Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

Arquivos de tags: tucano

Prefeito do PSDB do interior prova que governo Alckmin foi irresponsável com a água

“É racionamento, não é racionamento, é restrição hídrica, não é restrição hídrica”. É mais ou menos assim que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) tem explicado a lambança que fez na administração da água potável que abastece São Paulo e cidades da região de Campinas, como Itatiba, More…

GERALDO ALCKMIN SENSACIONAL: DISSE QUE IA SE INFORMAR EM 2011 E PROCESSA UMA ÚNICA(?) EMPRESA POR CARTEL(?) EM 2013

PROPINODUTO TUCANO NO METRÔ DE SÃO PAULO É CABALÍSTICO: 45 INQUÉRITOS ESTÃO EM ANDAMENTO

SEM PROPINODUTO DO PSDB NO METRÔ TARIFA SERIA DE R$ 0,90, DIZ MOVIMENTO PASSE LIVRE, QUE VAI ÀS RUAS DE SÃO PAULO DIA 14

Passe Livre, sobre propinoduto tucano: “Vamos às ruas no dia 14 de agosto”

Da Revista Fórum

mpl

Manifestações em São Paulo

O Movimento Passe Livre anuncia que no dia 14 de agosto voltará às ruas. O grupo irá realizar uma manifestação em parceria com o Sindicato dos Metroviários de São Paulo, por conta do suposto propinoduto esquematizado nos contratos para as obras do Metrô, que pode ter desviado R$ 400 milhões dos cofres públicos. O caso, ocorrido em gestões do PSDB, foi denunciado pela multinacional Siemens.

“Nossa posição é que é um absurdo que o dinheiro público esteja sendo desviado do transporte. São mais de R$ 400 milhões desviados, isso daria para reduzir a tarifa a R$ 0,90”, afirma Matheus Preis, militante do MPL-SP.

A manifestação do dia 14 de agosto ainda não tem um local definido. No dia 6 de agosto, o MPL vai divulgar, em parceria com os metroviários, uma carta à população, informando o local do protesto. (Texto Completo)

Veja mais:

TUCANODUTO: REVISTA ISTOÉ EXPLICA PORQUE O TRANSPORTE PÚBLICO DE SÃO PAULO É PÉSSIMO E NÃO MELHORA DESDE MÁRIO COVAS

propinodutoReportagem aponta que nos governos de Geraldo Alckmin, mas também de José Serra e Mario Covas, cerca de US$ 50 milhões teriam sido desviados das obras do metrô; denúncia da Siemens, que decidiu colaborar com a Justiça, lança luzes sobre o esquema; Alckmin será, agora, alvo de ação de improbidade

247 – Uma denúncia feita pela multinacional alemã Siemens, que acusou formação de cartel nas obras do metrô, em São Paulo, e decidiu colaborar com a Justiça, poderá trazer sérias complicações ao governador Geraldo Alckmin. De acordo com reportagem da revista Istoé, publicada neste fim de semana, foi montado um “propinoduto” relacionado às obras do metrô, que teria desviado US$ 50 milhões nos governos de Alckmin, mas também de José Serra e Mario Covas. Alckmin será, inclusive, alvo de uma ação de improbidade. Leia, abaixo, a reportagem de Alan Rodrigues, Pedro Marcondes de Moura e Sérgio Pardellas:

O esquema que saiu dos trilhos

Um propinoduto criado para desviar milhões das obras do Metrô e dos trens metropolitanos foi montado durante os governos do PSDB em São Paulo. Lobistas e autoridades ligadas aos tucanos operavam por meio de empresas de fachada

Alan Rodrigues, Pedro Marcondes de Moura e Sérgio Pardellas

Ao assinar um acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a multinacional alemã Siemens lançou luz sobre um milionário propinoduto mantido há quase 20 anos por sucessivos governos do PSDB em São Paulo para desviar dinheiro das obras do Metrô e dos trens metropolitanos. Em troca de imunidade civil e criminal para si e seus executivos, a empresa revelou como ela e outras companhias se articularam na formação de cartéis para avançar sobre licitações públicas na área de transporte sobre trilhos. Para vencerem concorrências, com preços superfaturados, para manutenção, aquisição de trens, construção de linhas férreas e metrôs durante os governos tucanos em São Paulo – confessaram os executivos da multinacional alemã –, os empresários manipularam licitações e corromperam políticos e autoridades ligadas ao PSDB e servidores públicos de alto escalão. O problema é que a prática criminosa, que trafegou sem restrições pelas administrações de Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, já era alvo de investigações, no Brasil e no Exterior, desde 2008 e nenhuma providência foi tomada por nenhum governo tucano para que ela parasse. Pelo contrário. Desde que foram feitas as primeras investigações, tanto na Europa quanto no Brasil, as empresas envolvidas continuaram a vencer licitações e a assinar contratos com o governo do PSDB em São Paulo. O Ministério Público da Suíça identificou pagamentos a personagens relacionados ao PSDB realizados pela francesa Alstom – que compete com a Siemens na área de maquinários de transporte e energia – em contrapartida a contratos obtidos. Somente o MP de São Paulo abriu 15 inquéritos sobre o tema. Agora, diante deste novo fato, é possível detalhar como age esta rede criminosa com conexões em paraísos fiscais e que teria drenado, pelo menos, US$ 50 milhões do erário paulista para abastecer o propinoduto tucano, segundo as investigações concluídas na Europa (Texto Integral)

Veja mais:

BESSINHA SENSACIONAL: FELIZ DIA DAS MÃES!

TUCANO ACUSADO DE MATAR 4 PESSOAS, MOTORISTA E TRÊS FISCAIS DO ESTADO NA CHACINA DE UNAÍ, CONTINUA LIVRE E É HOMENAGEADO

Da série: tucanos querem reduzir a idade penal, mas para quê?

Tucano acusado de mandar matar 4 na chacina de Unaí se diz vítima

Antério Manica, condecorado na Assembleia de Minas Gerais

Antério Manica, condecorado na Assembleia de Minas Gerais

Vi o Mundo

A Chacina de Unaí vai completar quase uma década sem julgamento.

No dia 28 de janeiro de 2004, uma denúncia anônima de trabalho degradante no campo (forjada) levou três auditores fiscais do Ministério do Traballho e o motorista deles para uma emboscada. Todos foram executados com tiros na cabeça, a menos de 160 quiilômetros de Brasília.
Os assassinatos repercutiram dentro e fora do país.
Por pressão direta da Presidência da República, uma investigação relâmpago descobriu os envolvidos nas execuções. Uma trama que envolve hierarquia e poder.
Segundo o Ministério Público Federal, os irmãos Antério e Norberto Mânica, os maiores produtores de feijão do país, seriam os mandantes.
Hugo Pimenta e José Aberto de Castro, o Zezinho, empresários de sucesso na produção de grãos, os intermediários.
Francisco Helder Pinheiro, conhecido como Chico Pinheiro, o homem que contratou os pistoleiros.
Erinaldo Silva e Rogério Alan Rocha, os matadores.
Willian de Miranda, motorista dos bandidos.
E Humberto dos Santos, o responsável por tentar apagar os rastros da quadrilha.
Antério Mânica, segundo o Ministério Público Federal um dos mandantes da chacina, se elegeu duas vezes prefeito de Unaí concorrendo pelo PSDB.
Sua declaração de bens na Justiça Eleitoral, em 2008, chegou perto dos 19 milhões de reais.
A primeira eleição aconteceu no ano do crime, mesmo sendo ele um dos suspeitos de mandar matar os servidores públicos.
Antério passou dois curtos períodos na cadeia.

As propriedades dele, com cerca de cinco mil hectares, produzem mais de 200 mil sacas de 60 quilos de feijão por safra.
Os Mânicas são descendentes de italianos. Chegaram ao Brasil no final de década de 40.

Hoje, Antério diz que praticamente não conversa com o irmão, Norberto, que mudou-se para o interior de Mato Grosso. (Texto completo)

COINCIDÊNCIA OU POLÍTICA TUCANA? ASSASSINATOS NAS RUAS DE SÃO PAULO E GOIÁS FOGEM DO CONTROLE

Estilo: extrema direita no governo e violência sem limites nas ruas

Estilo: extrema direita no governo e violência sem limites nas ruas

Violência contra moradores de rua em Goiás mostra situação ‘fora de controle’

Marconi Perillo nega atuação de grupos de extermínio, mas ativistas dos direitos humanos afirmam que governo do PSDB permitiu agravamento da situação e sugerem intervenção

Por: Raimundo Oliveira, da Rede Brasil Atual

São Paulo – “A crise de segurança no estado de Goiás fugiu ao controle.” A constatação, motivada pelos recentes episódios violentos contra moradores de rua em Goiânia, se alastra. A mesma declaração foi dada à RBA pelo vereador de Goiânia Tayrone Di Martino (PT) e pelo coodenador do Centro de Referência em Direitos Humanos João Bosco Burnier, Eduardo Mota.

No último sábado (6), dois moradores de rua foram assassinados na capital – uma criança de aproximadamente 11 anos e um adulto de 31. Ambos foram executados a pauladas no crânio. Com eles, o número de moradores de rua assassinados no estado desde agosto do ano passado, quando foi registrada a primeira ocorrência do tipo, chegou a 27.

No mesmo sábado, uma força-tarefa da Secretaria Nacional de Direitos Humanos esteve em Goiânia e o secretário Gabriel Rocha, de acordo com informações da Agência Brasil, afirmou que há uma política de extermínio em curso naquele estado e que, em pelo menos parte das mortes há indícios de participação de agentes públicos nas execuções. A mesma interpretação é feita pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Wadih Damous.

Segundo informações dos jornais O Popular, pelo menos dez dos moradores de rua foram mortos a tiros. Outros relatam a presença de uma caminhonete de cor prata nos locais e horários onde ocorreram parte dos crimes.

Em menos de seis meses, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), já promoveu duas trocas de comando nas forças policiais do estado. No final de novembro, a troca foi geral, nos comandos de Polícia Militar, Polícia Civil e na agência do Sistema de Execução Penal. No mês passado, apenas o comando da PM foi trocado.

O governo, por meio da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública e Justiça, nega a existência de grupos de extermínio de moradores de rua no estado. “Modus operandi, armas utilizadas e motivações dos casos esclarecidos não têm conexão entre si. Portanto, até agora não há indícios da ação de grupo de extermínio de moradores de rua em Goiânia”, diz o comunicado.

De acordo com a assessoria, em 12 dos casos as pessoas foram mortas a tiros,  dez foram esfaqueadas e em cinco as vítimas foram mortas a pauladas ou pedradas. A assessoria informa que dois casos são suspeitos de terem sido cometidos por uma mesma pessoa.

Segundo a assessoria, no dia 6 a PM iniciou uma operação para tentar desarmar a população e considera a presença da Secretaria de Direitos Humanos no estado como benéfica, pois isso poderá ajudar nas políticas de ação social para moradores de rua.

Segundo Eduardo Mota, porém, além dos indícios de execução de moradores de rua na capital e cidades do interior de Goiás, também há demonstrações de intimidação por parte da Polícia Militar sobre grupos de direitos humanos e ameaças de morte a pessoas e organismos de combate à violência no estado.

Para ele, a situação de violência contra moradores de rua é o lado mais visível e cruel da crise de segurança que atinge Goiás nos três últimos anos – período em que os números da criminalidade não param de crescer.

O coordenador do centro João Bosco Burnier afirma que, assim como cresceram os casos de assassinatos de moradores de rua no estado, também aumentaram os casos de violência envolvendo agentes das forças públicas nos últimos anos. “Além destes casos, com vítimas encontradas, identificadas ou não, há muitos outros de pessoas desaparecidas, em que não há encontro de cadáveres e, portanto, não há configuração de homicídios.”

Mota diz que, durante recente reunião realizada na sede do centro de referência, antiga Casa da Juventude, com representantes de grupos de direitos humanos do Rio de Janeiro e de São Paulo, cerca de 20 viaturas da PM passaram em frente ao local com sirenes e luzes ligadas. Ele afirma que pretende encaminhar à Organização dos Estados Americanos (OEA) denúncia de violação dos direitos humanos contra o governo de Goiás.

Segundo o vereador Tayrone Di Martino, a situação da violência em Goiás extrapolou todos os limites nos últimos meses e chegou a uma situação inadmissível com os dois últimos assassinatos. “Nós chegamos a uma situação nunca vivida antes no estado. A violência em Goiás está fora de controle e precisamos rever a política de ação social em relação aos moradores de rua no país”, disse. A Câmara de Goiânia vai fazer amanhã (10) uma audiência pública para discutir a situação.

De acordo com Di Martino, já estão confirmadas as presenças de representantes da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, da Assembléia Legislativa, do Ministério Público estadual e de entidades de proteção aos direitos humanos.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública e Justiça de Goiás, a polícia já concluiu e enviou ao Judiciário dez inquéritos sobre as mortes de moradores de rua. Outros oito casos estão em fase de conclusão, com autoria definida.

Veja mais em Educação Política:

RECEITA TUCANA: DEPOIS DE 17 ANOS DE GOVERNO DO PSDB, HOMICÍDIO CRESCE 15% NO INÍCIO DO ANO NO ESTADO DE SÃO PAULO

São Paulo sem lei

São Paulo sem lei

Incompetência, falta de capacidade e sensibilidade para os problemas socais (Veja Pinheirinho!) fazem São Paulo colher os frutos da política tucana que governa o estado há 17 anos. Incrível que em pleno século 21, a direita brasileira insista que o problema da segurança é uma questão a ser tratada exclusivamente com a polícia. Alckmin enxuga gelo em São Paulo.

Ano começou com aumento de 15% dos homicídios no estado de São Paulo

São Paulo – O número de homicídios no estado de São Paulo cresceu 15,05% no primeiro bimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2012. De acordo com o balanço mensal da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), divulgado hoje (25), foram registrados 787 homicídios dolosos este ano, ante 684 no ano anterior. Em relação a janeiro, no entanto, a taxa apresentou decréscimo, passando de 416 para 371 casos em fevereiro.

O número de vítimas também cresceu cerca de 15% na comparação anual (cada registro de homicídio pode ter mais de uma pessoa). Foram 846 mortes em 2013, ante 732, nos dois primeiros meses do ano passado. Em relação a janeiro – quando foram registradas 455 mortes, houve redução da taxa. Foram 64 mortes a menos no segundo mês do ano.

Na capital, a taxa de homicídio caiu em relação a janeiro, passando de 98 para 89 casos. A mesma tendência foi registrada na taxa de mortes violentas. O número de vítimas passou de 109 em janeiro para 91 no último mês. Na comparação com o mesmo bimestre do ano passado, no entanto, houve aumento tanto dos casos, quanto do número de vítimas. Em 2012, foram 162 casos de homicídio com 175 vítimas; em 2013, foram 187 ocorrências com 200 mortes.(Texto Integral)

Veja mais em Educação Política:

HUMOR DE CAMPANHA: ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS TUCANAS E DA REVISTA VEJA, PUBLICAÇÃO ULTRADIREITISTA DA EDITORA ABRIL

INTERNAUTA: “ARARAQUARA FOI CASTIGADA DURANTE DEZ ANOS POR UM GRAVÍSSIMO ESQUEMA DE DESVIO DE VERBAS DAS APMs”

Por Francisco Goifman

Araraquara: que pena é essa?

Estão sendo publicados em vários blogs matérias sobre o esquema de desvio de verbas da educação em Araraquara, informações que nos permite não termos mais um pingo de esperança. No dia 21 de maio, o Diário Oficial do Estado publicou que a ex-dirigente  recebeu pena de suspensão de 90 dias. Por qual crime…?
Aí é que está: o que a comunidade escolar de Araraquara sabe é uma coisa, mas o que consta do processo administrativo movido contra a ex-dirigente é puro tabu. O Secretário Paulo Renato e o Rubens Mandetta nem superficialmente tocam no assunto principalmente porque os fatos denunciados contra a ex-dirigente são verdadeiros e tem muitas notas fiscais frias espalhadas pelos Blogs escaneadas e com endereço de gráficas, nome das escolas, APMs, Comissões, e Balancetes da FDE (Fundação do Desenvolvimento da Educação), que a própria diretora Sonia Fernandes distribuiu inclusive para provar que a SR a obrigava a participar do esquema, Sonia Fernandes levou como testemunha na Secretaria da Educação a diretora da escola Victor que também fez parte do esquema com o Diretor.

Saiba mais

COINCIDÊNCIA OU INDÍCIO: BANCO OPPORTUNITY ESTÁ REGISTRADO NO BANCO CENTRAL COM NÚMERO 45, EXATAMENTE O NÚMERO DO PSDB

Banco Opportunity de Daniel Dantas tem o número 045 no Banco Central, o mesmo número do PSDB.

O site do banco Opportunity diz que a empresa foi crada em 1994, ano em que o PSDB ganha as eleições  e assume  a presidência da República.

O banco Opportunity está envolvido em inúmeros escândalos, inclusive e principalmente durante a privatização das telecomunicações.

O banco Opportunity cresceu de forma assustadora durante os anos do governo de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB.

Fernando Henrique Cardoso, em recente entrevista, disse que o banqueiro condenado à prisão em primeira instância é tido como uma pessoa “brilhante”.

Opportunity na verdade é a grande oportunidade! A oportunidade 45!

Consulte o Banco Central – Veja que todos os bancos nacionais têm uma numeração. Banco do Brasil é 001, Bradesco BBI é 036.  Essa numeração é muitas vezes requisitada ao cliente em transferência bancária.

Veja no site do Banco Central o número 45 do Opportunity (pdf).

Veja no Blog do Miro sobre o Opportunity.

Veja mais sobre Dantas/Opportunity  no Conversa Afiada

Veja mais sobre Opportunity/Dantas no Luis Nassif

Leia mais em Educação Política:

EMISSÁRIO DE DANTAS FAZIA LIGAÇÕES DIRETAS PARA O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

APESAR DO SUPREMO, JUSTIÇA BRASILEIRA CONDENA DANIEL DANTAS

MATÉRIA DO ESTADÃO MOSTRA QUE OPERAÇÃO SATIAGRAHA ESTAVA CERTA; DANTAS PODE SER UMA AMEAÇA À INVESTIGAÇÃO

O SEGREDO DE DANIEL DANTAS É ALGO GENIAL: NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE JUSTIÇA E LEGISLAÇÃO

%d blogueiros gostam disto: