNDES SUBSIDIA COM O DINHEIRO DO POVO A MAIOR MONTADORA DO MUNDO, COM FATURAMENTO DE 160 BILHÕES DE EUROS EM 2011

Coutinho: dinheiro para oligopólio

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (?) (BNDES) dá mais uma contribuição para piorar o Brasil e concentrar renda. Notícia de hoje na Folha de S. Paulo mostra que o Banco vai emprestar 342 milhões de reais para a Volkswagem, a maior montadora do mundo em faturamento. No ano passado, a empresa alemã movimentou cerca de R$ 160 bilhões de euros e se tornou a maior do mundo.


O BNDES, presidido por Luciano Coutinho, vai emprestar dinheiro do povo brasileiro a juros subsidiados para a empresa desenhar um automóvel. Vejam só. Emprestar para uma empresa que desenha automóvel há quase 100 anos e tem faturamento de 160 bilhões de euros. O pior é que a empresa detém cerca de 20% do mercado de automóveis no país e pertence a um setor que é oligopolizado.

Além disso, o incentivo à indústria automobilística só tende a piorar as condições de mobilidade nas cidades. O dinheiro público deve ser investido em transporte coletivo e projetos de mobilidade urbana e não em multinacionais do setor automobilístico. Nada especificamente contra a Volkswagem, mas é uma empresa que não precisa dessa ajuda. Esse dinheiro poderia ser muito bem usado em um projeto de mobilidade urbana.

Quanto mais automóveis são vendidos, mais pistas e pontes terão de ser construídas. Ou seja, o dinheiro do BNDES vai gerar mais demanda de infraestrutura. É preciso financiar projetos que ajudem as pessoas a deixarem seus carros nas garagens e não projetos que incentivem a compra de automóveis. E muito menos emprestar para “desenhar” um automóvel!!

Leia mais em Educação Política:

SERÁ A TERCEIRA VIA? AÇÃO DO GOVERNO DILMA ROUSSEFF SOBRE JUROS BANCÁRIOS ABRE CAMINHO PARA O BRASIL ESTABELECER UM NOVO PROJETO POLÍTICO-ECONÔMICO
LUCIANO COUTINHO, DO BNDES, PRECISA VER O FILME TRABALHO INTERNO (Inside job), DE CHARLES FERGUSON, SOBRE A CRISE DE 2008
O NATAL CHEGOU: BNDES SUSTENTA O OLIGOPÓLIO DAS TELES, CONCENTRA RENDA E JOGA O BRASIL NO CAMINHO DA CRISE EUROPEIA
FUSÃO DE GRANDES EMPRESAS ESTÁ NA RAIZ DA CRISE ECONÔMICA QUE ABATE OS ESTADOS UNIDOS E A UNIÃO EUROPÉIA

CEF (CAIXA ECONÔMICA FEDERAL) RESPONDE POR 70% DO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO DO BRASIL E CRESCEU 106% NOS CINCO PRIMEIROS MESES DO ANO

Está cada vez mais difícil falar em privatização na situação atual, tão propalada durante o governo federal do PSDB. Veja o caso da Caixa Econômica Federal (CEF).  A redução de juros, divulgada hoje, é algo importante, mas há outros dados econômicos na matéria sobre a CEF que impressionam. A CEF representa hoje 70% do financiamento imobiliário e cresceu 106% entre janeiro a maio deste ano.

Os dados são tão elevados que por si só geram dúvidas sobre a sua veracidade.

Se são verdadeiros, para que servem os bancos privados brasileiros? Apenas para cobrar taxas administrativas e taxas de médias 150% no cheque especial?

Caixa reduz juros nos financiamentos habitacionais

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Caixa Econômica Federal informou hoje (5) que reduziu os juros nos empréstimos habitacionais. Segundo a instituição, as taxas para os financiamentos com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) estarão entre 8,2% e 11,5% ao ano, acrescidos de TR e passam a valer a partir da próxima segunda-feira (8). Segundo o banco, as novas regras podem reduzir as prestações em até 10,58%.

Para os empréstimos enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) – imóveis com valor de até R$ 500 mil – a redução chega a 1 ponto percentual. Para unidades habitacionais avaliadas em até R$ 150 mil, as taxas serão de 8,9% ao ano na opção de pagamento via boleto bancário; de 8,4% para o mutuário que escolher o débito em conta e de 8,2% para aqueles que tiverem cesta de produtos (conta corrente, cheque especial e cartão de crédito). Anteriormente, os juros variavam entre 8,4% a 9,4% ao ano.

Os empréstimos para compra de imóveis no valor de R$ 150 a R$ 500 mil terão juros anuais de 10,5% no caso do pagamento via boleto; de 10% ao ano, para débito em conta e de 9,5% ao ano, para cesta de produtos.

Antes da redução, os juros da Caixa eram de 9,5% a 10,5% ao ano para imóveis avaliados entre R$ 130 mil e R$ 200 mil e de 11,5% anuais para unidades com custo acima de R$ 200 mil até R$ 500 mil.

O banco reduziu também os juros das operações fora do SFH (imóveis acima de R$ 500 mil). Para pagamento por boleto, os juros são de 11,5% ao ano; no débito em conta são de 11% e para quem tem cesta de produto, de 10,5%.

Hoje o banco responde por 70% do mercado de financiamento imobiliário do país. O SBPE oferece prazo de pagamento de até 30 anos e as quotas de financiamentos chegam a 90% do valor do bem.

No final do mês de maio, a Caixa bateu novo recorde em financiamento habitacional. O banco liberou nos cinco primeiros meses do ano o montante de R$ 13,2 bilhões, em 275.464 contratos.

O volume é 106% superior, se comparado ao mesmo período do ano anterior, quando o banco emprestou R$ 6,5 bilhões e o número de pessoas beneficiadas subiu em 113% (130.872 contratos). Até o fim de 2009, a Caixa estima aplicar no setor cerca de R$ 30 bilhões.

Leia mais em Educação Política:
TRABALHADORES INFORMAIS PODERÃO SE TORNAR FORMAIS QUASE SEM PAGAR IMPOSTO E, COM ISSO, VENDER PARA EMPRESAS E PREFEITURAS
JUSTIÇA FAZ APREENSÃO NA MONSANTO; ACUSADA DE PIRATARIA, EMPRESA CAUSA PREJUÍZO PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
BRASIL TAMBÉM É LIDER EM DESIGUALDADE NO ACESSO À INTERNET
GOVERNO LULA PRECISA ESTIMULAR A ECONOMIA DA RECICLAGEM; CATADORES DE PAPEL E PLÁSTICO SOFREM COM A CRISE DOS BANCOS
RELATÓRIO FOCUS É O MESMO QUE CANTAR UNI, DUNI, TE; BANCO CENTRAL PRECISA SER INDEPENDENTE DO MERCADO FINANCEIRO
%d blogueiros gostam disto: