Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: Geraldo Alckmin

Alckmin aluga imóvel em Campinas para delegacia por R$ 60 mil mensais e subutiliza

O imóvel alugado para a 2ª Delegacia Seccional de Polícia da cidade, no Jardim Londres, paga alguel de R$ 60 mil mensais e está sendo subutilizado. Desde fevereiro último, só está em funcionamento (Continue lendo…)

Anúncios

Para pesquisador da Unicamp, São Paulo tem gestão de alto risco com a água

O professor Antonio Carlos Zuffo, do Departamento de Recursos Hídricos da Unicamp, que fez uma pesquisa sobre a situação do Sistema Cantareira que abastece São Paulo e a região de Campinas, afirmou que houve uma gestão de alto risco, falta de planejamento e falta de investimento com relação aos recursos hídricos. “A água é um recurso vital para (Continue lendo…)

Vídeo: estudante relata tortura dentro da Secretaria de Segurança Pública de SP

Após um mês, um caso grave de atentado à democracia ganhou pouca importância na sociedade brasileira. Um estudante de direito, Murilo Magalhães, que tentou se acorrentar ao portão da Secretaria Estadual de Segurança Pública de São Paulo, como forma de protesto, foi abordado por três policiais não identificados, que o carregaram para dentro da (Continue lendo…)

Advogados Ativistas e OAB-SP reagem ao ‘Estado Policial’ instalado em São Paulo

O grupo Advogados Ativistas pediu providências no último dia 2 à Ordem dos Advogados do Brasil – Seção de São Paulo (OAB-SP) sobre a prisão de dois advogados ontem (1º), durante debate público para pedir a libertação de ativistas políticos. O grupo ressalta, na denúncia, que a ação da Polícia Militar (PM) foi ilegal, tendo em vista que não poderiam deter (Continue Lendo…)

Polícia de Alckmin joga spray de pimenta no olho de manifestante dominado

A abertura da Copa do Mundo foi uma bonita festa no estádio Itaquerão e sem problemas de organização, mas uma imagem ficou marcada novamente pelo despreparo e violência da Polícia Militar de São Paulo, comandada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Em total covardia, um manifestante dominado (Continue Lendo…)

O milagre de Geraldo Alckmin em São Paulo

A última pesquisa Datafolha, que aponta o governado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em primeiro lugar com 44% das intenções de voto para as próximas eleições para o governo do estado é uma espécie de milagre (Leia mais…)

Falta água? Sabesp entregou até 60% do lucro a acionistas e esqueceu rede coletora

Este ano de 2014, a redução de água do Sistema Cantareira para a região de Campinas já impõe racionamento, proibições e multas para alguns tipos de uso. Mas a história desse problema começou há 20 anos.
Em 1994, com a justificativa de que assim conseguiria mais dinheiro para investir em abastecimento de água e tratamento de esgoto, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) decidiu se tornar uma empresa de capital misto. Duas décadas depois (Continue Lendo…)

PSDB e PSB criam em São Paulo o ‘Assistencialismo Erudito’

O prefeito Jonas Donizette (PSB) deve repetir em Campinas com o novo Teatro de Ópera, que deverá ser construído no Parque Ecológico, o mesmo modelo de assistencialismo erudito (ou assistencialismo cultural) que acontece na Sala São Paulo (Continue Lendo…)

GERALDO ALCKMIN SENSACIONAL: DISSE QUE IA SE INFORMAR EM 2011 E PROCESSA UMA ÚNICA(?) EMPRESA POR CARTEL(?) EM 2013

HUMOR: A FESTA DO TRENSALÃO DO PSDB NO METRÔ DE SÃO PAULO, EM RITMO DE DISCOTECA

PROTESTOS PODEM TIRAR DA MÃO DE PARTIDOS CONSERVADORES OS DOIS PRINCIPAIS ESTADOS DO BRASIL, SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO

Sérgio Cabral HelicoperoMuita gente se assustou com os protestos de junho e muita gente tentou se aproveitar deles.

Depois de dois meses, a poeira baixou um pouco e parece que os dois principais estados do país, São Paulo e Rio de Janeiro, estão com os protestos mais intensos e com alvos mais definidos: os governos conservadores e autoritários de Geraldo Alckmin e Sérgio Cabral.

O governo Alckmin foi a pólvora dos protestos, com um discurso beligerante e a brutalidade com que reprimiu os protestos em junho; e Sérgio Cabral, com suas estripulias com empreiteiros em Paris, o abuso, privilégios e violência policial no estado.

Essa estabilização dos protestos, além dos escândalos desses governos tanto na questão policial (sumiço de Amarildo no Rio de Janeiro e o descalabro da segurança pública em São Paulo), deve facilitar a troca de poder nos dois estados.

Os governos do Rio e São Paulo poderão ter governos mais progressistas nas próximas eleições se esses protestos se concentrarem nesses dois estados, ainda mais em São Paulo diante dos escândalos de corrupção tucano no Metrô.

PT no Rio e em São Paulo e Psol  no Rio podem ter reais chances de vitória.

Se isso acontecer, essa será a maior derrota do pensamento conservador desde a ascensão de Lula ao poder. Os governos progressistas estariam nos principais centros econômicos.

Veja mais:

TUCANODUTO: REVISTA ISTOÉ EXPLICA PORQUE O TRANSPORTE PÚBLICO DE SÃO PAULO É PÉSSIMO E NÃO MELHORA DESDE MÁRIO COVAS

propinodutoReportagem aponta que nos governos de Geraldo Alckmin, mas também de José Serra e Mario Covas, cerca de US$ 50 milhões teriam sido desviados das obras do metrô; denúncia da Siemens, que decidiu colaborar com a Justiça, lança luzes sobre o esquema; Alckmin será, agora, alvo de ação de improbidade

247 – Uma denúncia feita pela multinacional alemã Siemens, que acusou formação de cartel nas obras do metrô, em São Paulo, e decidiu colaborar com a Justiça, poderá trazer sérias complicações ao governador Geraldo Alckmin. De acordo com reportagem da revista Istoé, publicada neste fim de semana, foi montado um “propinoduto” relacionado às obras do metrô, que teria desviado US$ 50 milhões nos governos de Alckmin, mas também de José Serra e Mario Covas. Alckmin será, inclusive, alvo de uma ação de improbidade. Leia, abaixo, a reportagem de Alan Rodrigues, Pedro Marcondes de Moura e Sérgio Pardellas:

O esquema que saiu dos trilhos

Um propinoduto criado para desviar milhões das obras do Metrô e dos trens metropolitanos foi montado durante os governos do PSDB em São Paulo. Lobistas e autoridades ligadas aos tucanos operavam por meio de empresas de fachada

Alan Rodrigues, Pedro Marcondes de Moura e Sérgio Pardellas

Ao assinar um acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a multinacional alemã Siemens lançou luz sobre um milionário propinoduto mantido há quase 20 anos por sucessivos governos do PSDB em São Paulo para desviar dinheiro das obras do Metrô e dos trens metropolitanos. Em troca de imunidade civil e criminal para si e seus executivos, a empresa revelou como ela e outras companhias se articularam na formação de cartéis para avançar sobre licitações públicas na área de transporte sobre trilhos. Para vencerem concorrências, com preços superfaturados, para manutenção, aquisição de trens, construção de linhas férreas e metrôs durante os governos tucanos em São Paulo – confessaram os executivos da multinacional alemã –, os empresários manipularam licitações e corromperam políticos e autoridades ligadas ao PSDB e servidores públicos de alto escalão. O problema é que a prática criminosa, que trafegou sem restrições pelas administrações de Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, já era alvo de investigações, no Brasil e no Exterior, desde 2008 e nenhuma providência foi tomada por nenhum governo tucano para que ela parasse. Pelo contrário. Desde que foram feitas as primeras investigações, tanto na Europa quanto no Brasil, as empresas envolvidas continuaram a vencer licitações e a assinar contratos com o governo do PSDB em São Paulo. O Ministério Público da Suíça identificou pagamentos a personagens relacionados ao PSDB realizados pela francesa Alstom – que compete com a Siemens na área de maquinários de transporte e energia – em contrapartida a contratos obtidos. Somente o MP de São Paulo abriu 15 inquéritos sobre o tema. Agora, diante deste novo fato, é possível detalhar como age esta rede criminosa com conexões em paraísos fiscais e que teria drenado, pelo menos, US$ 50 milhões do erário paulista para abastecer o propinoduto tucano, segundo as investigações concluídas na Europa (Texto Integral)

Veja mais:

HÁ CLAROS INDÍCIOS DE QUE ORDEM PARA ATAQUE POLICIAL CONTRA MANIFESTANTES E POPULAÇÃO SAIU DO GOVERNO DE SÃO PAULO

mulher atingida

Há fortes e claros indícios de que a ação da Polícia Militar atacando manifestantes e a população foi dada pelo governo do Estado de São Paulo. A ação da polícia foi orquestrada e violenta a todo momento. Não houve um problema isolado, mas uma ação conjunta, uma ação como nos piores regimes ditatoriais.

Os policiais militares são os menos culpados dessa ação própria de ditaduras do terceiro mundo. PMs cumprem ordem e a ordem veio de cima. Um dos exemplos dessa ação é de uma mulher (foto ao lado)  que saiu da igreja e foi atingida por um tiro de borracha no rosto. Ela declarou que viveu a ditadura brasileira e era dessa forma que agiam. Assim como nas ditaduras, se não há limites para o Estado, qualquer um pode ser vítima. Houve também ataques contra jornalistas e em vários pontos da manifestação.

Se a ordem saiu do governo do Geraldo Pinheirinho Alckmin, o prefeito Fernando Haddad e o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo  tem a sua enorme parcela de culpa e responsabilidade. Eles não ofereceram resistência ao discurso belicoso e violento do governador nos primeiros protestos. O PT deu aval para a violência policial porque em nenhum momento teve capacidade para contrapor o governo Alckmin.

Abaixo um vídeo com a ação da polícia de forma estarrecedora. Manifestantes gritam não à violência, e a PM chega atirando, cumprindo ordem estabelecida.

Veja mais:

POLICIAL MILITAR QUEBRA O VIDRO DA VIATURA PARA SIMULAR ATAQUE DE MANIFESTANTES DURANTE PROTESTO DO MOVIMENTO PASSE LIVRE

POLÍCIA MILITAR DE SÃO PAULO ATACA A IMPRENSA NA MANIFESTAÇÃO DO MOVIMENTO PASSE LIVRE

BANDA DOS HOMENS DE COR COMEMORA 80 ANOS SEM APOIO DA PREFEITURA DE CAMPINAS E DO LADO DE FORA DO CORETO

A Banda dos Homens de Cor, uma das mais tradicionais bandas de Campinas, completou hoje 80 anos.

Para comemorar, os integrantes “ocuparam” o largo do Pará, local que tradicionalmente essa banda já tocou quando tinha apoio da prefeitura da cidade.

Sem dinheiro e sem apoio do governo Jonas Donizette (PSB-PSDB), a banda tenta resistir e se fazer ouvir para não se acabar.

Enquanto isso, o Palácio dos Jequitibás (prefeitura) já acertou a construção de um teatro de ópera estimado inicialmente em R$ 80 milhões no Parque Ecológico da cidade. Isso com o apoio do governador tucano Geraldo Alckmin. Acredite, se quiser!

Veja abaixo algumas fotos da apresentação da banda esta manhã:

image

image

image

Veja mais em Educação Política:

GOVERNADOR ALCKMIN, O SR. COLOCARIA SEU FILHO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SÃO PAULO DEPOIS DE 17 ANOS DE GOVERNO DO PSDB?

Político em mandato deve ser atendido no SUS (Sistema Único de Saúde) e colocar o filho na escola pública. Só assim, educação e saúde devem melhorar.  Imagina

Veja no vídeo abaixo o caso do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que em breve completará 8 anos como governador, dos quase 20 do PSDB em São Paulo.  É exemplar.

Veja mais em Educação Política:

FERNANDO HADDAD (PT) E GERALDO ALCKMIN (PSDB): QUANTA DIFERENÇA! PARA HADDAD, CASA; PARA ALCKMIN, RUA!

Enquanto Fernando Haddad tenta dar uma solução para a população, Geraldo Alckmin defende o interesse da propriedade acima da vida de crianças e adultos. O caso que ficou conhecido como Pinheirinho foi emblemático da política social do PSDB. O pior é que a Justiça, a cínica, também acha que o direito de propriedade está acima da vida.

Veja abaixo matéria sobre ação de Haddad em caso de desocupação.

Haddad tenta evitar mais uma tragédia autorizada pela Justiça

Haddad tenta evitar mais uma tragédia autorizada pela Justiça

Haddad intervém para impedir desocupação de área com 750 famílias

Do Cascavilha

São Paulo – O prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) informou hoje (26), durante o anúncio do Plano de Metas de seu governo, que a prefeitura está intercedendo para reverter a reintegração de posse de um terreno na zona leste da cidade onde vivem 750 famílias de sem-teto. A desocupação, por ordem judicial a pedido do proprietário, começou hoje de manhã com homens da tropa de choque da Polícia Militar, que usou bombas de efeito moral para dispersar moradores que protestavam na frente do terreno.

Segundo Haddad, o secretário de Habitação do município, José Floriano de Azevedo Marques Neto, foi instruído a procurar o dono da área, Heráclides Batalha, para tentar uma solução negociada, que passaria pela desapropriação amigável do local. Batalha, porém, não teria aceito a proposta.

Diante disso, a prefeitura diz que irá publicar um decreto nos próximos dias declarando a área de utilidade pública. Ao mesmo tempo, segundo o secretário de Assuntos Jurídicos, Luís Massonetto, a administração entrou com uma petição no Tribunal de Justiça de São Paulo para suspender a reintegração.

O terreno fica no Jardim Iguatemi e tem 132 mil metros quadrados.

Veja mais em Educação Política:

IPEA: O PIB DOS BRASILEIROS ESTÁ MELHOR DO QUE O PIB DO BRASIL

EXPLICADA A INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO GERALDO ALCKMIN (PSDB): ULTRADIREITA ESTÁ NA ANTESSALA DO PODER

Salles: antessala da ditadura assassina

Salles: antessala da ditadura assassina

Ultradireita de Alckmin é mais grave do que parece

247 – É bem mais grave do que parece a nomeação feita pelo governador Geraldo Alckmin do advogado Ricardo Salles, como seu secretário particular. Nesta função, Salles cuidará de toda a agenda do governador do estado mais rico do País. Aparentemente uma função burocrática, mas o fato é que, com essa nomeação, o político tucano instala, dentro do Palácio dos Bandeirantes, um movimento que exala obscurantismo.

Fundador do Instituto Endireita Brasil, Salles lidera campanhas contra o desarmamento, é contra o casamento gay e classifica o MST como um movimento “terrorista”. Que a direita mostre sua cara, e o faça dentro dos limites da legalidade, é algo que faz parte do regime democrático. Ocorre que a atuação do Endireita Brasil vai muito além da defesa de princípios conservadores e da economia de mercado.

Basta entrar na página do Instituto no Facebook para constatar algumas atrocidades que são publicadas pela turma de Salles. Uma das postagens, por exemplo, pergunta: “Qual você escolhe, governos militares ou DITADURA do proletariado?” Na imagem, generais que estiveram à frente de um regime que perseguiu, torturou e matou opositores são apresentados como homens de bem, que não enriqueceram no poder, e confrontados com o ex-presidente Lula – um homem que teria uma fortuna de US$ 3 bilhões. A fonte dessa informação? Uma reportagem da revista Forbes que jamais existiu. Ou seja: uma das táticas do Endireita Brasil, agora instalado no Palácio dos Bandeirantes, é espalhar mentiras pela internet.

Outra postagem feita pelo Facebook do Endireita Brasil foi a “informação” de que um dos donos da Boate Kiss em Santa Maria (RS), onde 239 jovens perderam a vida, seria o deputado Paulo Pimenta (PT-RS). “Há 2 “donos”, que na realidade são gerentes laranja de 2 “Empresários”, que na realidade são Laranjas de um conhecido Deputado da Cidade que foi escorraçado da CPI dos Mensalão por manter encontros com Marcos Valério nas garagens do Congresso e conhecido na cidade por ter várias “lavanderias” isso é só para vocês terem uma idéia porque esse verdadeiro caixão funcionava a todo vapor sem fiscalização séria. Não é a toa que a alta cúpula da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PT se deslocou para a operação abafa, seguindo o roteiro da morte do Celso Daniel”, diz o Facebook do Endireita Brasil.

Se isso não bastasse, outra atividade do Instituto é a divulgação do livro Orvil. Parece nome de remédio, mas é a palavra livro escrita ao contrário. Nele, militares dão sua versão sobre os atentados terroristas que teriam sido cometidos pela esquerda brasileira, durante o regime. “Os revanchistas da esquerda que estão no poder -não satisfeitos com as graves restrições de recursos impostas às Forças Armadas e com o tratamento discriminatório dado aos militares, sob todos os aspectos, especialmente o financeiro- tiveram a petulância de criar, com o conluio de um inexpressivo Congresso, o que ousaram chamar de ‘comissão da verdade'”, diz o general Geraldo Luiz Nery da Silva no prefácio ao livro Orvil.

É este movimento, liderado por Ricardo Salles, que agora se senta à antessala do Palácio dos Bandeirantes. Geraldo Alckmin que, dias atrás, visitou o Memorial da Resistência, que funciona na antiga sede do DOPS, ao lado de Yoani Sánchez, a quem chamou de “heroína da liberdade”, deve satisfações à sociedade. Ou será que, além da ligação com a Opus Dei, ele também faz parte do Endireita Brasil?

Veja mais em Educação Política:

EMPRESÁRIOS CHUTAM TUCANO MORTO: DIRETOR DA FIESP DESTRÓI GERALDO ALCKMIN E O PSDB DE SÃO PAULO DE FORMA IMPLACÁVEL

Carlos Calvalcanti, diretor da Fiesp

Carlos Calvalcanti, diretor da Fiesp

Os empresários estão descobrindo o que significa o partido PSDB. O diretor de Infraestrutura da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Carlos Cavalcanti, deu uma aula sobre o preço da energia elétrica no Brasil e, de quebra, destruiu os tucanos paulistas em entrevista ao Jornal da Terra. Cavalvanti deu a entrevista antes da redução anunciada pela presidenta Dilma Rousseff (Veja abaixo o vídeo)

Os empresários parecem que estão descobrindo que o PSDB é tucano morto, ou melhor, cachorro morto.

Veja algumas frases do vídeo:

“A CABEÇA DO GOVERNADOR (GERALDO ALCKMIN) É DESSE TAMAINHO”

“A GENTE FICA COM VERGONHA DO GOVERNO (psdb) QUE TEM”

“O GOVERNADOR (GERALDO ALCKMIN) DEVE VIR A PÚBLICO EXPLICAR PORQUE ESTÁ PREJUDICANDO 44 MILHÕES (DE PAULISTAS)”

“ELES (PSDB) ESTÃO DESTRUINDO A CESP, ESTÃO SENDO DE UMA IRRESPONSABILIDADE JAMAIS VISTA”

Do Beatrice

Veja mais em Educação Política:

 

GRÁFICO IMPRESSIONANTE: PSDB É UMA MÁQUINA DE PRODUZIR POBRES; ALCKMIN VAI MAIS LONGE, TRANSFORMA POBRES EM MISERÁVEIS

O gráfico abaixo, com dados da Fundação Getúlio Vargas, explica os motivos que estão levando ao fim do PSDB. O partido que desalojou violentamente milhares de moradores do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos, e destina 25% dos leitos públicos para empresas privadas, tem a receita para produzir pobres e miseráveis.

O governo de Geraldo Alckmin, realizador dessas duas políticas sociais, é a experiência em tempo real do significado dos governos do PSDB e, de certa forma, explica o governo de Fernando Henrique em seus insucessos.

Alckmin foi mais longe no caso de Pinheirinho: transformou pobres em miseráveis. Famílias que tinham casas, hoje, um ano após essa tragédia tucana, estão na rua. O beneficiário da ação tucana, o financista Naji Nahas, que já foi preso por lavagem de dinheiro, ficou mais rico. E há ainda os ineptos que tentam explicar Lula por FHC.

Veja no quadro abaixo que, mesmo com o desenvolvimento social e o trabalho das famílias, durante o governo federal do PSDB, o número de pobres se manteve estável ou até aumentou. A partir de 2003, com o governo Lula, o número de pobres vai diminuindo. Viva o Arnaldo Jabor!!!

Foto: FGV ministério da fazenda

Veja mais em Educação Política:

A DESIGUALDADE É PATENTE: NA FINLÂNDIA TUCANA DE SÃO PAULO CORONEL GANHA 430 VEZES MAIS DO QUE UM SOLDADO

PM – SP: o coronel que ganha 430 vezes, o salário de um soldado

De Paulo Cavalcanti

Os salários na Polícia Militar do Estado de S. Paulo, estão fielmente retratados na imagem acima, alerto os leitores para os valores da primeira coluna, “salário base” – pois é em cima desses valores, que o policial se aposenta, o resto que aparece no holerite, são “penduricalhos” – que o governador inventou, porém não incorpora ao salário, ou seja, quando o policial se aposenta, todos os “penduricalhos” saem fora do cálculo, e o que sobra é a miséria da miséria.

Comecei esse texto, mostrando um quadro que retrata quem é o pessoal linha de frente, aquele policial que está dia-a-dia nas ruas, zelando pela segurança pública. Fiz isso, para mostrar aquilo que toda a imprensa não mostra, que é vir à publico e retratar com todas as letras o cidadão que recebe “uma ajuda de custo” igual essa, como pode haver alguma exigência profissional. Isso não é salário, para quem tem tamanha responsabilidade.

O que pode levar muitos a clamar que o cara antes de ingressar na corporação, sabe dos salários e dos riscos que está correndo, fato que não é possível negar, porém isso não faz  justiça necessária às condições de trabalho que o policial está exposto diáriamente, e mesmo assim a imprensa sempre blindando a figura do governador de S. Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) – que vende uma imagem, que faz o povo pensar que estamos na Finlândia, tal a firmeza de “gestão” tucana em S. Paulo.

O salário do coronel

Em agosto/2012, segundo matéria publicada no jornal O Globo – havia na folha de pagamento do Estado, e foi publicado no site Transparência, a relação de salários do funcionalismo público, e o maior salário líquido do estado no mês de junho foi o do coronel da reserva da Polícia Militar (PM) que foi subprefeito (gestão Kassab), da Lapa, na Zona Oeste da capital paulista, Aílton Araújo Brandão: R$ 254.099,57 (duzentos e cinquenta e quatro mil, noventa e nove reais e cinquenta e sete centavos) – vencimentos mais 14 licenças-prêmios atrasadas, segundo o governador Geraldo Alckmin-, seguido por dois fiscais de renda da Secretaria da Fazenda, ambos na ativa, com vencimentos líquidos de R$ 180.268,14 e R$ 134.824,96, respectivamente. (Texto Integral)

Veja mais em Educação Política:

GERALDO ALCKMIN EM VÍDEO DE 2006 (!!) SE MOSTRA IRRITADO COM PERGUNTA SOBRE A VIOLÊNCIA DO PCC NO ESTADO DE SÃO PAULO

Geraldo: Pinheirinho e PCC: tudo a ver.

O governador Geraldo Alckmin não tem desculpa. Ele ocupou e influenciou o poder executivo de São Paulo por pelo menos 13 anos nos últimos 18 anos em que o PSDB está no governo. Foi vice-governador de 95 a 2001 e governador de 2001 a 2006. Este ano, para quem já se esqueceu, é 2012. Ele está há dois anos novamente como governador. Não fez nada.

A crise da violência com o governo do PSDB não tem solução.  O governo do PSDB em São Paulo é perverso com a população mais pobre, acentuando a desigualdade brasileira, vide Pinheirinho, o que fortalece ainda mais os grupos criminosos. Assista vídeo em inglês, com legenda, de 2006, em que o governador se irrita com perguntas sobre a violência do PCC.

Veja mais em Educação Política:

CONFLITO DE GERAÇÕES: O DIÁLOGO IMPERTINENTE E REVELADOR ENTRE PAI E FILHO SOBRE POLÍTICA E MÍDIA NO BRASIL

O SAMBISTA ADONIRAN BARBOSA ANTECIPOU GERALDO ALCKMIN E EXPLICA A VIOLÊNCIA EM SÃO PAULO COM SAMBA DA DÉCADA DE 60

Adoniram eternizou Pinheirinho meio século antes de acontecer

A genialidade do sambista Adoniran Barbosa é capaz de explicar com meio século de antecedência porque São Paulo vive uma guerra civil entre policiais militares e o PCC.

Ele nos mostra que a raiz está no Pinheirinho (expulsão de moradores em bairro de São José dos Campos a mando da Justiça e com a força policial do Estado de São Paulo, comandado por Geraldo Alckmin). Pinheirinho é um exemplo e não é novidade. Esse é o cerne da violência em São Paulo. A violência começa com os poderes do Estado (Justiça e Executivo) contra sua própria população.

Adoniran fez a música na década de 60 do século passado e nada mudou. O oficial de justiça e o poder do Estado, que deveriam garantir condições dignas de moradia para o seu povo, em primeiro lugar, são aparelhos da violência e da desigualdade. A política da elite brasileira não muda.”É ordem superior”, diz Adoniran.

E Adoniran perguntou a Geraldo Alckmin meio século antes de Pinheirinho: “e essa a gente aí hein,  como é que faz?”

Despejo na Favela

“Quando o oficial de justiça chegou
Lá na favela
E contra seu desejo
entregou pra seu narciso
um aviso pra uma ordem de despejo
Assinada seu doutor, assim dizia a petição,
dentro de dez dias quero a favela vazia
e os barracos todos no chão
É uma ordem superior,
Ôôôôôôôô Ô meu senhor, é uma ordem superior
Não tem nada não seu doutor, não tem nada não
Amanhã mesmo vou deixar meu barracão
Não tem nada não seu doutor
vou sair daqui pra não ouvir o ronco do trator
Pra mim não tem problema
em qualquer canto me arrumo, de qualquer jeito me ajeito
Depois o que eu tenho é tão pouco minha mudança é tão pequena que cabe no bolso de trás,
Mas essa gente ai hein como é que faz????

Veja mais em Educação Política:

GUERRA CIVIL: POLÍTICA DE SEGURANÇA DE GERALDO ALCKMIN E DO PSDB SÓ FUNCIONARIA SE FOSSE SUSPENSO O ESTADO DE DIREITO

Depois de 20 anos de PSDB, violência explode em São Paulo

Depois de quase 20 anos de governo do PSDB em São Paulo, os índices de assassinatos explodem e está declarada uma guerra urbana entra a Polícia Militar e os grupos organizados de traficantes. Os bandidos que estão matando policiais hoje em São Paulo nasceram quando o PSDB chegou ao poder no estado.

O governador Geraldo Alckmin é um exemplo irretocável da política instalada no estado pelo partido. “Vamos combater com firmeza bandidos, não vão nos intimidar, os bandidos vão para a cadeia”, costuma afirmar semanalmente o governador.

É essa, em resumo, a política de segurança do governo. Esse discurso linha dura do governador funcionaria bem se fosse possível romper o estado de direito e a Polícia Militar tivesse carta branca para matar. Essa é a única maneira capaz de o PSDB ter sucesso no combate a violência. Não é por acaso que o partido elegeu vereadores cujo lema era “bandido bom é bandido morto”.

O problema deixa o partido em uma situação difícil, visto que esse tipo de medida tem pouca chance de prosperar, salvo em um sistema realmente de volta ao terror do estado, como no período ditatorial. Está claro que o PSDB não terá sucesso no combate a violência, mesmo porque a situação só piorou durante quase 20 anos de governo, salvo se mascarar os números da violência.

A Polícia Militar do estado precisa usar menos as armas e mais a cabeça. O governo do PSDB colocou os soldados da PM em uma guerra urbana bastante perversa para a polícia. Uniformizada, ela enfrenta nas cidades criminosos não uniformizados. Tornam-se um alvo fácil.

No pano de fundo não está somente o discurso conservador direitista, incompetência e ignorância política, mas toda uma concepção medíocre e fracassada de que o combate às drogas é uma questão policial. O Brasil precisa discutir outras formas de combate às drogas. O país, por exemplo, combateu e diminuiu o índice de fumantes sem o uso da polícia.

Quantas pessoas morreram pelo uso de drogas na última década? Lembro-me da Cássia Eller, em 2001, mais ninguém. Mas quantas pessoas morreram na guerra civil das drogas esta semana? dezenas, talvez centenas. O país precisa discutir sem preconceito, sem mitos, sem tabus. Não é possível continuar essa guerra. As famílias dos policiais não merecem que eles trabalhem em uma guerra urbana.

Não passa pela cabeça desses gênios do PSDB que é preciso distribuir renda, que o dinheiro precisa chegar na periferia, que precisa sobrar dinheiro público nas escolas. A desocupação do bairro Pinheirinho é a cara da política de segurança do PSDB, desalojar a população pobre para dar o terreno a um especulador. Pobre é bandido. O mapa de votação do primeiro turno em São Paulo deixou claro que a população mais pobre já entendeu isso.

Durante esses anos todos, o partido não foi capaz de estruturar o estado para que os jovens da periferia não fossem aliciados por traficantes. Sem um grande programa educacional e de distribuição de renda, sem uma discussão desapaixonada sobre as drogas, a guerra civil vai continuar.

Este texto foi traduzido para o alemão por Peter Hilgeland (‘Zero tolerance’ auf brasilianisch)

Leia mais em Educação Política:

BATOM EM DEBATE NA TEVÊ REVELA MUITO DA MAQUIAGEM IDEOLÓGICA DE JONAS DONIZETTE, CANDIDADO A PREFEITO DE CAMPINAS (SP)

Jonas: de volta ao ninho tucano

No último debate da Rede Bandeirantes, o candidato a prefeito de Campinas, Jonas Donizette, teria usado batom para melhor aparecer no vídeo, segundo informou o blog da Rose. Esse é um detalhe importante para entender a candidatura de Jonas Donizette, mas não para gerar qualquer tipo de preconceito machista.

Não há problema algum se um candidato quer usar batom para aparecer na televisão. Hoje existem os homens que gostam de se arrumar, fazem unhas, ficam horas no cabeleireiro etc. Um prefeito de Campinas que usa batom  na TV não trará mais fama ou menos fama ao município. Isso não é uma questão política.

Mas o uso do batom é revelador, é uma espécie de metáfora da maquiagem ideológica de Jonas Donizette. Nos debates, em suas falas, ele é o amigo de todo mundo, o bonzinho, o homem sem ideologia, cita a Dilma Rousseff que é do partido do seu concorrente, cita Geraldo Alckmin, do PSDB etc. Jonas procura passar a imagem de que a política não é importante, mas sim o sujeito amigo. Ele age como se fosse um locutor de rádio: “meu amigo do Campo Grande….” “os jovens dos bairros pobres…” etc. Jonas não tem angústia, opções. Como deputado vota com o PSDB e com o PT, como alertam seus opositores. Lembra muito o Dr. Hélio, com aquele estilo bonachão,  bom velhinho. Agora é o bom moço, o salvador. No programa diz: “quando você está em dificuldade, você procura um amigo…” Para Jonas, política é amizade. Ele é o amigo, não o político.

Mas essa maquiagem, essa preocupação com a estética e o cuidado com cada palavra na voz aveludada de locutor, esconde um Jonas que persegue obstinadamente a carreira política no velho estilo político. Jonas é o tradicional político revestido da cultura pós-lula, paz e amor. Mas Jonas não tem o lastro nem a história política de Lula. Jonas é atualmente do PSB e está coligado com o PSDB, que tem o vice da chapa. Na verdade, Jonas faz um reencontro com seu real partido. É uma volta às origens. Veja seu breve histórico:

“Jonas Donizette começou sua carreira política em 1992, pelo PSDB, quando foi eleito vereador. Foi reeleito em 1996, ainda pelo PSDB. Em 2000, pelo PSDB, foi eleito novamente para cumprir seu 3° mandato na Câmara Municipal. Em 2001, foi eleito 1º vice-presidente da Casa. Durante seu 3° mandato na Câmara de Campinas, saiu do PSDB e se filiou ao PSB em 2001”.

Como um velho e bom político, Jonas viu que não tinha espaço no PSDB e abriu caminho em outro partido. Agora, com o vice tucano, tem-se uma verdadeira chapa tucana, mas com uma bela maquiagem ideológica, um batom despolitizado.

Leia mais em Educação Política:

LAUDO DESMENTE O SOMBRIO GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN

Rota disparou 61 tiros na invasão à chácara em Várzea Paulista, sendo que apenas dois bandidos revidaram
Os policiais militares da Rota dispararam 61 tiros contra os nove integrantes da facção criminosa PCC mortos durante operação realizada na terça-feira, em Várzea Paulista. Os dados constam no boletim de ocorrência registrado na DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Jundiaí.
O documento aponta também que das armas apreendidas com os criminosos (duas espingardas calibre 12, uma metralhadora, sete pistolas e quatro revólveres) somente duas apresentavam cartuchos deflagrados. Ou seja, apenas dois dos nove mortos atiraram.
Os dados contrariam a afirmação dada pelo governador Geraldo Alckmin, na última quarta-feira, de que “quem não reagiu está vivo”, já que nove pessoas morreram. (texto completo)
Leia mais em Educação Política:

VIOLÊNCIA EM SÃO PAULO ESTÁ TOTALMENTE FORA DE CONTROLE; POLÍCIA DO PSDB MATA MAIS DO QUE TODA A POLÍCIA DOS EUA

A violência no estado de São Paulo está totalmente fora de controle. Depois de 20 anos de PSDB, a situação somente piorou. Mulheres, empresários, estudantes, italianos, policiais, ninguém escapa da violência. Há uma guerra civil espalhada pelo estado todo.


Parte dessa guerra vem da criminalidade ligada ao tráfico de drogas. Hoje a guerra contra o tráfico mata muito mais do que as próprias drogas. Assista aos jornais policiais por uma semana e veja quantas pessoas morreram por overdose ou em decorrência de qualquer droga? Não há essa notícia, nem de famosos ou classe média, que costumam aparecer na TV. No entanto, o combate ao tráfico, os crimes derivados da ilegalidade do tráfico e assassinatos de policiais por traficantes estão quase todos os dias nos jornais.


O PSDB de José Serra e Geraldo Alckmin, assim como muitos outros partidos, se negam a discutir profundamente o  problema do tráfico e nem se comprometem a um investimento pesado em educação. Educação deve significar o acompanhamento, pelo Estado, de um jovem de 0 a 18, com toda a assistência educacional possível.

O pior de tudo isso não é a incapacidade do PSDB, mas a cultura por trás da política do PSDB, que se transformou no porta voz da extrema-direita brasileira. Não há solução de curto prazo.

Leia mais em Educação Política:

CPI DA IMPRENSA: JORNALISTA ORIENTA NAJI NAHAS, QUE EXPULSOU FAMÍLIAS DO PINHEIRINHO, A PROCESSAR JORNALISTAS QUE DENUNCIARAM CORRUPÇÃO

Português do Brasil: O governador de São Paulo...

Geraldo Alckmin, solicito com Naji Nahas

A CPI do Cachoeira pode se transformar na CPI da Imprensa. A liberdade de imprensa no Brasil se tornou tão grande que parece que alguns jornalistas e órgãos de imprensa se sentiram a cima da lei.

Nessa gravação, divulgada pelo blog Quid Novi, do JB, o jornalista Leonardo Attuch, da Isto É, pede a Naji Nahas que processe colegas (ou inimigos) de profissão, por terem feito matérias sobre corrupção que o envolviam.

Naji Nahas é o homem que conseguiu com que o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) mobilizasse dois mil policiais, em associação com o poder judiciário do estado (usando dinheiro público) para expulsar cerca de duas mil famílias do bairro Pinheirinho em São José dos Campos. Veja que pérola para a história do jornalismo:

Leia mais em Educação Política:

CPI DO CACHOEIRA PÕE PT NUMA ENCRUZILHADA: ENFRENTA A CONCENTRAÇÃO MIDIÁTICA OU COMPACTUA COM A BARBÁRIE DA ELITE CONTRA O POVO
VIVA O CHACRINHA!! O JORNAL ESTADÃO VEIO PARA CONFUNDIR E NÃO PARA EXPLICAR A OPERAÇÃO MONTE CARLO DA POLÍCIA FEDERAL
REPORTAGENS COM DENÚNCIAS SOMEM DAS CAPAS DA REVISTA VEJA APÓS PRISÃO DE QUADRILHA NA OPERAÇÃO MONTE CARLO DA PF
JORNALISTAS DA GRANDE MÍDIA COLABORARAM COM O CRIME ORGANIZADO, DIZ DECISÃO JUDICIAL

PICOLÉ DE BANANA? GERALDO ALCKMIN NÃO TEM CULPA, ELE SÓ EMPRESTOU REVÓLVERES, ESCOPETAS, MUNIÇÃO, HELICÓPTERO E DOIS MIL POLICIAIS

Veja abaixo a nota do Tribunal de Justiça de São Paulo, o tribunal que a corregedora Eliana Calmon conhece bem, tentando livrar a barra de Geraldo Alckmin.  Essa associação dos poderes contra o povo é tão ou mais estarrecedora do que a própria ação desumana a favor de Naji Nahas, ex-presidiário que quebrou a bolsa de valores do Rio de Janeiro.

O pior de tudo é a covardia de não se assumir o que faz.

 

Vi no Com Texto Livre

Veja mais em Educação Política:

CORREGEDORA DO CNJ, ELIANA CALMON, ABALOU AS ESTRUTURAS DO CENTRO IRRADIADOR DA DESIGUALDADE SOCIAL E ECONÔMICA
CPI DA PRIVATARIA TUCANA MOSTRA A IMPORTÂNCIA E A FORÇA DOS PEQUENOS PARTIDOS NA DEMOCRACIA BRASILEIRA
SISTEMA POLÍTICO-ECONÔMICO CAPITALISTA VIGENTE É TÃO INJUSTO QUE ATÉ OS MILIONÁRIOS ESTÃO PEDINDO PARA SEREM TAXADOS
MAITÊ PROENÇA E A DESIGUALDADE SOCIAL DO BRASIL, QUE COMEÇA E TERMINA NA PREVIDÊNCIA
%d blogueiros gostam disto: