Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE TERÁ O AEROMÓVEL, COM TECNOLOGIA BRASILEIRA, NO SEGUNDO SEMESTRE, 24 ANOS APÓS INSTALAÇÃO NA INDONÉSIA

Aeromovel em Porto Alegre é concretização do sonho de décadas de um gaúcho

Nos anos 1980, tecnologia ganhou linha de testes em Porto Alegre e foi implantada em Jacarta, na Indonésia, onde está em operação há 24 anos. Inauguração do projeto em 2013, no estado natal de Oskar Coester, é aguardada com expectativa pelo inventor

Portal da Copa

Quem passa em frente ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, fica pelo menos curioso. Diante do terminal de passageiros, dezenas de pessoas trabalham em uma via de concreto, cuja altura varia de 4,5 a 9 metros. A estrutura chama atenção não só pela elevação, mas pelas curvas sinuosas presentes no trajeto. Os trabalhos ali estão na reta final.

Os trilhos estão sendo ajustados na via. No começo e no fim da linha, duas estações de 450 m², climatizadas e com portas automáticas, recebem os acabamentos. Os dois veículos que vão circular na estrutura – um para 150 passageiros e outro para 300 –  foram fabricados em Três Rios, no interior do Rio de Janeiro. O menor chega a Porto Alegre em abril, para os primeiros testes, e o segundo em maio. Esse é o contexto da primeira linha comercial do Aeromovel no país. A previsão de início da operação é para o segundo semestre de 2013.

Fotos: Danilo Borges/Portal da Copa

Fotos: Danilo Borges/Portal da Copa#Humberto Kasper, da Trensurb: aeromovel <br>será "um braço do sistema de mobilidade"

Humberto Kasper, da Trensurb: aeromovel
será “um braço do sistema de mobilidade”

Barco a vela invertido

O Aeromovel é um sistema automatizado de transporte de passageiros que se locomove em via elevada. Trata-se de um veículo leve sobre trilhos movimentado pelo ar gerado por ventiladores industriais, que controlam pressão, direção e velocidade do ar.

“O veículo tem uma placa de propulsão fixa no chassi do carro, que fica enclausurada dentro da via. Então, uma corrente de ar de baixa pressão e de alta vazão sopra o veículo empurrando ele pra frente ou succiona, trazendo o veículo de volta. O motor que gera a força de tração do sistema fica fora do veículo, deixando o veículo mais simples e mais leve possível”, explica Diego Abs, diretor de engenharia da Aeromovel Brasil S/A, empresa sediada em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre.

“A roda e o trilho tem funções diferentes em relação ao transporte ferroviário. Eles são usados para uma espécie de rolamento linear e a propulsão é feita independente da roda. É um sistema de barco a vela invertido, em que o próprio duto da via é o túnel de vento. Ao invés de esperar o vento soprar, o vento é soprado através de ventiladores industriais, movidos a energia elétrica.”, acrescenta o gaúcho Oskar Coester, presidente da empresa e inventor da tecnologia.

Em Porto Alegre, o percurso do Aeromovel terá um quilômetro, fazendo a ligação direta entre a Estação Aeroporto, integrante do metrô da capital gaúcha , e o terminal 1 de passageiros do aeroporto Salgado Filho. A linha é de responsabilidade da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb), vinculada ao Ministério das Cidades. A Trensurb adquiriu o pacote tecnológico do Aeromovel em agosto de 2010.

#Clique na imagem para ver o infográfico completo

Clique na imagem para ver o infográfico completo

“O Aeromovel será tratado como um braço da Trensurb do sistema principal. Ao comprar o bilhete da Trensurb, o usuário já estará dentro do sistema. Na Estação Aeroporto, ele fará uma transferência, já na área paga, e poderá ter acesso ao Aeromovel para chegar ao aeroporto, sem custo adicional. E o mesmo vale para o sentido oposto, basta adquirir o bilhete do metrô”, explica Humberto Kasper, diretor-presidente da Trensurb.

De acordo com Kasper, a decisão de implantar o Aeromovel foi baseada em vários fatores. “Em 2004, um parecer técnico do Ministério da Ciência e Tecnologia recomendou que o país investisse no desenvolvimento da tecnologia, 100% nacional. No relatório da CPI da crise do sistema de tráfego aéreo, foi recomendado que houvesse soluções para os aeroportos em termos de acesso por modos coletivos de transporte. Um plano de soluções foi produzido pelo Ministério das Cidades, que recomendou os testes com a tecnologia Aeromovel, sugerindo a criação da linha aqui em Porto Alegre”, diz.

Em dezembro de 2010, a Trensurb e a Infraero assinaram um termo de cooperação para implantação do sistema entre a estação do metrô e o aeroporto. A obra teve início em agosto de 2011, com investimento total de cerca de 38 milhões de reais, recursos do governo federal. (Texto Integral)

Veja mais:

BOATE KISS DÁ A LIÇÃO: TODOS OS LAUDOS DE OBRAS PÚBLICAS E PRIVADAS DE USO PÚBLICO DEVEM IR IMEDIATAMENTE PARA A INTERNET

Foto: AgenciaBrasil

Transparência pode evitar tragédias

Tão ou mais importante do que investigar as causas do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria (RS) é criar um modelo para que situações como essa não se repitam.

O avanço em legislação sobre transparência do poder público pode evitar ou deixar mais difícil de acontecer tragédias como essa, além de diminuir outros problemas de corrupção em licitações e obras públicas.

Com a tecnologia barata e acessível é possível postar os lautos de vistoria de obras públicas ou obras privadas de grande uso comercial instantaneamente, inclusive com fotografias. Os laudos de vistoria de obras podem ser feitos de forma digital e serem publicados no momento em que termina uma vistoria.

O incêndio na Kiss parece nos ensinar que a população precisa participar politicamente para exigir mais transparência dos poderes públicos e para que possa ter uma consulta simples e de qualidade.

O acesso aos laudos na internet precisa de um trabalho normatizado e padronizado para que não se torme apenas uma publicação incompreensível para a população. Entidades e o próprios parlamentares podem elaborar normas e até programas de informática que facilitem o acesso aos laudos emitidos por órgãos municipais, estaduais e federais.

Veja mais em Educação Política:

 

FAUSTÃO FALA BOBAGEM E REVELA PRECONCEITO SOBRE O INCÊNDIO NA BOATE KISS, DE SANTA MARIA NO RIO GRANDE DO SUL

INCÊNDIO NA BOATE KISS DE SANTA MARIA NO RIO GRANDE DO SUL PODE TER MATADO JOVENS POR ASFIXIA

Incêndio em boate deixa mais de 233 mortos e 150 feridos em boate em Santa Maria (RS)

Da Agência Brasil/ EP

Asfixia pode ter matado jovens

Boate promovia festa universitária

Brasília – Pelo menos 233 pessoas morreram em um incêndio em uma boate na cidade de Santa Maria (RS) nesta madrugada, segundo informações preliminares das autoridades locais. As causas do acidente ainda estão sendo investigadas, mas relatos iniciais indicam que as vítimas morreram por asfixia, e não queimadas.

Cerca de 150 feridos foram levados para dois hospitais locais, enquanto os mortos estão sendo levados de caminhão para o Centro Desportivo Municipal de Santa Maria, pois o Instituto Médico Legal (IML) não tem capacidade para receber os corpos. A identificação já começou a partir dos documentos que as vítimas portavam. Em seguida, começará a fase de reconhecimento por parentes.

A boate Kiss costumava fazer diversas festas universitárias como a que ocorreu na madrugada de hoje (27). A capacidade era para até 2 mil convidados, mas o número de pessoas que estava dentro da boate não foi divulgado.

Segundo relatos preliminares, o fogo começou por volta das 2h30 após uma faísca atingir o teto de isolamento acústico da boate.

Edição: Carolina Pimentel

Veja mais em Educação Política:

RUA GONÇALO DE CARVALHO, A MAIS BONITA DO MUNDO, ESTÁ DE BEM COM O MEIO AMBIENTE E RESISTIU À ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

OLHO NO CLIMA: SECA JÁ COLOCA EM SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA 11 MUNICÍPIOS DO RIO GRANDE DO SUL

Lavoura de milho prejudicada pela seca em Santa Catarina

Se no Rio de Janeiro o excesso de chuvas é que vem causando morte e prejuízos ambientais, no Rio Grande do Sul o problema é justamente a falta dela. Notícia publicada pela Agência Brasil mostra que 11 municípios da zona rural já decretaram situação de emergência no estado e que os prejuízos na pecuária e agricultura já chegam aos R$ 3,6 milhões de reais.

Segundo agrônomonos da região, sem água o solo não se fertiliza e as plantações não se desenvolvem. Sem uma boa safra, os animais também saem prejudicados, pois ficam sem se alimentar, o que faz com que eles fiquem sem forças para produzir leite, por exemplo.

É uma espécie de círculo vicioso que vem prejudicando a própria população, vítima de desidratação, e o estado como um todo. Fenômenos como esse apontam para o desequilíbrio climático que tem se acentuado nos últimos tempos. Especialistas afirmam que o Rio Grande do Sul jamais passou por uma seca tão intensa, o que sinaliza mudanças significativas no clima.

Tanto no Rio de Janeiro, quanto no Rio Grande do Sul, a natureza tem alterado o cotidiano do homem. Mesmo que as causas de ambos os fenômenos sejam distintas, elas produzem imagens que já falam por si só!

Veja trecho de notícia publicada no site da Agência Brasil:

Seca no RS: Defesa Civil contabiliza prejuízo de R$ 3,6 milhões em municípios da zona rural
Da Agência Brasil

Brasília – A estiagem que atinge os municípios do Rio Grande do Sul já comprometeu parte da produção agrícola e pecuária do estado. A Defesa Civil estima que, na zona rural, houve uma perda de pelo menos R$ 3,6 milhões.

De acordo com o agrônomo da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Porto Alegre José Enoir Daniel, a grande preocupação que os agrônomos estão tendo é com os prejuízos na pecuária e na agricultura. “A falta de água resulta na não fertilização no solo, com isso, a plantação de soja e de milho não se desenvolve, prejudicando a safra e os animais.”

O especialista explica que, para a plantação se desenvolver e produzir, é necessário que a formação do solo seja composta por 50% de ar, 5% de matérias orgânicas, 5% de minerais e 40% de espaço vago por onde circula a água. Ele destaca que a pecuária também vem sofrendo com a seca no Rio Grande do Sul. “Os animais, como ovelhas e bois, com a não produção do solo, ficam sem se alimentar e sem forças para produzir [leite].” (Texto Completo)

Leia mais em Educação Política:

BANCADA DA DESTRUIÇÃO: RURALISTAS ESTÃO QUIETINHOS DEPOIS DA TRAGÉDIA NO RIO DE JANEIRO
TRAGÉDIA NO RIO DE JANEIRO EXPÕE FRAGILIDADE DA COBERTURA JORNALÍSTICA REALIZADA PELA GRANDE MÍDIA
GOVERNO FEDERAL JÁ PENSA EM SISTEMA DE MEDIDAS PREVENTIVAS PARA COMBATER DANOS CAUSADOS PELAS CHUVAS
INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAR DO PROUNI COMEÇAM NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

PSDB E EXTREMA-DIREITA ESTÃO TRANSFORMANDO O RIO GRANDE DO SUL EM ESTADO DE BARBÁRIE

O PSDB e a extrema-direita (ou seria a mesma coisa com dois nomes?) presente na polícia e em parte do Ministério Público estão transformando o Rio Grande do Sul em um império da barbárie.

Além da corrução sem precedentes no governo de Yeda Crusius (credo), há a insistência em criminalizar os brasileiros pobres dos movimentos sociais.

Na última ação da polícia do estado gaúcho, um brasileiro foi morto pelas costas e a Secretaria de Direitos Humanos da presidência vai denunciar a tortura de crianças. Isso mesmo, veja trecho de matéria da Folha de S.Paulo.

Segundo a reportagem, identificada por meio de depoimentos colhidos na semana passada em São Gabriel, a citada tortura física e psicológica de crianças inclui xingamentos, uso ostensivo de cachorros e da cavalaria e ferimentos por meio de estilhaços de bombas lançadas pelos brigadistas –um bebê foi atingido no rosto.

A ação policial ocorreu durante a reintegração de posse da fazenda Southall. O sem-terra Elton Brum da Silva foi morto com um tiro nas costas. O autor do disparo, soldado da brigada cujo nome não foi revelado, foi afastado de suas funções.

Outras 13 pessoas ficaram feridas na ação de despejo de 550 integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). Cerca de 300 policiais estavam na operação. (texto inteiro na Folha)

Leia mais em Educação Política:
CARTA MAIOR: MILITANTE DO MST, ELTON BRUN, É MORTO PELAS COSTAS PELA POLÍCIA MILITAR DE YEDA CRUSIUS (PSDB); PROMOTORA DIZ QUE DESOCUPAÇÃO DE FAZENDA FOI “PROFISSIONAL”
O TEATRO ESTÁ PRESENTE EM ASSENTAMENTO DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES SEM TERRA (MST) E SERVE DE INSTRUMENTO PEDAGÓGICO
GILMAR MENDES SE INDIGNOU COM A MORTE DE 4 CAPANGAS DE FAZENDEIRO, MAS NÃO COM MAIS DE MIL ASSASSINATOS DE TRABALHADORES SEM-TERRA

CARTA MAIOR: MILITANTE DO MST, ELTON BRUN, É MORTO PELAS COSTAS PELA POLÍCIA MILITAR DE YEDA CRUSIUS (PSDB); PROMOTORA DIZ QUE DESOCUPAÇÃO DE FAZENDA FOI “PROFISSIONAL”

Sem terra é executado com tiro nas costas pela polícia gaúcha

Clarissa Pont/Da carta maior

PORTO ALEGRE – O sem terra Elton Brum da Silva foi morto na manhã desta sexta-feira (21) em São Gabriel, no Rio Grande do Sul, com um tiro pelas costas, desferido por uma espingarda calibre 12 durante desocupação, pela Brigada Militar (a Polícia Militar gaúcha), da Fazenda Southall. O assassinato ocorreu por volta das 8 horas da manhã. Elton deu entrada no hospital quase duas horas depois. O MST, em nota oficial, lamentou com pesar o ocorrido e responsabilizou o governo Yeda Crusius (PSDB), o Ministério Público do RS e a Justiça. Não é a primeira vez que a Brigada Militar usa de truculência durante reintegrações de posse, aliás, a violência contra os movimentos sociais instaurada desde o início do Governo Yeda denota opção clara por tratar as questões sociais, como a Reforma Agrária, como caso de polícia.

“Eu não tava próximo tão próximo no momento dos tiros porque a gente se dividiu em dois grupos. Quando Elton foi atingido, ele estava na frente da trincheira e a cavalaria da Brigada entrou por trás, eram cerca de 80 deles, com espadas. A ação foi muito violenta, tem companheiro nosso com a perna cortada por espada. Quando eu ouvi os disparos, a gente tentou ver o que tinha acontecido, mas foi formado um cordão ao redor pelo batalhão. Nós não podíamos nem abrir os olhos, todos no chão, e eles continuavam batendo. Isso durou uns vinte minutos. Bombas de gás foram jogadas nas crianças, que estavam em grupo que tentávamos proteger. Depois que tudo acalmou, deixaram que nós entrássemos de 10 em 10 pessoas para recolher colchões e coisas do gênero. Foi aí que vimos que, onde aconteceram os tiros, havia uma lona preta, com muito sangue embaixo”.

O relato é de Rodrigo Escobar, militante do MST, que esteve na ação em São Gabriel. Na conversa por telefone com Carta Maior, Escobar contou que muitas crianças foram levadas ao hospital e que os números de feridos divulgados pela imprensa durante o dia não são nem uma pequena amostra do que aconteceu na Fazenda Southall. Além disso, relatou que o comando da ação movida pela Brigada era confuso, e que nem os próprios oficiais presentes se entendiam. “Enquanto uns mandavam ir pra cima, outros diziam para recuar”, disse. Quase duas horas depois, Brum chegou sem vida ao Hospital Santa Casa de Caridade, por volta das 9h40min da manhã. Uma mulher e uma criança também ficaram feridas no confronto, provavelmente com estilhaços do disparo que atingiu o militante.

Nas primeiras horas da manhã, as informações repassadas à imprensa pela Brigada Militar atribuíam a morte de Brum a um mal súbito. O assassinato só foi confirmado na metade da manhã. O ex-ouvidor agrário do Governo Yeda e também ex-ouvidor da Segurança Pública, Adão Paiani, disse que o sem-terra Brum foi morto pela Brigada Militar. Paiani relatou que foi procurado, na condição de ex-ouvidor da segurança pública, por um oficial da BM que assistiu à desocupação da fazenda. Esse oficial teria relatado que o manifestante foi morto durante discussão com um oficial da BM que atua na região da Fronteira. Brum teria dito alguns palavrões para o oficial, que revidou com um tiro de espingarda. O próprio oficial e alguns soldados teriam providenciado a remoção de Brum, ainda vivo, para o hospital de São Gabriel, numa viatura da BM. Ele não portava arma de fogo.
“Extremamente profissional”
Lisiane Vilagrande, promotora de São Gabriel, acompanhou a ação da Brigada durante a desocupação desde as 5h da manhã desta sexta-feira. Segundo ela, a ação “foi extremamente profissional. Em momento nenhum eu senti alguma tensão ou nervosismo por parte dos policias militares que executavam a ação. Foi tudo muito rápido”. (Texto Integral – Carta Maior)

Leia mais em Educação Política:
O TEATRO ESTÁ PRESENTE EM ASSENTAMENTO DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES SEM TERRA (MST) E SERVE DE INSTRUMENTO PEDAGÓGICO
PARATY: 500 ANOS DE HISTÓRIA E NADA MUDOU; CAIÇARAS DA PRAIA DO SONO E VILA ORATÓRIA SÃO OPRIMIDOS PELA GANÂNCIA DA ELITE BRASILEIRA
REPÓRTER BRASIL: DONO DE SHOPPING DO INTERIOR DE SÃO PAULO MANTINHA TRABALHO ESCRAVO NO MATO GROSSO
GILMAR MENDES SE INDIGNOU COM A MORTE DE 4 CAPANGAS DE FAZENDEIRO, MAS NÃO COM MAIS DE MIL ASSASSINATOS DE TRABALHADORES SEM-TERRA

PARANÁ, SANTA CATARINA, MATO GROSSO DO SUL, RIO GRANDE DO SUL E CEARÁ NÃO QUEREM VER A EDUCAÇÃO DO BRASIL MELHORAR

Até tu Requião?

Até tu Requião?

O governador Roberto Requião, que tem tido uma postura firme e avançada no Paraná, cometeu um equívoco ao assinar a Ação de Inconstitucionalidade contra o piso nacional do professor. Isso demonstra que o estado, assim como o Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Cerará e Santa Catarina, que assinaram a ação, não têm compromissos com a educação.

Apesar da posição contrária de Aécio Neves (Minas Gerais) e José Serra (São Paulo), eles não assinaram a ação porque não são bobos e são candidatos à presidência em 2010. Que futuro terá o Brasil se nem o piso os governadores querem pagar?

Espera-se agora que o Supremo Tribunal Federal acate o parecer do procurador-geral da República que considerou constitucional a lei do piso dos professores do ensino público. E que os governadores  cumpram, não apenas o pagamento dos salários, mas as condições definidas pela lei para que a educação do Brasil melhore.

Leia mais abaixo notícia sobre a constitucionalidade da lei

Procurador-geral da República emite parecer a favor da lei do piso para professores

Do Diap (Departamento Intersindical de assessoria parlamentar)

O Procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, emitiu nesta quinta-feira (13) parecer favorável ao piso salarial de R$ 950 dos professores do ensino fundamental da rede pública. O parecer já foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os governadores do Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Ceará, Paraná e Santa Catarina, entraram com uma Ação de Inconstitucionalidade (ADI 4167) no STF contra a lei (11.738/08), já aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente da República. Para os governadores, não há previsão orçamentária suficiente para garantir o reajuste salarial para os professores.

Para o procurador, os estados tiveram mais de dois anos para adequar seus orçamentos e arcar as despesas do piso dos professores. Outra justificativa que consta no parecer é que o Governo Federal não está interferindo no orçamento estadual e que os governadores continuam com a autonomia orçamentária para gerenciar os executivos estaduais.

Antônio Fernando esclarece que a fixação do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público não constituiu acontecimento imprevisto, pois, em 2006, foi promulgada a Emenda Constitucional nº 53, que entre outras determinações, prevê que o piso deve ser estabelecido por lei federal. Assim, opina procurador, “os entes federados deveriam estar preparados, desde então, para cumprir determinações legais de âmbito nacional que surgiriam como decorrência natural dos comandos inseridos no texto da Constituição da República”.

Jornada de Trabalho

Entre outras reclamações dos governadores  está o fato de eles serem contrários a composição da jornada de trabalho com o limite máximo de 2/3 da carga horária para o desempenho das atividades de interação com os alunos. Eles refutam, ainda, a correspondência do piso nacional com o vencimento inicial da carreira. Para eles, isso só poderia ser feito em cima da remuneração, ou seja, quando estão incluídas todas as vantagens pecuniárias.

Clique aqui e veja a íntegra do parecer do Procurador Geral da República.

Leia em Educação Política:

AÉCIO E SERRA (PSDB) PAGAM PARA PROFESSOR A METADE DO QUE PAGA BINHO MARQUES (PT)
OLHA A DECLARAÇÃO DA SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO QUEREM AFUNDAR UM DOS MAIORES AVANÇOS NA EDUCAÇÃO DO BRASIL

ÁRVORES MORREM NO RIO GRANDE DO SUL, POSSIVELMENTE POR AGROTÓXICO

Ibama enviará biólogo a São Borja para investigar mortandade de árvores

Por Ulisses A. Nenê, da EcoAgência

Árvores começam a secar a partir da copa

Árvores começam a secar a partir da copa

A Superintendência do Ibama/RS, em Porto Alegre, confirmou à EcoAgência que um biólogo do órgão vai a São Borja, na próxima semana, investigar a mortandade de árvores que está acontecendo na cidade e em outros municípios, na região da fronteira com a Argentina.

A principal suspeita recai sobre um agrotóxico, o Gamit, que tem por princípio ativo o Chlomazone, usado contra os inços nas lavouras de arroz.

Todas as plantas mortas, muitas de grande porte, apresentam os mesmos sintomas: primeiro embranquecem as folhas, depois os caules, e então secam e morrem, em grande quantidade.

Outra característica é que, nos grandes arvoredos da zona rural, nas regiões onde há aviões fazendo aplicações do produto, morrem primeiro as árvores mais altas, começando pelos galhos do topo (foto).

A denúncia partiu de um agrônomo da cidade, Darci Bergmann, que desde os anos 70 luta na região na defesa do meio ambiente.

Segundo ele, o Chlomazone ou Gamit (nome comercial) é um produto extremamente volátil, que se desloca a grandes distâncias quando pulverizado de avião, principalmente, e também nas aplicações terrestres.

“O problema dos agrotóxicos danosos ao ambiente e à saúde parecia sob controle, mas a questão ressurgiu e a sociedade precisa se alertar para isso”, afirma Bergmann.

%d blogueiros gostam disto: