Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: povo

As duas alternativas da elite brasileira aos pobres: tráfico de drogas e fanatismo evangélico

Para parte da população de classe média brasileira, parece que todos os problemas do país surgiram nas últimas décadas. Mas podem ter certeza de que são bem mais antigos.
Pelo menos nos últimos 80 anos, o Brasil teve a chance de melhorar a condição de seu povo, mas a elite que comandou o país neste século preferiu deixar 
(Continue Lendo…)

CALAR A BOCA, NUNCA MAIS: O POVO NOVO QUER MUITO MAIS, COM TOM ZÉ

Povo Novo

A MINHA DOR ESTÁ NA RUA
AINDA CRUA
EM ATO UM TANTO BEATO, MAS
CALAR A BOCA, NUNCA MAIS! (BIS)
O POVO NOVO QUER MUITO MAIS
DO QUE DESFILE PELA PAZ
MAS
QUER MUITO MAIS.
QUERO GRITAR NA
PRÓXIMA ESQUI NA
OLHA A MENI NA
O QUE GRITAR AH/OH
O QUE GRITAR AH/OH
OLHA, MENINO, QUE A DIREITA
JÁ SE AZEITA,
QUERENDO ENTRAR NA RECEITA
DE GOROROBA, NUNCA MAIS (BIS)
JÁ ME DEU AZIA, ME DEU GASTURA
ESSA POLÍTICARADURA
DURA,
QUE RAPA-DURA!
QUERO GRITAR NA…

Veja mais em Educação Política:

DOCUMENTÁRIO IMPRESSIONANTE SOBRE HUGO CHÁVEZ: “NÃO PERMITAM QUE OS ENVENENEM COM TANTAS METIRAS”

Ao ver o vídeo, troque a palavra Venezuela por Brasil e a história do discurso, não dos fatos, será a mesma. Para a grande mídia brasileira, Hugo Chávez é o primeiro ditador eleito democraticamente e carregado pelo povo ao poder. Da mesma forma, Lula é o ex-presidente que precisa de impeachment.

Veja mais em Educação Política:

O BANHEIRO DO PAPA É UMA REPRESENTAÇÃO POÉTICA DA RELAÇÃO TRÁGICA E CÔMICA ENTRE A GRANDE MÍDIA E O POVO

Cena do filme O banheiro do Papa

O sonho é realidade em O banheiro do Papa

O banheiro do Papa, filme de 2007, foi consagrado como melhor filme em vários festivais e com toda a razão. O filme é belíssimo e conjuga em personagens, em  interpretações impecáveis, o fantástico do sonho e o trágico do cotidiano. O banheiro do Papa é um bom título, mas o filme também poderia se chamar  O mundo de Beto, que é o personagem principal. Isto porque o banheiro do papa parece ser apenas mais uma criação da fantástica mente desse personagem, interpretado de forma incrível por Cesar Troncoso.

Mas não só ele, a interpretação de Virginia Méndes, como uma mulher vivendo o mundo real, é de uma beleza crua estarrecedora. Há no casal uma relação mítica entre o feminino racional, apolíneo, e o masculino imaginário (dionisíaco).  E esse conflito entre dois mundos, o real e o fantástico, parece povoar todas as imagens do filme, que se estabelecem a partir das notícias veiculadas pelo jornal e pelo rádio. E isso acomete de forma mágica em todas as interpretações, num impressionante trabalho de conjunto. Os personagens parecem viver um documentário sobre suas próprias vidas.

A história, nesse sentido, tem como pano de fundo uma relação perversa, mas que é tratada na maioria das vezes de forma poética e cômica, entre a população mais pobre e os meios de comunicação de massa, a grande mídia, principalmente a televisão. Essa relação faz com que o filme saia da condição primorosa de enredo e belas imagens para se traduzir em uma história imaginária. O real captado pela câmera é o ingresso para a viagem da mente humana.

Ao final do filme, que é baseado em uma história real, os diretores César Charlone e Enrique Fernández colocam alguns números estatísticos da visita do Papa João Paulo II à cidade de Melo, no Uruguai, onde se passa a história. Nesse momento, percebe-se o tamanho da relação entre mídia e imaginário popular, o tamanho da tragédia, o tamanho do destino humano.

Veja trailer:

Leia mais em Educação Política:

GRÉCIA JUNTA-SE AO CORO DOS INDIGNADOS E FAZ GREVE GERAL CONTRA PLANO DE AUSTERIDADE PROPOSTO PELO GOVERNO

Os "indignados" gregos

Os principais sindicatos com apoio das forças de esquerda da Grécia iniciaram ontem uma greve geral contra as medidas de austeridade propostas pelo governo para conter a crise que o país atravessa há algum tempo. As medidas que o parlamento grego pretende aprovar fazem parte de um pacote de exigências imposto pela União Europeia e pelo FMI para que uma última ajuda financeira possa ser liberdada para o país.

Em outras palavras, o cenário das manifestações populares que se espalham pelo mundo tem quase sempre o mesmo pano de fundo: os governos nacionais estão ajoelhados diante das exigências internacionais e para isso privatizam toda a economia do país, demitem metade dos funcionários, cortam gastos ao extremo e estilhaçam a soberania nacional. A população, no entanto, não pretende se curvar e grita em defesa da democracia e da liberdade. Assim ela fez na Espanha, em Portugal e agora faz na Grécia.

No entanto, as manifestações populares parecem não estar surtindo grande efeito sobre os governos, eles continuam apequenados diante dos poderosos de fora e arrogantes diante do grito revolucionário que vem de dentro. Os grupos de esquerda precisam refletir sobre esse ponto e fazer-se ouvir de fato por meio de estratégias consistentes de ação, como lembra artigo que vem abaixo. De qualquer forma, as manifestações estão acontecendo e preparam o presente em direção a um futuro melhor com menos arbitrariedade política e mais consciência democrática.

Veja dois trechos de textos sobre o assunto:

A esquerda orgânica e as manifestações de rua
Por Milton Temer

A esquerda mundial tem que tirar consequências do que está ocorrendo na Grécia. O povo assalariado, junto aos setores progressistas da sociedade civil organizada, ocupa as praças diante de um parlamento que não se vexa em se submeter aos ditames da dupla conservadora – Sarkozy e Merkel -, porta-voz da indústria financeira da Europa continental (com o apoio dos reacionários do outro lado do Canal da Mancha).

Esse parlamento não tem maioria de direita. Pelo contrário. É formado uma maioria Pasok – dita socialdemocrata – que derrotou o governo reacionário, responsável por fraudes nas contas públicas, distorcendo dados oficiais, e ocultando dívidas contratadas por segmentos privilegiados do grande capital, com ônus repassados ao setor público.

Essa maioria socialdemocrata, ao invés de denunciar o caráter lesivo dos acordos anteriores, a ele se submete, reproduzindo práticas que outrora necessitavam de golpes militares, torturas e assassinatos de opositores para garantir a privatização do lucro, com a socialização do prejuízo – modelo muito bem definido por Noam Chomsky como “socialismo dos ricos”. (Texto completo)

Grécia: sindicatos fazem greve geral contra plano de austeridade
Da Redação

Os principais sindicatos da Grécia iniciaram nesta terça-feira (28) uma greve geral de 48 horas em repúdio às medidas de austeridade propostas pelo governo. O movimento recebe a adesão de diversas forças de esquerda do país, entre elas, dos militantes do Partido Comunista Grego (KKE). Na segunda-feira (27), o primeiro-ministro grego, George Papandreou, discursou pedindo apoio para a aprovação das medidas que devem ser votadas no Parlamento até quinta-feira (30).

O pacote inclui cortes orçamentários, aumento de impostos e privatizações e faz parte de uma série de exigências feitas pela União Europeia e pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) para liberar a última parcela — de 12 bilhões de euros (R$ 27 bilhões) — de um pacote de resgate.

Papandreou insiste que o plano de austeridade é a “única chance” de colocar a Grécia “de pé novamente” e tirá-la da crise em que se encontra. Mas as medidas enfrentam resistência da sociedade grega. A previsão é de que ocorram nesta terça várias manifestações em cidades da Grécia. Pelo menos cinco mil policiais foram deslocados na região de Atenas.

A greve geral deve comprometer o funcionamento da maioria dos serviços públicos, inclusive os aeroportos e linhas de trens. O novo ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, disse que os cortes propostos são “injustos”, mas necessários. O ministro apelou aos partidos políticos para que trabalhem pelas medidas para construir uma “força nacional maior”. (Texto completo)

Leia mais em Educação Política:

VIA REVOLUCIONÁRIA: REDES SOCIAIS CONTRIBUEM PARA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS DE DEMOCRACIA DIRETA
MARCHA DA LIBERDADE ASSEGURA DIREITO À LIVRE EXPRESSÃO E DEMONSTRA AMADURECIMENTO DA CONSCIÊNCIA DEMOCRÁTICA
REVOLUÇÃO DOS INDIGNADOS TOMA CONTA DA ESPANHA: “SE VOCÊS NÃO NOS DEIXAM SONHAR, NÓS NÃO OS DEIXAREMOS DORMIR”
DIFERENTE DO EGITO E DA TUNÍSIA, REVOLTA NA SÍRIA SE APROXIMA DA LUTA ARMADA E MERGULHA O PAÍS NO CAOS

NUNCA FOI TÃO FÁCIL METER A MÃO NO DINHEIRO DO POVO E, INFELIZMENTE, SÓ O CORRUPTO TRAÍDO NOS SALVA

A outra porta da corrupção
A outra porta da corrupção

Os escândalos de verdadeiros roubos aos cofres públicos se sucedem um atrás do outro. É uma sangria desatada que parece não ter fim. Todos os partidos, todos os níveis da administração. É no país inteiro, de Campinas a Belém do Pará, de Brasília a São Paulo.

Espera-se muitas vezes que a polícia e o ministério público resolvam o problema, mas eles nunca vão resolver enquanto for tão fácil meter a mão no dinheiro do povo brasileiro.

Enquanto não construirmos uma transparência total nas contas públicas, não haverá polícia e ministério público que dê conta. É muita corrupção para pouco ministério público. Isso sem contar a benevolência da Justiça, a Cínica.

As apurações só acontecem com delação premiada, com escândalos e brigas internas entre os corruptos. Só se desmonta um escândalo de corrupção no Brasil quando o próprio esquema implode: foi assim no valerioduto, na Assembleia de Belém, no mensalão do DEM em Brasília e em todos os outros lugares.

Só o corrupto traído nos salva. Essa é nossa miséria.

Além da facilidade de desviar dinheiro de governos estaduais, municipais e federal, há um duplo benefício: enriquecimento pessoal e financiamento de campanha. É a fome com a vontade de comer.

Se os escândalos se sucedem, por que não combatemos preventivamente? Uma das respostas é porque o beneficiário dos escândalos é quem faz a lei e, também, quem julga. As licitações fraudulentas também estão presentes nos tribunais de justiça. Então, torna-se insolúvel o problema.

Talvez uma saída seja a iniciativa popular. Assim como a lei da ficha limpa para o político, é preciso fazer o ficha limpa do servidor público. Todos os cargos comissionados deveriam ser preenchidos por pessoas sem ficha criminal. Assim, assessores, ministros, secretários etc só poderiam assumir um cargo público se tiverem ficha limpa total. Qualquer processo ou condenação em primeira instância por corrupção inviabilizaria a nomeação do funcionário público não concursado

Outra alternativa é o financiamento público de campanha que, se não diminuir a corrupção, pelo menos não se terá mais a desculpa política de se ter usado a corrupção para o financiamento de campanha.

Leia mais em Educação Política:

CASTELO DE AREIA: A JUSTIÇA NÃO É CEGA, É CÍNICA
A REAL AMEAÇA À DEMOCRACIA: ACUSADOS DE CORRUPÇÃO DA ELITE SE DÃO BEM NA JUSTIÇA COM FRESCURAS PROCESSUAIS
FANTÁSTICO E INACREDITÁVEL: JUIZ JULGADO CORRUPTO É CONDENADO A RECEBER R$ 300 MIL POR ANO E FÉRIAS VITALÍCIAS
LEI DA TRANSPARÊNCIA É UM DOS MAIORES AVANÇOS POLÍTICOS DO GOVERNO LULA PORQUE OBRIGA ESTADOS E MUNICÍPIOS A PUBLICAR DESPESAS

ATO FALHO DO PSDB: O POVO FEDE, A ELITE É LIMPINHA

%d blogueiros gostam disto: